FESTA LITERÁRIA DAS PERIFERIAS NOS 50 ANOS DA CIDADE DE DEUS

0

A Festa Literária das Periferias (Flupp) que, em sua quinta edição, comemora os 50 anos da Cidade de Deus, comunidade situada na zona oeste do Rio de Janeiro, reúne mais de 100 autores de 20 países que discutirão, até o próximo dia 13, temas como racismo, machismo e homofobia. Além do aniversário da comunidade, a feira tem como homenageado o escritor Caio Fernando Abreu.

Por Alana Granda/Repórter da Agência Brasil

Ao contrário de outros eventos literários, como a Bienal do Livro e a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que oferecem sempre uma grande atração e são focados mais em autores, o escritor Julio Ludemir, um dos idealizadores da Flupp, disse à Agência Brasil que a festa das periferias se destaca por inventar, a cada edição, uma “bossa” diferente.

Em 2012, quando surgiu, a Flupp criou a possibilidade de associar a produção de livros ao festival, revelando autores das periferias. A partir de 2014, foi criado o ‘poetry slam’, que são competições de poesia falada. No ano passado, foi promovida uma gincana literária, envolvendo alunos de escolas do ensino fundamental.

Este ano, Ludemir disse que a Flupp está “radicalizando” no trabalho de criação da memória da favela. “A gente entendeu que a favela tem um grande desejo de registrar a sua memória”. Isso tem sido feito por meio de relatos de moradores mais antigos, chamados moradores-fundadores. A partir desses depoimentos têm sido criadas histórias em quadrinhos contando a história de cada um deles. Os autores das histórias em quadrinhos concorrerão ao Prêmio Flupp HQ. Além de ter a obra publicada, o vencedor, que será escolhido entre candidatos brasileiros e estrangeiros, ganhará passagens para conhecer o Festival de Desenhos Animados de Angoulême, na França, em 2017.

Além de exposição sobre o cinquentenário da Cidade de Deus, a edição 2016 da Flupp apresenta outra novidade, que é o uso da tecnologia de óculos de realidade virtual para contar a história de jovens negros mortos nas favelas do Rio de Janeiro. Na opinião de Julio Ludemir, a realidade virtual, assim como o celular e o computador, que foram novidades no mundo em determinados momentos, acabará sendo incorporada pela sociedade no futuro. “Já tem gente produzindo narrativas a partir disso e nós estamos utilizando essa poderosa tecnologia para contar uma situação dramática da periferia do Rio de Janeiro, que é a desses jovens sendo mortos quase em uma escala industrial. O Brasil é o país que mais mata jovens no mundo”.

Caio Fernando Abreu

O autor homenageado este ano pela Flupp é Caio Fernando Abreu, escritor gaúcho, portador do vírus HIV, que morreu há 20 anos. “Ele foi escolhido pela qualidade do seu trabalho, mas por ser um ícone de uma literatura homossexual brasileira”, salientou Ludemir. Para ele, a obra de Caio Fernando Abreu aponta para uma “periferia existencial” que dialoga com a “periferia territorial”. “E de alguma forma nos leva ao fato de que não existe periferia territorial, sem periferia existencial. A gente está tentando repaginar o que é o Caio Fernando Abreu”. Julio Ludemir não tem dúvida que se o escritor gaúcho estivesse vivo, continuaria sendo um “cara muito antenado”, incorporando situações diárias da realidade jovem à sua literatura.

O idealizador da mostra defendeu que, ao contrário do que pensa a maioria da população, na favela não tem somente “gente analfabeta e burra que gosta de ‘funk’”, mas jovens empreendedores que entraram nas universidades e estão modificando o cotidiano desses locais.

A Flupp 2016 está dando destaque também às questões da população transexual, debate também presente entre os jovens das periferias.  A Flupp acontece na Praça Padre Júlio Groten, na Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP