O SONHO DOURADO DOS PARALÍMPICOS

0

O Rio de Janeiro se prepara para ser a capital mundial dos esportes em 2016. E, a contar pelo desempenho dos atletas brasileiros, a torcida deve prestar muita atenção na disputa das Paralimpíadas. Isso porque o objetivo do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para 2016 é conquistar, no mínimo, a quinta posição no quadro de medalhas. Apoio e estrutura, de acordo com o presidente da entidade, Andrew Parsons, não têm faltado.

 

Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

“Forçosamente, temos que conquistar mais medalhas. Estamos tendo apoio nos últimos anos, conseguindo melhorias de condições para os atletas. Conseguimos oferecer equipamentos esportivos, melhor estrutura geral para fazer um planejamento sob medida para cada atleta”, diz.

 

Os jogos Paralímpicos de verão existem desde 1960 e o Brasil começou a participar em 1972. Faltam 500 dias para os jogos, nos quais o Brasil tem tido atuação destacada. Nas últimas duas edições, o país ficou em 9º e em 7º lugares no quadro de medalhas.

Somando apenas os jogos de Pequim, em 2008, e Londres, em 2012, a bandeira brasileira foi hasteada no ponto mais alto 37 vezes. Duas modalidades se destacam no país: a natação e o atletismo. Das piscinas de Londres, saíram nove medalhas de ouro para o Brasil. Nas pistas, nossos atletas paralímpicos subiram no topo do pódio sete vezes.

Desde a primeira participação nos jogos, o Brasil já conquistou 230 medalhas e há expectativa de aumentar esse número em 2016. A esperança de medalha está em atletas já consagrados, que foram medalhistas em edições anteriores. Daniel Dias e André Brasil, da natação, e Terezinha Guilhermina, Lucas Prado e Yohansson Nascimento, do atletismo, já nos deram alegrias antes e podem fazê-lo novamente em 2016.

Há, também, uma nova safra de atletas paralímpicos, apelidada geração pós-Londres, que vêm conquistando bons resultados em campeonatos mundiais e podem se destacar no Rio de Janeiro. “O Talysson Glock e o Roberto Alcalde, da natação, conquistaram bons resultados no mundial de natação. O Roberto conseguiu ouro em uma prova e o Talysson foi prata em outra”, explicou Parsons. Além dessas duas modalidades, o Brasil tem se destacado no futebol de cinco, na bocha e no goalball (jogo praticado por atletas com deficiência visual).

Segundo ele, praticamente todo apoio (99%) vem de verba pública como, por exemplo, da Caixa Loterias. Isso tem se refletido em um melhor desempenho dos atletas e também na difusão do esporte entre pessoas com deficiência.

“As pessoas com deficiência tem procurado mais os clubes. Cresce a demanda de crianças que não querem mais dispensa da educação física, que querem praticar esportes”, comemora Parsons. “Promovemos anualmente no Brasil um evento [para público]em idade escolar, a Paralimpíada Escolar, e percebemos uma demanda maior. Isso significa mais gente praticando esporte, o que é fantástico”, completa.

FILME

Em dezembro do ano passado, o CPB na cerimônia de entrega do Prêmio Paralímpico 2014, que contemplou as 22 modalidades disputadas, exibiu um filme emocionante com o mote “Para eles, o impossível não existe” assinado pela agência Rio 360 e com produção da Chá das 5. Em três minutos mostram os exemplos de superação, coragem e determinação de medalhistas paralímpicos como Daniel Dias (natação), Bruna Alexandre (Tênis de Mesa) e Terezinha Guilhermina (velocista), que têm quebrado recordes e levado a bandeira do Brasil e dos brasileiros ao pódio.

A corrida para a Rio 2016 já começou.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP