ARTEMISIA E AS HISTÓRIAS DAS MÃES EMPREENDEDORAS

0

O número de mulheres que empreendem tem aumentado a cada ano no Brasil. A pesquisa quantitativa “Empreendedores de Impacto” – conduzida pela Artemisia em parceria com a Din4mo – mostra que 31% dos negócios de impacto social são geridos por mulheres. Pioneira no Brasil na disseminação e no fomento de negócios de impacto social, a organização reuniu um time de mães-empreendedoras de startups para debater quais são os desafios das mulheres que conciliam empreendedorismo de impacto e maternidade.

São Paulo, 6 de maio de 2016 – O impacto da maternidade na carreira das brasileiras foi, durante vários anos, objeto de apreensão para profissionais que associavam a gestação à estagnação do processo de ascensão nas empresas. A necessidade de mais tempo para exercer a maternidade e o questionamento das prioridades diárias impulsionaram muitas mulheres a empreender. Pesquisa conduzida pela Artemisia em parceria com a Din4mo mostra que 31% dos negócios de impacto social são geridos por mulheres. Na prática, muitas encontraram no empreendedorismo um novo significado; uma forma de conciliar maternidade e profissão.

Com uma excelente visão de longo prazo, capacidade de resolução de conflitos, talento para comandar equipes multiprofissionais e empatia com problemas e desafios alheios, as mulheres reúnem características extremamente relevantes – sobretudo para empreendedoras que investem em negócios de impacto social. O modelo é composto por empresas que oferecem, de forma intencional, soluções escaláveis para problemas sociais da população de baixa renda. O Brasil vive um momento de expansão de empreendimentos que constituem uma forte tendência contemporânea; as mulheres, por sua vez, têm despontado nesse cenário com iniciativas inovadoras.

Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia ­– pioneira na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil –, afirma que nos últimos dois anos atentou para um aumento no número de mulheres que estão buscando empreender não apenas em negócios tradicionais, mas em negócios de impacto social nos setores de educação, saúde, serviços financeiros e habitação. “A educação, principalmente, é um setor que tem despontado como mercado com mais mulheres empreendedoras”, afirma. Para saber mais sobre as dores e sabores de empreender e ser mãe, a equipe da Artemisia perguntou a cinco empreendedoras de negócios de impacto social – startups aceleradas pela organização e iniciativas participantes do programa de pré-aceleração Artemisia LAB Primeira Infância – quais são os desafios enfrentados em conciliar vida de empreendedora e a maternidade.

 

Patrícia Marinho e Patrícia Camargo, empreendedoras do Tempojunto

Tempojunto, iniciativa pré-acelerada pela Artemisia no LAB Primeira Infância, projeto que tem como principal objetivo mostrar aos pais – e tios, avós, cuidadores – a importância do brincar para o desenvolvimento das crianças e fortalecimento do vínculo na família. A empresa oferece, de forma prática, dicas, sugestões de brincadeiras e atividades que possam ser feitas pela família: juntos, não importando o local onde estão, o tempo disponível ou a condição financeira. O canal na internet www.tempojunto.com.br possui conteúdo de qualidade, postagens diárias com brincadeiras para crianças de 0 a 10 anos. No blog Saúde Infantil do Hospital Sabará e no Catraquinha Livre também há conteúdo produzido pelas empreendedoras.

“O maior desafio foi começar o projeto Tempojunto, que tem justamente a característica de se moldar à nossa vida com nossos filhos. Fazer conteúdo sobre brincadeira significa que temos que brincar com as crianças. Então, parte do trabalho já inclui o tempo com os filhos. Além disso, sermos sócias com as mesmas características mãe/empreendedora facilita a compreensão das necessidades de tempo e horários de uma e outra. Por outro lado, o Tempojunto cresceu e está no mercado. O trabalho aumentou, as responsabilidades também e o tempo se torna, claro, o grande vilão do negócio em contrapartida com a necessidade de estarmos com os filhos.

Resolvemos trabalhando muito focadas nos horários de trabalho e fazendo horários alternativos de produção como, por exemplo, depois das 22 horas, ou antes de 8 horas. Também deixamos claro para os parceiros que somos mães/empreendedoras o que impacta, também, por exemplo, em horários de reuniões. Lançamos também mão de recursos tecnológicos, como Skype, para reuniões.

Djali Valois, empreendedora da Mentes Brilhantes 

A Mentes Brilhantes, participante do programa Artemisia no LAB Primeira Infância de pré-aceleração, é uma empresa de tecnologia educacional que promove o brincar como estratégia de desenvolvimento humano – uma fusão de brinquedos, games, internet das coisas e psicomotricidade. O empreendimento tem como objetivo apresentar uma visão inovadora para a educação: significativa, crítica, em que o aprendente é automotivado e busca o conhecimento com atitude. Como a vida, a educação é integrada e não dividida em disciplinas. Une a ciência, a tecnologia; o social e a psicomotricidade como base de nossas propostas, em que o desenvolvimento motor suporta o desenvolvimento cognitivo, emocional e afetivo; estimulando uma atitude faça-você-mesmo, centrada no estudante e que seja relevante no seu contexto social, e mesclando tecnologias digitais e não-digitais. Centrados na cultura Maker, o grande estímulo é o montar e desmontar, desconstruir, reinventar, como nos laboratórios de garagem e nossas ofertas apresentam estímulos e insumos para que os makers dentro de cada um de nós brotem com força total.

“Com duas crianças, sendo um bebê pequeno, que mamava, eu estudando… Foi muita vontade de que desse certo; captação de recursos que possibilitaram contratar colaboradores e MUITO e INCONDICIONAL apoio da família, que realizou esforços imensos para ajudar das formas mais diversas. O marido, que sempre foi um pai excepcional e continua sendo um pai extremamente amoroso, presente e criativo.”

Nuricel Villalonga, empreendedora da Alpha Lumen

A Alpha Lumen, negócio acelerado pela Artemisia, é uma escola de ensino médio e Fundamental II, especializada em estudantes com altas habilidades. A empresa identifica, seleciona e estimula esses estudantes, preparando-os para as melhores universidades do Brasil e do mundo por meio de três principais pilares: definição de metas de aprendizado individualizadas; estrutura pedagógica motivadora, respeitando as singularidades de cada aluno; e ambiente de aprendizado colaborativo com estudantes participando ativamente de decisões. O Instituto Alpha Lumen foi criado em 2007 por Nuricel Villalong Aguilera. Na ocasião, o filho tinha 10 anos.

Certamente o maior desafio é articular o tempo dispensado à família e ao empreendimento. Empreender demanda uma dedicação que facilmente rouba tempo dedicado aos filhos, marido e amigos. Estabelecer limites ou otimizar o tempo disponível para as atividades pessoais e familiares é o grande desafio!”

Thais Albernaz Guimarães, empreendedora da Casa Cuca

A startup, acelerada pela Artemisia em 2014, atua no desenvolvimento de metodologias e ferramentas de ensino – físicas e digitais – que ativam as habilidades cognitivas do aprendizado de crianças, jovens e adultos. As soluções beneficiam especialmente crianças com dificuldade de aprendizagem e as que querem melhorar a pronúncia e leitura em inglês. A aplicação pode ser feita por profissionais de educação e saúde, que serão capacitados pela Casa Cuca. Criada em 2011 por Thais Albernaz Guimarães e Tatiana Brochado, a empresa conta com ferramentas lúdicas ou digitais, que auxiliam os professores a lidar com a questão de forma descontraída e eficaz no que se refere à melhora do desempenho do aluno. As ferramentas também auxiliam fonoaudiólogos e psicólogos a aumentar a eficiência em tratamentos com estímulos cognitivos; trabalho que contribui para a melhora na qualidade de vida social e familiar dos pacientes.

 

“Acho que o início do trabalho empreendedor demanda muitos sacrifícios em especial financeiros. Deixar a estabilidade (ao menos aparente) de um trabalho CLT para empreender pode ser bem difícil, imagino que principalmente para as mulheres que desejam ter filhos. A não estabilidade pode deixar muitas mães em maus lençóis e, pensando na empresa, acredito que são poucos os novos empreendimentos que podem tolerar a ausência do empreendedor.”

 

Iara Cezário, empreendedora da 3iD Fisioterapia

Fundada em 2009 em Brasília, a 3ID Fisioterapia – negócio de impacto social acelerado pela Artemisia e criado por profissionais com ampla experiência em fisioterapia – atuava, até então, com a alta renda. Motivados a atender a um público que deseja um tratamento de alta qualidade, mas não tem condições de pagar as mensalidades, os empreendedores resolveram revisitar o seu modelo de negócio para ter impacto social e aproveitar uma oportunidade de mercado.

 

“O maior desafio, com certeza, é conseguir conciliar todos os afazeres que a mulher já tem com o grande desafio de criar e gerenciar um negócio. Sabemos que é imprescindível dedicar grande parte do tempo diário para que o empreendimento dê certo e temos que lembrar que a mulher empreendedora, além de precisar ser boa gestora, tem que ser boa dona de casa, excelente esposa e uma mãe dedicada. Como mulher, sinto que a cobrança sobre nós é um pouco maior, pois nenhuma outra área da vida pessoal pode ser prejudicada quando somos donas de empresa. Diferente do homem empreendedor que recebe toda compreensão da sociedade quando inevitavelmente “falha” em determinadas situações do dia a dia.”

ARTEMISIA

A Artemisia é uma organização sem fins lucrativos, pioneira na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil. A missão da organização é inspirar, capacitar e potencializar talentos e empreendedores para criar uma nova geração de negócios que rompam com os padrões precedentes e (re)signifiquem o verdadeiro papel que os negócios podem ter na construção de um país com iguais oportunidades para todos. Fundada em 2004 pela Potencia Ventures, a ARTEMISIA possui escritório em São Paulo.

A Artemisia foi a primeira organização do Brasil a fazer parte da Omidyar Foundation, a mais respeitada organização no setor de investimento de impacto, fundada  por Pierre Omidyar, empreendedor do Ebay. Recentemente, a ARTEMISIA também foi anunciada como uma das cinco organizações selecionadas, entre 115 de toda a América Latina, pelo edital da Rockefeller Foundation, Avina, Avina Americas e Omidyar. www.artemisia.org.br

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.