A ARTE DA MARÉ

0

Começou neste final de semana, no Galpão Bela Maré, a exposição Travessias 4 – Arte Contemporânea na Maré, no complexo de favelas da zona norte do Rio de Janeiro. Em sua quarta edição, a atividade propõe a reflexão e discussão sobre o papel da arte na transformação do espaço urbano.  Participam da mostra os artistas convidados Regina Silveira e Eduardo Coimbra, além de dois trabalhos de artistas iniciantes, selecionados por meio de edital. A organizadora da exposição, Luiza Mello, explica que a proposta é entender a arte como forma de contato afetivo e criativo entre as pessoas com o mundo. “A proposta é que a gente atravesse fronteiras, que as pessoas de outros bairros venham para cá e que as pessoas que moram aqui, gostando de arte, passem a frequentar outros espaços culturais em outros bairros da cidade. Então é oferecer essa ponte, abrir os olhos das pessoas, é proporcionar e provocar para um tipo de expressão cultural que é a arte visual”, disse a organizadora.

 

Por Akemi Nitahara/Repórter da Agência Brasil

Regina Silveira montou a obra Touchespecialmente para o galpão, com mãos enormes impressas pelo chão e nas paredes do local. Grandes painéis luminosos pendurados no teto compõem a obra interativa de Eduardo Coimbra Balancéu que, ao serem balançados, dão a sensação de que o céu está em movimento. Marie Carangi fará a performance Corte estilo guilhotina, que questiona a auto-imagem e a representação dos padrões revelados pelo cabelo.

O quarto trabalho é o Interiores da Maré, uma parceria entre o produtor Henrique Gomes, morador do bairro, e o fotógrafo italiano Antonello Veneri. O fotógrafo explica que a ideia é reproduzir uma tradição antiga no Brasil dos retratos de família, para mostrar a beleza que existe na Maré. “A maioria das famílias daqui são de origem nordestina e no Nordeste do Brasil essa tradição do retrato fotográfico é muito antiga. Aliás, muitas famílias que fotografamos tinham na casa retratos dos pais. Então pensamos: por que não continuar fazendo isso? Também porque das comunidades, das favelas, sempre é mostrado o lado ruim da violência, a mídia sempre mostra esse lado. Então nós quisemos mostrar esse outro lado, que é o lado do cotidiano, da beleza. Todas as famílias adoraram”.

A série de fotografias Interiores da Maré está na 4 edição da exposição Travessias Arte Contemporânea na Maré, que acontece no Galpão Bela Maré (Fernando Frazão/Agência Brasil)
FOTO: Fernando Frazão/Agência Brasil

Outra atração é a maquete colaborativa do complexo de favelas, feito sob coordenação do arquiteto Pedro Évora desde a segunda edição do evento. Este ano, ela está com 48 metros quadrados, o dobro do tamanho de 2014, e conta com uma projeção da artista Regina Silveira. Évora relata que ainda falta a representação de quase 40% da comunidade. De acordo com ele, as oficinas e o trabalho que envolveu a comunidade na elaboração da obra empolgou os cerca de 40 participantes.

O estudante Walison John Aleixo Ramos, de 10 anos, mora na região e ajudou a fazer a maquete. “Tudo é legal. Achei minha casa, a passarela. Nunca tinha trabalhado com maquete. A exposição está bonita, o céu parece que é verdadeiro. Essa mãos na parede parecem que são minhas mãos”.

O diretor do Observatório de Favelas, ONG idealizadora do projeto, Jorge Luiz Barbosa, explica que um dos objetivos da mostra é proporcionar, além do intercâmbio entre artistas conhecidos e iniciantes, o encontro entre as diversas regiões da cidade.

“Primeiro é esse encontro necessário que pode refundar a arte com outras motivações, outros conceitos e outros significados. O segundo é fazer uma superação dos estigmas de violência e dos estereótipos de carência da favela, criando um grande centro cultural numa das maiores favelas do Brasil e a maior do Rio de Janeiro, que é a Favela da Maré, mostrando que a favela pode ser uma referência na produção e na fruição estética. O terceiro ponto é fazer um grande encontro das pessoas da cidade num espaço popular. Então é como a favela pode se tornar também esse espaço público de vivência e convivência das pessoas da cidade”.

Inaugurado no último dia 12, o projeto Travessias 4 fez dois workshop de criação coletiva e intervenção e vai receber quatro oficinas e dois encontros sobre os temas em debate. O programa educativo já tem visitas agendadas de 17 escolas, das 19 da região. Os trabalhos podem ser vistos até o dia 14 de novembro no Galpão Bela Maré, que fica na Rua Bittencourt Sampaio, entre as passarelas 9 e 10 da Avenida Brasil.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP