Brasil comemora número de eventos

0

 A notícia de que o Brasil integra o TOP 10 de países que mais sediam eventos internacionais no mundo foi recebida com euforia pelos profissionais da área. A classificação, que é realizada anualmente pela ICCA (International Congress and Convention Association), a principal associação internacional de congressos e convenções, coloca o País na sétima posição, com a realização de 207 eventos, em 2006. É uma diferença de quatro colocações em relação ao ranking 2005, quando o Brasil foi o 11º, com 145 encontros.

O País ainda se manteve como o melhor colocado em toda a América Latina e o segundo melhor das Américas – atrás apenas do líder Estados Unidos, com 414 encontros. Ficou à frente de destinos tradicionais de grandes eventos, como Áustria (8º, 204 eventos), Austrália (9º, 190) e Holanda (10º, 187). Entre as cidades brasileiras listadas, São Paulo (SP) foi a mais bem colocada. No 18º lugar, com 54 eventos, a capital paulista é a melhor posicionada nas Américas. O Rio de Janeiro (RJ) vem em seguida, na 26ª colocação, com 48 encontros.


O CEO da Reed Exhibitions no Brasil e ex-presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Eduardo Sanovicz, lembra que a entrada do Brasil no TOP 10 se deu um ano antes do prazo estipulado. “Em 2003, constatamos que promover apenas Sol e Praia era limitador. Então, decidimos criar a diretoria de Turismo de Negócios e Eventos e partir para a disputa no segmento. A meta era ser um dos dez maiores no ranking 2007. Estar nesta lista, é figurar em um instrumento global de promoção e marketing junto a tomadores de decisão do setor”, disse, parabenizando a equipe do Instituto. Sanovicz também é vice-presidente da ICCA.


Outra boa notícia foi dada a partir do ranking por cidades – que listou oito municípios brasileiros, quatro a mais que em 2005. Além das tradicionais sediadoras de eventos internacionais São Paulo e Rio de Janeiro, Salvador (BA), que foi listada pela primeira vez em 2005, apareceu em 72º lugar (17 eventos). As estréias ficaram por conta de Fortaleza (CE) e Brasília (DF), empatadas na 107ª posição (11 eventos cada); Florianópolis (SC), na 148ª (08); Curitiba (PR) e Campinas (SP), juntas em 185ª (06 cada).


Para a presidente da ABEOC (Associação Brasileira das Empresas de Eventos), Simone Saccoman, a entrada do Brasil no TOP 10 é “a consolidação do País entre os maiores destinos de eventos do mundo e a demonstração de que todo o trade brasileiro do segmento tem competência e profissionalismo para realizar com qualidade eventos internacionais. É o resultado de um trabalho contínuo de capacitação entre os profissionais ligados a eventos”. Ela também destacou o apoio da Embratur para o alcance do resultado.

O diretor-executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau, Toni Sando, atribui o bom desempenho da capital paulista, que sediou 25 mais eventos que em 2005, “ao trabalho com foco estratégico em eventos internacionais de critério ICCA e a parcerias com o mercado e órgãos oficiais, como a Embratur”. Já a diretora-executiva do Fortaleza Convention & Visitor Bureau, Celina Castro Alves, considera a entrada da cidade no ranking a exposição em uma vitrine internacional: “Conquistamos esta posição depois de muitos anos de trabalho que envolvem o grande entrosamento do trade local, o constate desenvolvimento da infra-estrutura turística, a diversificada oferta da cidade e um relacionamento mais próximo à ICCA”.


Histórico – Desde 2003 – quando foi criado o Ministério do Turismo e a Embratur passou a cuidar exclusivamente da promoção, marketing e apoio à comercialização do Destino Brasil no exterior, trabalhando com uma diretoria inédita de Turismo de Negócios e Eventos –, o País tem ganhado destaque internacional no segmento de eventos. Para se ter uma idéia, nos últimos cinco anos, o Brasil conquistou nada menos do que 14 posições no ranking da ICCA por número de eventos, uma vez que ocupava o 21º em 2002, com 59 encontros. O Instituto conta com a gerência de Turismo de Eventos, cuja responsabilidade é executar a política de apoio à captação de eventos internacionais para o Brasil, além de apoio à promoção.


De acordo com a ICCA, um evento é internacional quando é itinerante por pelo menos três países, tem periodicidade fixa e conta com o mínimo de 50 participantes. Em junho deste ano, a entidade irá divulgar um segundo relatório, cuja novidade será o ranking por número de participantes em eventos. Em 2005, o Brasil assegurou a 8ª colocação nessa listagem, com um total de 130.265 pessoas (entre estrangeiros e brasileiros). A partir do 7º lugar no ranking por número de eventos, a expectativa é que o Brasil possa ganhar posições.          

 

 

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP