ABRAM ALAS PARA CLÓVIS BORNAY

0

POR ALANA GANDRA/Repórter da Agência Brasil

Em comemoração ao centenário de nascimento do museólogo e carnavalesco brasileiro Clóvis Bornay, nascido no município de Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, no dia 10 de janeiro de 1916, o Museu da República (MR), no Rio de Janeiro, abriu a exposição “Clóvis Bornay – 100 Anos” que ficará em cartaz até abril.

O curador da exposição, professor Mário Chagas, coordenador técnico do Museu da República, disse que Clóvis Bornay foi um personagem “importantíssimo no mundo dos museus, da museologia e do carnaval”. Filho de mãe espanhola e pai suíço, Bornay era o caçula de 12 irmãos. Foi funcionário do Museu Histórico Nacional, célula da qual se originou o Museu da República. “Ele trabalhou no Museu da República supervisionando montagens de exposições e fez nos jardins uma representação da primeira missa rezada no Brasil”, informou o curador.

Mário Chagas destacou as múltiplas faces de Clóvis Bornay. “Foi ator, cantor, museólogo, carnavalesco e gay”. Foi também idealizador do Baile de Gala do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 1937, onde ocorreram os primeiros desfiles de fantasias de luxo e de originalidade no carnaval. Para ele, o museu tinha de ser democrático e ir até o povo.

Assistente da curadoria, Patrícia Fernandes lembrou que a exposição está associada à comemoração dos 100 anos do samba. Ela está dividida em três salas, que apresentam Bornay como profissional de museu, mestre de fantasias e como pessoa de múltiplas formas de se expressar.

“Na verdade, a gente faz uma linha do tempo dessa pessoa que foi Clóvis Bornay”. Para o curador, sua frase mais célebre deixa claro quem ele era “Ser museólogo não é nada. Mais difícil é ser Clóvis Bornay todos os anos, nas passarelas”.

Rio de Janeiro - O Museu da República inaugura a exposição Clóvis Bornay 100 Anos do museólogo, carnavalesco e vencedor de concursos de fantasias do carnaval carioca (Tomaz Silva/Agência Brasil)
As fantasias foram tratadas, higienizadas e restauradas para a mostra. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Do acervo pessoal de Bornay, que a família doou para o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro, na Gávea, algumas peças fazem parte da exposição. O público verá três fantasias com as quais ele ganhou desfiles de luxo em carnavais, além de croquis, fotografias, livros, manuscritos e homenagens recebidas. Entre as peças, o destaque é o original do enredo “Lendas e Mistérios da Amazônia”, que Clóvis Bornay fez para a Portela em 1970 e que deu à escola o título de campeã do carnaval.

As três fantasias em melhor condição de conservação foram tratadas, higienizadas e restauradas para a mostra. Segundo Patrícia, o trabalho de pesquisa para a exposição começou há um ano. “Bornay era parte desse carnaval do luxo, das fantasias, dos bailes”, ressaltou. Para Patricia, a alegria e o luxo das fantasias atuais das escolas de samba são marcas associadas a Clóvis Bornay.

Homossexual assumido, Bornay decidiu casar no fim da vida com uma mulher que trabalhava para ele, disse Mário Chagas. “Foi um casamento de generosidade porque, com isso, ele protegeu a mulher e suas filhas Patrícia e Tainá”. No dia 9 de outubro de 2005, Clóvis morreu de parada cardiorrespiratória, no Hospital Souza Aguiar, para onde foi levado com desidratação e infecção intestinal.

A exposição “Clóvis Bornay – 100 Anos” marcará o início da visitação noturna do museu. Ele passará a ficar aberto em todas as últimas terças-feiras de cada mês, das 10h às 22h. Patrícia Fernandes disse que a iniciativa faz parte do Programa de Educação de Jovens e Adultos do MR. A visitação noturna objetiva permitir que todos os públicos tenham oportunidade de conhecer e visitar o museu.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP