BAGUNÇA SEGUNDO FREDERICO DALTON

0

A vidente olha a palma de minha mão esquerda e vê a montanha de louça suja que tenho para lavar. Na minha mão direita ela vê a bagunça em que se encontra minha sala. Compadecida, olha nos meus olhos e agora vê a confusão interna do meu guarda-roupa. Mas como é muito educada, a única coisa que me diz é: “Este será um ano de grandes desafios para você”.

Depois de uma transa deliciosa, a jovem perguntou “Vamos ver um vídeo”? Foi até a sala, ainda totalmente bagunçada pela festa de 21 anos do namorado na noite anterior, e voltou para o quarto com um VHS na mão. O namorado pula da cama. “Onde você achou isso? Guarda lá de volta!” ordenou o rapaz com uma voz e um pavor que paralisaram a moça. Nus, trêmulos e estranhando-se mutuamente, não sabiam o que falar. Só muitos anos depois, casados, quando festejavam a notícia de que iriam ter um filho, ele teve coragem de confessar que o vídeo era a filmagem de seu nascimento.

Cachaça poderosa foi a que Pedro Paulo bebeu na saída da festa junina em Muriqui. Na altura de Itaguaí ele capotou duas vezes, mas conseguiu sair do carro, desvirar o automóvel e continuar dirigindo até Campo Grande, quando parou no acostamento para fazer xixi, sentou-se ao volante e caiu no sono. Entre os amigos do rapaz há os que acreditam que o que salvou Pedro Paulo foi o Santo para quem ele jogou um pouco da cachaça antes de beber.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.