OLACYR DE MORAES, O FIM DE UMA ERA

0

Morreu na madrugada de hoje (16), no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o empresário Olacyr de Moraes. A notícia foi divulgada na página oficial do empreendedor, que tinha 84 anos. Segundo a nota, ele sofria de um câncer no pâncreas, diagnosticado no começo do ano passado.

 

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil 
Nascido em Itápolis, interior paulista, Olacyr ficou conhecido, na década de 1980, como Rei da Soja. No período, ele chegou a ser o maior produtor mundial do grão. Com o pai, na década de 1950, o empresário iniciou a carreira no ramo de transportes.

De acordo com informações da página do empresário, os negócios cresceram quando a empresa passou a atuar também no ramo da construção civil, prestando serviços de pavimentação de ruas para a prefeitura de São Paulo. O então jovem Olacyr vivia na capital paulista desde os 14 anos, para onde se mudou acompanhando a família.

Em 1971, o empresário abre o capital de sua empresa, a Constran, que passa a ser uma sociedade anônima. O aumento dos investimentos permitiu que a companhia pudesse atuar na engenharia civil pesada, construindo aeroportos, ferrovias e emissários submarinos. A empresa participou, inclusive, do início das obras do metrô de São Paulo.

Beneficiado por incentivos e créditos da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Olacyr passou a investir em agropecuária em Mato Grosso. Em 1973, fundou a Itamarati Agro Pecuária S.A. em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul. A propriedade tinha 50 mil hectares destinados ao cultivo de soja, milho, arroz, trigo e algodão. Dois anos depois, inaugurou em Diamantino, Mato Grosso, a Fazenda Itamarati Norte, com 110 mil hectares.

Na década de 80, o empresário chegou a ser o maior produtor individual de soja, quando passou a ser conhecido como Rei da Soja. À época, Olacyr atuava ainda no setor sucroenergético, com as Usinas Itamarati, com 100 mil hectares em Nova Olímpia, Mato Grosso.

Na década de seguinte, o grupo de Olacyr sofreu perdas com a construção da Ferronorte, estrada de ferro ligando Mato Grosso a São Paulo. O empreendimento não teve o retorno esperado por causa de atrasos no projeto. Também houve prejuízo com a instalação de duas usinas hidrelétricas em Mato Grosso. O empresário pretendia vender parte da energia gerada pelos empreendimentos, o que não foi possível.

Em 2004, a Fazenda Itamarati foi vendida ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para implantação de um assentamento em Ponta Porã. Em 2002, Olacyr havia perdido uma ação em que tentava anular as dívidas da propriedade. A venda da fazenda marcou o período em que o empreendedor teve de se desfazer de grande parte do patrimônio. Em 2003, foi fundada a Associação de Credores da Constran e de Olacyr de Moraes para cobrar judicialmente as dívidas do empresário.

 

NOTA OFICIAL DA SOCIEDADE RURAL BRASILEIRA

Com pesar, recebemos a triste notícia do falecimento do empresário Sr. Olacyr de Moraes, sócio da Sociedade Rural Brasileira.

Reconhecidamente, foi corajoso e visionário. Acreditou na potencialidade e na grandeza do agronegócio em grande escala e a longo prazo.

Grande empresário, atuou como banqueiro e industrial da construção civil. Na agropecuária, Olacyr alcançou maior destaque. Pecuarista e agricultor no Cerrado, trabalhou com proeminência na produção de diversas culturas, como a de soja, mercado em que se tornou o maior produtor mundial da oleaginosa.

Empreendeu investimentos ousados em regiões carentes de infraestrutura, que se tornaram modelos de produtividade, como o Estado do Mato Grosso. Na região, criou a empresa Usinas Itamarati, a maior do mundo em quantidade de cana esmagada por safra.

Também criou a Ferronorte, a primeira ferrovia executada pela iniciativa privada no País, hoje responsável por parte do escoamento da soja produzida na região oeste do Brasil. Juntamente com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ainda financiou importantes pesquisas para o lançamento de variedades mais produtivas de algodão, soja e trigo.

A SRB perde um importante sócio e o Brasil, uma referência.

Com o mais profundo sentimento,

Gustavo Diniz Junqueira
Presidente da Sociedade Rural Brasileira

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP