GABRIEL, A DIGNIDADE DA RAINHA MENINO DE DUBLIN

0

A história do brasileiro de vinte anos que trabalha como drag queen na Europa e resiste ao assédio da prostituição nas lentes do fotógrafo Léo Pinheiro, que disponibilizou o texto de Gabriel Ferreira, a personagem Angelinna Lovelace em Fotos Públicas ao qual Revista Publicittà agradece a parceria. “Sou gay desde o útero e isso é natural para minha família. Nunca me questionaram, me policiaram ou tentaram ‘me corrigir’. Eu gosto do meu corpo. Eu me sinto bem com meu gênero. Sou homem. Não tenho vontade de ser mulher, mas sou drag queen.” É desta forma que Gabriel Ferreira se apresenta. O paulista que hoje mora em Dublin, capital da Irlanda, viajou para a Europa com o objetivo de aprimorar o inglês e nos palcos irlandeses deu vida à personagem Angelinna Lovelace.

123PhototasticCollage-2015-09-09-17-20-18

 

Por Gabriel Ferreira (depoimento a Léo Pinheiro)

Estou aqui há um ano e meio. Não sabia o que fazer quando terminei o colegial. Fui fazer faculdade de Relações Públicas em Santos. Me perdi na faculdade. Minha família sempre me deu liberdade para tudo. Drogas e sexo, sempre foram conversados. Nunca foi tabu na minha casa. Mas de repente aquele ambiente de faculdade eu me vi mais livre ainda e não deu certo. A faculdade não era o que eu queria e tranquei.

Então comecei a pensar em sair do Brasil, viver fora. Resolvi vir para Irlanda, já falava inglês razoavelmente bem, vim só para aprimorar o idioma. Mas foi aqui que a minha drag apareceu com mais força. Ela nunca foi uma válvula de escape para mim. Eu faço tudo que quero e tenho vontade, inclusive ser drag queen. Minha drag é uma personagem. Ela apareceu primeiro quanto eu tinha entre 17 e 18 anos. Mas nunca profissionalmente. Nunca montei a Angelinna Lovelace pensando em ser profissional. Ela era uma brincadeira, e uma brincadeira bem esporádica.

Em Dublin, ela surgiu como uma profissão. Foi aqui que eu levei a Angelinna a sério e comecei a usa-la como um catalizador da minha arte. Nunca havia trabalhado na vida. A Angelinna é meu primeiro emprego. E tenho muito orgulho disso. Acho muito legal ter nela minha profissão, principalmente para desfazer um ideia que as pessoas tem sobre as drag em geral. Eu me apresento hoje em um dos principais palcos da cidade. Todas às quartas eu mostro para o público a Angelinna, e isso é algo que me enche de orgulho, pois não é qualquer um que hoje pode fazer um show como eu faço.

Ela é uma personagem extremamente sexual, com muita força no palco.

A Angelinna tem uma performance de palco extremamente sexual. É comum ser assediado. Aqui não existe uma figura do cafetão, ou o agenciador, como é comum no Brasil. Eu apresento meu show em um pub, um pub gay, mas não é um lugar para se fazer programa. Não é a intenção da casa. Mas sempre existem algumas pessoas que confundem a minha arte. Dublin é uma cidade muito turística, tem gente do mundo inteiro, e gente com muito dinheiro. Todo final de show vem sempre um ou outro, e começa a conversar comigo. E você percebe logo que é uma conversa estranha sabe?. Tem um jeito diferente de elogiar… uma coisa meio querendo te induzir misturado com uma conversa de veludo para te seduzir. Eu despacho logo. Mando ir direto ao ponto. Se vier oferecendo dinheiro ou perguntando sobre programa, falo que não, mostro que fico ofendida e saio andando. Ali é a Angelinna que está presente, mas mesmo que fosse o Gabriel seria um não, e um não ainda maior talvez. Não gosto e não quero.

Em Dublin tem prostituição. Como em qualquer grande cidade. Basta abrir qualquer site de acompanhantes aqui para perceber que eles amam a transexual brasileiro. Mas eu não sou trans, eu sou o Gabriel e a Angelinna é só uma personagem. Não quero ceder ao dinheiro. Não preciso. Ok, meu personagem é sexual demais. Ela é uma fantasia de caras que veem meu show. Mas eu não sou uma peça de carne para ser comprada. Eu vim para ser artista. Quero que comprem minhas ideias, meu show e não meu corpo.

Já recebi propostas tentadoras de usar meu personagem para outros meios que não eram o de me apresentar em um palco, entende? Já tentaram me seduzir com dinheiro, enfim, quiseram que eu fizesse a Angelinna virar uma prostituta. Quando eu digo que é muito pesado o assédio é verdade. É tentador? É. Receber €700 por um programa de uma hora é algo que mexe com qualquer um, mas não foi para isso que vim para cá. Eu vim aqui para evoluir, quero fazer uma faculdade aqui, muito provavelmente uma faculdade de artes cênicas. Venho de uma família ótima, meus pais têm condições de me ajudar muito e sei o quanto isso é valioso.

Tem até uma situação engraçada: Eu tinha treze anos, era uma fase que as coisas ficavam mais evidentes. Queria me assumir. As pessoas esperam que você saia do armário. Eu odeio este termo armário e nunca estive no armário. Então fui conversar com a minha mãe: Mãe, eu preciso contar uma coisa para você. Meu Deus Gabriel. O que houve? Mãe… Eu não gosto de menina. Eu gosto de meninos. Eu sou gay. Gabriel! Todo mundo sabe disso! Você quer me matar do coração? Achei que era droga. Toda nossa família sabe que você é gay! Não tem problema nisso. Pelo amor de deus! Você tem que ser feliz meu filho. Mas mãe, não conta para o meu pai. Filho! Todo mundo sabe, se você quiser contar para seu pai, só não faz este drama para não preocupar ele.

Sei que o que estou vivendo hoje com vinte anos, é algo muito forte. Meus pais virão em breve para cá, e pela primeira vez vão poder me ver atuando. Eles nunca viram a Angelina no Brasil, mas tenho certeza que irão adorar. Graças a eles estou aqui, consigo viver com a minha arte, vim para ser artista, e é isso que sou hoje.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP