MERYL STREEP VERSUS TRUMP NA CERIMÔNIA DO GLOBO DE OURO

1

Por Carlos Franco

Meryl Streep recebeu na noite do domingo, 8, quando já era madrugada desta segunda-feira, 9, no Brasil, o troféu Cecil B. DeMille Award pelo conjunto de sua obra cinematográfica na 74ª edição do Golden Globe Awards no hotel Beverly Hilton, em Beverly Hills, no Condado de Los Angeles, Califórnia, USA. Num discurso emocionado, a atriz fez críticas diretas e contundentes ao republicano Donald Trump, que assume o comando da Casa Branca, sede do governo norte-americano, no próximo dia 20. Meryl Streep atacou a xenofobia de Trump e a forma grosseira com que ele trata jornalistas e a imprensa.

Meryl Streep foi anunciada por Viola Davis, que também a apresentou de forma emocionada lembrando o olhar da atriz, que nota as outras pessoas e que a notou. Ajudou corrigiu, a inspirou a ponto de que, agora, ela mesma se nota como atriz destacando o talento e o respeito que Meryl Streep tem pela arte de interpretar.

“Hollywood é povoada com estranhos e estrangeiros e se você chutar todos nós para fora, você não terá nada para assistir exceto futebol e artes marciais misturados, que não são artes”, afirmou num discurso direto a Trump, que tem defendido propostas xenófobas desde a campanha presidencial. Com voz fraca e lágrimas nos olhos, ela citou as diferentes nacionalidades e diferentes culturas e regiões que fazem de Hollywood o que é hoje, lembrando que são “um bando de pessoas de outros lugares” os responsáveis pela indústria cinematográfica norte-americana. Ela citou que a meca do cinema acolheu pessoas como ela e como Sarah Paulson, Sarah Jessica Parker, Amy Adams, Natalie Portman, Ruth Negga, Viola Davis, Dev Patel e Ryan Reynolds e que é essa diversidade que cria a cultura e a estabelece pontes de comunicação, enriquece o pensamento e o modo de pensar e agir.

Ao agradecer o prêmio conferido pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, que criou o Golden Globe Awards, Meryl Streep ressaltou a importância dos jornalistas para a sociedade e o papel que exercem na defesa dos direitos de todos. A atriz teve na noite da cerimônia reconhecida a sua brilhante carreira e interpretações que resultaram em 19 indicações ao Oscar, um recorde, e a conquista de três estatuetas, 30 indicações ao Globo de Ouro, vencendo nove, incluindo o troféu que recebeu ontem, além de prêmios internacionais como os dos festivais de Cannes e Berlim. O seu primeiro grande prêmio foi conquistado com o filme Kramer Versus Kramer, relembrado no telão nesta noite de Meryl Streep Versus Donald Trump.

Meryl Streep, em seu discurso, foi ainda mais direta nas críticas a Donald Trump ao lembrar a forma com que este zombou da deficiência física do jornalista Serge Kovaleski, do The New York Times, que tem enfrenta a atrofia de movimentos dos braços. “Isso quebrou meu coração quando eu vi e eu ainda não consigo tirar da cabeça porque não estava em um filme, era na vida real.”

“O desrespeito convida ao desrespeito, a violência incita à violência”, disse Meryl Streep chamando a imprensa a se levantar contra Trump e concluiu sua fala, aplaudida por uma auditório lotado, com transmissão ao vivo da cerimônia pela poderosa rede NBC, citando uma frase da Princesa Leia, interpretada por Carrie Fischer que morreu na última semana de dezembro seguida, um dia depois, por sua mãe, a também atriz Debbie Reynolds: Take your broken heart, make it into art (tome o seu coração partido, faça-o na arte).

Compartilhar.

Sobre o autor