A ARTE NOS PRATOS DO SPOLETO

0

Democratizar a arte, descobrir novos talentos! Com essa pegada, desde 2003 o SPOLETO nutre seu projeto cultural, que se propõe a aproveitar os restaurantes da rede por todo o país (hoje são 360) como pontos de difusão do trabalho de artistas brasileiros contemporâneos. A primeira coleção de pratos distribuiu 21 mil unidades. A última, em 2015, 220 mil. Ao todo, foram mais de 850 mil peças distribuídas ao longo desses 13 anos.

A 9ª edição da campanha de pratos Spoleto, em novembro, chega com uma grande novidade. Pela primeira vez, o projeto foi aberto ao público, que enviou sua “obra de arte” para votação por meio digital. Foram mais de 500 obras recebidas de todos os cantos do Brasil.

O belo resultado estará estampado na coleção Minha Cozinha Italiana, com seis criações de jovens e, até agora, anônimos talentos. De interpretações mais objetivas a versões mais lúdicas, as peças falam sobre a culinária italiana, com desenhos que agradam a diferentes perfis.

Os vencedores, entre 24 e 38 anos, são naturais de cinco estados diferentes: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul. O perfil, no entanto, é similar: designers, artistas plásticos, ilustradores, ou seja, todos ligados à arte. O desafio proposto de associar o mundo artístico ao gastronômico foi vencido. “Explorei as referências, texturas e a combinação entre a beleza dos traços femininos em harmonia com os traços culinários”, defende Carlos Augusto Lima, autor da Gioconda, um dos ganhadores.

O processo / a votação

Partindo de um dos valores da marca, a autoria, qualquer pessoa pôde colaborar. Os participantes deveriam seguir o gabarito do prato e o tema, tendo como inspiração os ingredientes do menu, “pirando na criação” e ousando o quanto pudessem!

Um júri especializado – formado por nomes como Mana Bernardes, Fred Gelli, Mateu Velasco, Kalina Juzwiak e Destemperados (multiplataforma de conteúdo gastronômico) – julgou e selecionou 20 artes, que foram disponibilizadas para voto popular.

– Queremos descobrir e dar oportunidade a novos talentos. A arte está presente no nosso DNA e, assim como o cliente tem autonomia para criar seu próprio prato, também poderá criar uma obra de arte para o Spoleto – declara a diretora geral da rede de culinária Viviane Barros.

Os vencedores receberam de remuneração cerca de R$ 8 mil e terão a chance de ver sua arte pulverizada em todo o país, em 350 restaurantes da rede. O Spoleto vai distribuir 220 mil pratos.

 

Campanha/Investimento

A campanha teve início no último dia 4 de novembro e permanecerá enquanto durarem os estoques. O investimento foi na ordem R$ 2,2 milhões e o Spoleto estima incremento de 8% nas vendas no período da ação.

A arte e os artistas (depoimentos)
Gioconda – Carlos Augusto Lima – 25 anos, designer e estudante de artes – natural de Acajutiba (BA); mora em Salvador.
“A arte foi inspirada nas apetitosas curvas da tradicional massa Fettuccine e na autêntica Cozinha Italiana! Foram exploradas as referências, texturas e a combinação entre a beleza dos traços femininos em harmonia com os traços culinários”.

Ingredientes Unidos – Mauro Martins – 34 anos, artista plástico e já atuou como diretor de arte em agências de propaganda – natural de Ituiutaba (MG); mora em Brasília.
“A arte contempla absolutamente todas as opções de ingredientes disponíveis no cardápio do Spoleto. Todos unidos por molhos em forma de espirais. Como resultado, a arte é uma textura gráfica, homogênea e contemplativa, com caráter interativo que convida as pessoas a brincarem de encontrar seus ingredientes preferidos”.

Aventura Cotidiana – Carolina Rempto – 24 anos, designer gráfica e ilustradora – natural de Petrópolis (RJ), onde reside.
“Entre mares agitados feitos de spaghetti e almôndegas, em um barco de lasanha, pássaros-bacon voam até quase alcançar uma lua feita todinha de queijo! De remo à colher-de-pau, a hora de comer passa longe do tédio, enquanto temperos caem do céu e o horizonte não determina limites à imaginação. Comer é magia pura, uma oportunidade de se aventurar todos os dias”!

Mangiare Bene – Gi – Gicelle Archanjo – 38 anos, artista plástica – natural de Guarulhos (SP); mora em São Paulo.
“Comer bem também é uma arte! Combinar os ingredientes certos é mergulhar numa experiência que mistura amor e tradição. Mangiare bene”!

Mix di Sapori – Flavia Andrioli – 23 anos, estudante de design – natural do Rio de Janeiro; mora na mesma cidade.
“A arte foi inspirada no comprimento longo do spaghetti e nas curvas formadas por essa massa. Misturados ao spaghetti, como um verdadeiro prato da culinária italiana, estão os saborosos ingredientes”.

Noite estrelada de Lumaconi – Eduardo (Dudi) Rostirolla– 28 anos, diretor de arte – natural de Porto Alegre (RS); mora no Rio de Janeiro.
“Essa arte traz o spaghetti, prato clássico italiano, como o símbolo de conexão entre um casal apaixonado em uma noite romântica, ambientada pela paisagem do céu e pela Torre de Pisa.”

Como adquirir um prato da coleção

Os clientes poderão escolher entre quatro combos** e ganhar um dos seis pratos. Na compra da refeição, com preço a partir de R$ 28,90, leva um dos pratos da coleção! As opções são: massa italiana tradizionale + bebida + Spolate; Salada grande + filé de frango + bebida; Cappelletti + bebida + Mil folhas; Massa Alfredo + tiras de frango + bebida, e Controfiletto + massa ou salada**.

O prato também pode ser adquirido de forma avulsa nos restaurantes, a R$ 29,90.

**Os restaurantes que apresentam menu de carnes oferecem cinco combos!

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.