O PAÇO, A PRAÇA E O MORRO. NO RIO.

0
Por Paulo Virgílio/Repórter da Agência Brasil

Paço Imperial, na Praca XV

A mostra do centro do Rio de Janeiro reúne  200 imagens de mestres da fotografia brasileira. Foto: Divulgação/Marc Ferrez/Instituro Moreira Salles

Desde as primeiras décadas após a fundação, em 1565, até a virada para o século 20, a cidade do Rio de Janeiro teve como centro de sua vida econômica, social e política o Paço Imperial, a área compreendida pela atual Praça XV e o Morro do Castelo, demolido em 1922. Somente com as intervenções urbanas do prefeito Pereira Passos é que esse eixo se deslocou, com a abertura da Avenida Central, hoje Rio Branco.

Com o objetivo de lançar um olhar privilegiado sobre o prédio com valor referencial único na cidade e seu entorno, o Instituto Moreira Salles (IMS) inaugurou, no próprio Paço Imperial, a exposição O Paço, a praça e o morro.

A mostra reúne 200 imagens de grandes mestres da fotografia brasileira que integram o valioso acervo do IMS, como Marc Ferrez, Augusto Malta, Georges Leuzinger e Guilherme Santos, e também de fotógrafos anônimos e amadores que documentaram o centro da cidade entre os anos de 1860 e 1930.

Diferencial

“É uma história visual dessa região central, que é a região a partir da qual a cidade se desenvolveu. São fotografias que acompanharam a evolução da cidade no século 19 e nas primeiras décadas do século 20, inclusive a demolição do Morro do Castelo. É um registro visual muito forte desse fato marcante, que foi uma cidade tomar a decisão de remover seu local de fundação”, afirmou o curador da exposição, Sergio Burgi.

A mostra é um desdobramento da exposição Rio primeiras poses, realizada pelo IMS ao longo de 2015 em sua sede, na Gávea, zona sul do Rio.

O diferencial fica por conta do olhar dirigido especificamente para o território a partir do qual a cidade se desenvolveu, mas alguns recursos empregados na mostra anterior também estão sendo utilizados na que foi inaugurada sexta-feira.

“São projeções de imagens em grandes dimensões, fotografias e negativos originais de época em vidro, que foram digitalizados em alta resolução e que permitem uma imersão nesse conteúdo de informação. Há uma sala com duas projeções que mostram o processo do Morto do Castelo, antes da demolição e durante o processo de derrubada”, esclareceu o curador.

Jogos Olímpicos

A mostra O Paço, a praça e o morro fica em cartaz até 28 de agosto, cobrindo, portanto, o período em que a cidade sediará um dos mais importantes eventos mundiais, os Jogos Olímpicos.

A visitação pode ser feita de terça-feira a domingo, das 11h às 19h, mas a partir de 5 de agosto o espaço cultural vai abrir uma hora mais cedo para atender às demandas do período olímpico.

A entrada é franca. O Paço Imperial fica na Praça XV de Novembro, 48, no centro do Rio.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.