VIVA O CIRCO! VIVA PIOLIN!

0

A escolha da data para comemorar o Dia Nacional do Circo tem um motivo forte. Foi no dia 27 de março de 1897 que nasceu em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, Abelardo Pinto, filho de Galdino Pinto, dono do Circo Americano. O menino cresceu no circo e, em meio às brincadeiras, ia aprendendo funções da arte que mais tarde passou a defender – das acrobacias ao contorcionismo até se tornar palhaço, a figura central do circo, e passar a ser chamado de Piolin, em 1918.

POR CRISTINA ÍNDIO DO BRASIL, REPÓRTER DA AGÊNCIA BRASIL

Piolin lutou pelas artes circenses e teve o seu trabalho reconhecido. De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, em 1972, para comemorar 50 anos da Semana de Arte Moderna, o circo de Piolin foi armado no Belvedere do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e, nesse ano, a data de aniversário do palhaço se transformou no Dia Nacional do Circo.

Para o coordenador da área de Circo da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Marcos Teixeira, a atividade sempre foi instável, porque são poucos os circos que conseguem patrocínio. Mesmo assim, ele acredita que hoje há razão para comemorar. Como exemplo, citou o Prêmio Funarte Carequinha (outro palhaço famoso dos picadeiros), criado para o desenvolvimento de projetos circenses em todo o país. Segundo Teixeira, desde 2005, quando ainda não era chamado de Carequinha, o edital com a definição de recursos passou de R$ 300 mil para R$ 10 milhões no ano passado. “Pela primeira vez se teve de fato uma coordenação voltada para pensar, elaborar executar políticas para o circo”, comentou em entrevista à Agência Brasil.

O coordenador disse que para este ano ainda não há definição dos valores, e a situação deve ficar mais difícil por causa do ajuste das finanças do governo. “Sabe-se que é um ano difícil com todos os cortes que têm sido feitos em todas as áreas, mas a gente ainda não tem uma decisão de quanto chegará para o circo”, acrescentou.

Apesar disso, há mais um motivo para comemoração. Na avaliação de Teixeira, os projetos ajudam a espalhar a cultura pelo país. “O circo é uma casa de espetáculo itinerante e vai a lugares onde nenhum outro espetáculo ao vivo aparece. Nas cidades mais distantes, nos territórios mais remotos, a presença do circo está lá. Ele leva a arte e a cultura aos lugares mais inóspitos do país”.

No dia de ontem, como que para atender à pergunta que os palhaços costumam fazer – Hoje tem espetáculo? Tem sim senhor… – ele ocorreu em várias partes do país. Na Escola Nacional de Circo (ENC), que fica na Praça da Bandeira, zona norte do Rio, e é a única instituição pública de formação circense ligada ao Ministério da Cultura, cerca de 500 alunos e 40 professores participaram do espetáculo Tudo Novo de Novo.

A escola, criada em 1982, já formou artistas que chegaram a integrar o Cirque du Soleil, companhia canadense que se espalhou pelo mundo. “A escola reúne artistas de múltipla formação, com diversas técnicas circenses, não só os oriundos do circo itinerante, e permite que eles assumam nova perspectiva na sua formação. A escola concentra todos os equipamentos e profissionais qualificados para o trabalho. Ela é a única na América Latina desse tipo”, disse o diretor da ENC, Carlos Vianna.

Ele lembrou que vários alunos, depois de terminar a carreira como artistas, retornam à escola para trabalharem como professores. Os alunos são procedentes de todos os Estados do país. “Desde 2010, a escola tem um programa de bolsa de estudos que permite a alunos de todo o Brasil fazer pelo menos o início do curso contemplados com o benefício. Temos alunos de todo o País com formação de circo em suas regiões e alunos que vêm da ginástica olímpica, da dança, inclusive formados em educação física. Eles procuram a escola para uma complementação da sua formação”, disse.

Para Vianna, neste Dia Nacional do Circo havia o que comemorar. “A celebração do circo como um todo. Estamos em um momento de fortalecimento do circo como linguagem, como manifestação artística e esse é o principal ponto para celebrar”, destacou.

Vida longa ao circo! Viva o circo! Viva Piolin!

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP