AS TRISTES ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES NAS ESTRADAS EM FILMES

0

A ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) inicia neste fim de semana, junto com o Detran/SP e o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, mais uma etapa da campanha de conscientização sobre segurança viária ao dirigir nas rodovias paulistas e vias das cidades. São 11 vídeos que começam a ser veiculados na televisão e também nos meios digitais, onde o público poderá interagir.  A campanha tem forte apelo emocional e psicológico, com o objetivo de sensibilizar motoristas, motociclistas, pedestres e passageiros a respeitar as leis de trânsito para evitar acidentes.

O mote da campanha mostra pessoas comuns, numa projeção do que vai ocorrer em suas vidas. Todos os filmes mostram pessoas que serão envolvidas em acidentes de trânsito, nas rodovias e nas cidades, e que acabarão morrendo, virando “estatística” sobre acidentes. “Ou a gente muda de atitude ou vira estatística” é o slogan dessa etapa da campanha. Os vídeos revelam ainda que 94% dos acidentes são causados por falha humana, o que empreende – urgentemente – a mudança de atitude de motoristas, passageiros, motociclistas e pedestres para não perder a vida e virar “estatística”.

“Esta é mais uma etapa do trabalho desenvolvido pela ARTESP na prevenção de acidentes e diminuição dos números de mortos e feridos nas rodovias paulistas. Trata-se de um trabalho contínuo, desenvolvido há quase 17 anos, e que vem tornando as rodovias paulistas sob concessão as mais seguras do Brasil. Com esse trabalho de prevenção de acidentes conseguimos salvar muitas vidas. O objetivo é aumentar cada vez mais a seguranças nas rodovias e possibilitar aos usuários uma viagem mais segura e tranquila. Se cada um fizer sua parte, todos ganham. A vida sempre tem preferência”, explica o diretor geral da Agência, Giovanni Pengue Filho.

A ARTESP é responsável por cinco dos 11 vídeos. O “Pai e Filha”, com o depoimento de uma garotinha que vai morrer em acidente com veículo conduzido pelo pai que gosta de alta velocidade; o “Grávida” com a história de motorista que faz ultrapassagem perigosa e bate de frente com o veículo com uma mulher grávida; o “Manobra Arriscada”, com um motociclista imprudente; o “Passarela”, sobre a necessidade de utilizar passarelas para atravessar rodovias; e o “Machão”, sobre rapaz que ingere bebida alcoólica e abusa na velocidade, imaginando que nada vai lhe acontecer. Os filmes serão divulgados ao longo de novembro, a partir de hoje. O primeiro é o “Pai e Filha”. 

Acesse os filmes “Pai e Filha” https://www.youtube.com/watch?v=7p4Bv6lrPTE ; “Grávida” https://www.youtube.com/watch?v=IoLY34es79Q&feature=youtu.be 

Campanha “Estatísticas”. Motoristas, passageiros e pedestres estão tão acostumados às estatísticas sobre a violência e as mortes no trânsito, que os números já não impressionam nem sensibilizam mais. Mas é esquecido que, por trás de cada número, cada ocorrência, existem vidas e sonhos, interrompidos pela irresponsabilidade e imprudência. 

A ideia da campanha da ARTESP e do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é abordar de forma simples e direta, mas ao mesmo tempo memorável, que se não houver revisão dos hábitos e comportamento mais corriqueiros no dia a dia, a perda de vidas em acidentes nas rodovias e vias das cidades poderá virar meros números dentro das estatísticas. Porque estas estatísticas, que assombram pelos índices altíssimos, são formadas por seres humanos, famílias, pais, filhos, crianças. E, uma vez que são estatísticas, pode ser qualquer pessoas que venha a causar ou ser vítima da imprudência ou da irresponsabilidade no trânsito.

Nessa linha de raciocínio, os filmes mostram pessoas que tecem relatos dramáticos e singelos sobre o que vai acontecer com elas no futuro, em função do próprio comportamento ou de familiares e amigos no trânsito. Dentro do contexto de “futuro”, um acidente grave ou mesmo a morte passa a ser uma possibilidade real a envolver qualquer um, seja como motoristas, ciclistas, motociclistas ou pedestres. O objetivo da campanha é provocar uma real mudança de comportamento da população, o que só pode ser feita através de um processo contínuo e interativo. Dessa forma, a população assume seu papel de relevância como protagonista de um movimento no qual a preferencia será sempre pela vida.

Diminuição acidentes. Essas e outras ações tornam as rodovias paulistas mais seguras. Entre 2010 e 2015, o índice de mortos da malha rodoviária sob concessão caiu para menos da metade – a redução foi de 51,7% nas rodovias da primeira etapa do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo. Considerando toda a malha atualmente sob concessão – 6,9 mil quilômetros de rodovias – a queda apenas no primeiro semestre desse ano foi de 4,4% em relação ao mesmo período de 2015 – passando de 429 vítimas fatais para 410. 

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é um programa do Governo do Estado de São Paulo que tem como principal objetivo reduzir pela metade as vítimas fatais nos acidentes de trânsito no Estado de São Paulo até 2020. O programa nasceu inspirado na Década de Ação Pela Segurança Viária, período de 2011 a 2020 estabelecido pela Organização das Nações Unidas para chamar atenção para a questão da violência no trânsito.

Para que a meta seja alcançada, o Governo de São Paulo intensificou esforços em ações voltadas para educação no trânsito, segurança das vias e veículos, além de gestão nas respostas para acidentes. 

Uma importante ferramenta para auxiliar na elaboração de políticas públicas relacionadas à segurança no trânsito é o INFOSIGA SP, um banco de dados que reúne informações de acidentes de trânsito de diversas fontes. Com esse mapeamento, as ações serão traçadas com ainda mais precisão, resultando em benefício a toda a sociedade.

Alguns municípios também firmaram convênios com o Governo para que iniciativas locais sejam aplicadas e seus resultados sirvam de modelo para outras cidades do Estado. Outra frente de destaque do Movimento é o trabalho integrado e a atuação planejada das principais instituições que compartilham responsabilidades relacionadas ao tema, além do envolvimento da sociedade civil. Já são 20 parceiros e o objetivo é que as adesões aumentem. Afinal, o Governo de São Paulo acredita que segurança no trânsito é para todos.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.