INTERNAUTAS SUGEREM BOICOTE AOS POSTOS IPIRANGA

0

Os Postos Ipiranga, que por meio da agência de publicidade Talent Publicis, têm veiculado bem sucedida campanha publicitária parecem desconhecer seus franqueados e a capacidade que estes têm em comprometer imagem e reputação. Não é sem motivo que internautas lançaram abaixo-assinado propondo o boicote aos Postos Ipiranga, com toda razão,  pois o que aconteceu em Ribeirão Preto é extremamente grave, gravíssimo.

Notas e posicionamentos, jogando panos quentes para apagar 0 fogo na base do falar não falando, do dizer que não sabiam e que isso não faz parte da visão da empresa, será no mínimo acintoso, ainda que acionem comitê de crise, peçam para a agência de publicidade criar uma ação “bonitinha” ou a assessoria de imprensa um posicionamento capaz de reduzir o estrago. Afinal, este é inevitável. Podem também recorrer ao jurídico (quem sabe?) para verificar o risco e emitir nota cheia de datas vênias, as chamadas devidas licenças do falar não falando, qualquer que seja o ato corre o risco de ser ineficaz sem qualquer ação firme dos Postos Ipiranga . Ficou claro para os que passaram pelo posto de Ribeirão Preto que sua bandeira não zela pelos preceitos mínimos de respeito e cidadania. Vamos aguardar.

Mas, no momento, o que está em cartaz é o abaixo-assinado resultado de uma faixa desrespeitosa e caluniosa, politicamente inadequada e inaceitável. O abaixo-assinado pode ser acessado aqui e  apresenta um texto bem mais correto do que são capazes muitos reclames e advogados de aluguel. Com esse tipo de atitude dos franqueados, não dá para passar nos Postos Ipiranga por melhor que seja a sua propaganda, pois ela não convence. Faltou respeito e o mínimo de dignidade:

 

O Posto Ipiranga, empresa que se diz socialmente responsável, exibe em um dos postos da marca (precisamente na Av. 13 de Maio, 756, Ribeirão Preto, SP, tel 16 3624‐5677) faixas com dizeres ofensivos contra o ex‐presidente da República Luiz Ignácio Lula da Silva.
Nos sentimos frontalmente desrespeitados pela empresa. Se a mesma, contudo, achar que isso, embora contrário à boa educação e ao respeito à democracia, seria só uma suposta “liberdade de expressão” (como se acusar pessoas, sem qualquer prova, pudesse ser assim considerado), consideramos justo que os democratas deste pais, que não aceitam esse tipo de postura empresarial, promovam um boicote contra o Posto Ipiranga. E, posteriormente, se for o caso, contra o Grupo Ultragaz, que é proprietário dessa rede de postos.

A sociedade deve repudiar todo e qualquer ato de violência e agressão verbal contra a pessoa humana, e isso exige uma postura mais firme ainda quando envolve calúnia e difamação, a qualquer pretexto, e mais ainda quando motivados por qualquer tipo de preconceito, seja de natureza de raça, origem geográfica, classe social, raça ou natureza política.

Agora veja só estes fragmentos extraídos do Código de Ética do Grupo Ultramaz, dono da Ultragaz e do Posto Ipiranga:

A (…) e a responsabilidade são deveres inerentes a nossa organização.

  • Tratamos de forma justa e equitativa todos os nossos públicos de relacionamentos e reprovamos todo ato de discriminação (…).
  • Preocupamo‐nos com as consequências dos nossos atos, ponderando os efeitos de nossas ações em relação a terceiros e a nós mesmos antes de adotá‐las.
  • Reconhecemos na parceria com nossos revendedores a continuidade de nossos valores e das nossas práticas de negócios.
  • Trabalhamos para que os nossos revendedores sigam os princípios deste código.

 

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.