A vez da telinha

0

Wago Figueira

Nos últimos dois anos, as agências de propaganda têm sido sacudidas por pesquisas e mudanças de hábito de consumidores. Mais: a convergência de mídia tem tudo a ver com os aparelhos celulares. Pesquisa do IBOPE mídia, por exemplo, mostra que, independentemente de classe social, um quarto dos domicílios brasileiros tem pelo menos duas linhas de telefone móvel.

Esse desafio é até maior do que o da televisão de alta definição (HDTV), especialmente porque o Brasil é um país de antenas parabólicas. A mesma pesquisa revelou que as classes mais baixas e as grandes concentrações nas zonas rurais – onde se localiza a riqueza do agronegócio – fazem uso da antena parabólica, embora nos grandes centros urbanos a predominância seja de antenas internas.

Não é à toa, portanto, que multiplicam-se as ações de marketing das operadoras de telefonia celular, disponibilizando o maior número de contéudo ligado a produtos e serviços.

A Claro, por exemplo, firmou acordo com a Rede TV e tem oferecido aos seus usuários papéis de parede, toques e despertadores dos personagens do programa. Já a operadora Oi, que tem grande atuação no mercado carioca, disponibilizou a transmissão dos desfiles do Fashion Rio pelo seu sistema Oi TV Móvel, que também transmite os canais MTV, BAND, ESPN, Discovery e Cartoon Network, além do canal Humanóides, que é produzido pela Raccord exclusivamente para a operadora.

A Vivo segue a mesma linha de conteúdo, apostando sempre no público jovem com material de grandes artistas da música pop nacional e internacional. A Tim em suas campanhas publicitárias também já mostra a que veio com seus personagens desenhados no estilo Toy Art, movimento que virou mania nas cidades cosmopolitanas.

Além dessas estratégias de marketing pontuais, as operadoras já conseguiram proliferar com diferentes parceiros o serviço de SMS (Mensagens por celular). A TV Globo por exemplo, tem registrado um número elevado de SMS desde o lançamento do Big Brother Brasil 8 no início do ano. Já o mercado executivo, faz uso do SMS para cotações de bolsas, câmbio, ouro, inflação e outros indicadores.

Embora todos os serviços oferecidos pelas operadoras tenham como alvo o usuário das classes A e B, a intenção é que este público, formador de opinião, propague o uso para as classes mais baixas. Detalhe: as classes C, D e E com o objetivo de demonstrarem status, são portadoras de aparelhos de última geração mesmo com contratos pré-pagos. Não é difícil encontrar nas ruas de São Paulo, motoboys com aparelhos Black Berry e muitos outros com sistema bluetooth, que vem sendo usado por agências de publicidade nos Estados Unidos. No último Natal, por exemplo, consumidores cadastrados pela Macy’s ao passar por suas vitrines eram alertados para as ofertas à sua frente. A Nissan, por sua vez, comprimentava o usuário dos seus últimos modelos, assim que eles passavam por outdoors da marca fixados em auto-estradas.

No Brasil, essas estratégias, para serem mais efetivas, ainda é preciso que as operadoras ampliem a fatia de consumidores pós-pagos.
A pesquisa do IBOPE Mídia revela que a maioria dos usuários são jovens e assinam planos pré-pagos, ou seja, limitam o download de conteúdo. Para baixar determinados pacotes de dados, o jovem precisa consumir uma elevada carga de créditos.

O fator renda dos usuários, porém, parece ainda não ser uma grande preocupação para as operadoras. Tanto que, em dezembro, pagaram gigantesco ágio no leilão de licença da banda 3G (Terceira geração), que vai permitir que os usuários se vejam em tempo real (como no MSN) enquanto conversam. Uma hora, no entanto, essa conta terá de ser repassada ao consumidor. No momento, porém, parece interessar mais às operadoras não ficar para trás nas guerras pelas novas tecnologias.
Apesar da cirrada disputa de serviços e tarifas, o consumidor não abre mão da sua operadora por dois motivos. Um deles é o número do aparelho, face ao temor de perder os contatos que não são frequentes. Outro motivo é o uso por amigos e familiares de uma operadora comum, o que representa uma economia de gastos.

Também a favor das operadoras, está o fato de os aparelhos celulares, devido a inúmeras promoções de vendas, terem se transformado em instrumento de status. Mesmo que não tenha dinheiro para comprar uma camisa de grife e assim sustentar a sua auto-estima, há a possibilidade de se ter um celular como instrumento de acesso ao mundo das classes A e B. E a propaganda vive, em todas as situações, do aspiracional. Desse não tão obscuro objeto do desejo.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP