O HIP HOP EM CARTAZ

0

A terceira edição da Mostra de Filmes Hip Hop entra em cartaz no CineSesc, localizado na região central da capital paulista, com uma homenagem ao premiado diretor Bobbito Garcia, um dos expoentes do Hip Hop de Nova York. Na abertura,  dia 28 de próximo, quarta-feira, haverá apresentação do DJ Q-Bert e exibição do filme “Wave Twisters”, de Syd Garon e Eric Henry, inédito no Brasil e que está completando 15 anos.

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

 

hip hop
Filme Strech na Bobbito – Radio That Changed Lives        Divulgação

Com a curadoria de Rodrigo Brandão, a mostra reúne diversos títulos que celebram a culturaHip Hop, entre longas e curtas, ficções e documentários, divididos nos programas: Old School, Raiz de Rua, DJ, Original Gangsta e Obra Inacabada. Toda programação tem entrada gratuita.

O curador ressalta o componente histórico que veio com a mostra. “Acabamos buscando muita coisa de raiz, de história, de fundamento da cultura, que nunca tinha sido exibido no Brasil e, em outros casos, só foi exibido na época [de lançamento], são informações que se perderam ou ficaram restritas àquelas pessoas que viveram na época”, disse Brandão.

No entanto, a mostra não deixa de retratar a atualidade do hip hop, apresentando os desdobramentos dessa cultura. “Tem um lado que vai mostrar a relação com o esporte, com o basquete, especialmente basquete de rua, vai mostrar a relação com a cultura de [estilo de]tênis, que também é uma parte da cultura de rua”, acrescentou.

Homenagem

O homengeado Bobbito Garcia, conhecido também como Kool Bob Love, ajudou a difundir artistas de rap como Wu- Tang Clan, Jay-Z, Notorious B.I.G e Nas, por meio do programa de rádio que apresentava junto com o DJ Stretch Armstrong nos anos 90. Toda essa história está no documentário “Stretch and Bobbito: Radio That Changed Lives”, que está na programação da mostra e também é inédito no Brasil.

Bobbito também é DJ, colecionador de discos e jogador de pick up basketball, conhecido também como basquete de rua, assunto sobre o qual dirigiu um documentário junto com Kevin Couliau, intitulado “Doin’ It In The Park: Pick-up Basketball, NYC”, que explora a história, cultura e impacto social dos praticantes do basquete de rua.

A mostra promove também um debate sobre a construção de um documentário de hip hop, no programa Obra Inacabada. O evento, que acontece em 1º de outubro, exibirá pela primeira vez o teaser do documentário “Poesia Concreta”, que ainda está em fase de produção e conta a história do rap underground de São Paulo, por meio de artistas como Espião, Ascendência Mista, Elo da Corrente, Academia Brasileira de Rimas, Nitro, Ogi, Mamelo Sound System, e outros. Após a exibição, os diretores do filme farão um bate-papo com o público.

Sabotage

No último dia da mostra (4), haverá sessão do filme “Sabotage: o Maestro do Canão”, lançado em 2015 e que até hoje reúne o público em exibições. “Eu considero um dos mais importantes e mais bem feitos [filmes]da história do cinema documental musical no Brasil”, disse o curador. “Desde o lançamento no começo do ano passado, ele vem sendo bastante exibido”.

Segundo Brandão, Sabotage é um ícone muito forte e atemporal. “O filme sobre ele, dez anos depois da sua morte, causou uma comoção na primeira sessão. Ele foi exibido no auditório Ibirapuera e, de lá para cá, vem alcançando plateias dos mais variados lugares, gêneros, idades, classe social”, afirmou.

O filme sobre o rapper, que, em pouco tempo, se consagrou como um dos nomes mais importantes do rap nacional, reúne depoimentos de familiares, amigos, parceiros e outros músicos, como Mano Brown, Rappin Hood, Sandrão e Helião, Andreas Kisser, BNegão, Paulo Miklos e o cineasta Hector Babenco, entre outros.

A 3ª Mostra de Filmes Hip Hop (https://www.facebook.com/MostraFilmesHipHop/) fica em cartaz de 28 de setembro até 4 de outubro no CineSesc, localizado na rua Augusta, 2075. Os ingressos são gratuitos e o público pode retirá-los até uma hora antes da sessão.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.