Brasileiros levam a melhor no ar

0

A equipe EESC-USP OPEN, da Escola de Engenharia de São Carlos da USP, foi a campeã pela Classe Aberta na SAE Aerodesign East Competition, competição estudantil realizada nos dias 4, 5 e 6 deste mês, em Forth Worth, no estado do Texas, Estados Unidos. Além de conquistar o primeiro lugar na classificação geral da Competição e se sagrar bicampeã internacional na categoria, a equipe do interior paulista, cujo avião pesa apenas 5 quilos, ganhou troféus de Maior Peso Carregado (19,2 quilos) e de Projeto Mais Inovador. Pela Classe Regular, a equipe Uirá, da Universidade Federal de Itajubá, ficou com a terceira colocação e ainda recebeu duas menções honrosas: Melhor Trajetória de Vôo e Maior Peso Carregado da categoria (14,2 quilos).

Ao ganhar menção honrosa de Maior Peso Carregado, a equipe Uirá recebeu o troféu Itinerante, prêmio que pelo terceiro ano consecutivo é concedido para uma equipe brasileira. O troféu percorre o mundo e é reservado à Classe Regular. Além das equipes EESC-USP e Uirá, o Brasil foi representado pela equipe Keep Flying, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP), na Classe Regular, que ficou em oitavo lugar na classificação da Competição. A Competição reuniu 62 equipes, em três categorias (Open Class, Regular Class e Micro Class), de vários países das Américas e Europa.

O avião da equipe EESC-USP, um monoplano com capacidade para carregar até 20 quilos em carga útil, apresentou como ponto forte a leveza do projeto, obtida com a utilização de vários materiais, principalmente madeira balsa, e a aplicação de elastômero (espécie de borracha) no lugar da mola de fibra do sistema de amortecimento. Além da tecnologia em materiais, a equipe enfrentou o desafio de projetar uma aeronave para decolar em uma distância somente 30 metros. Ano passado, a distância era de 60 metros.

As três equipes brasileiras ganharam o direito de disputar a Competição norte-americana após conquistarem as melhores pontuações na VIII Competição SAE BRASIL AeroDesign, realizada em setembro de 2006, no CTA (Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial), em São José dos Campos, SP.

Brilhante histórico – Esta não é a primeira vez que o Brasil se destaca na Competição internacional. Ano passado, a equipe ALE-UFMG, da Universidade Federal de Minas Gerais, e a equipe Tucano, da Universidade Federal de Uberlândia, foram respectivamente campeã e vice na Classe Regular. Em 2005 e 2002, a competição também teve como campeãs na mesma categoria equipes brasileiras. Na Classe Aberta, em 2006, a equipe EESC-USP OPEN, também da Escola de Engenharia de São Carlos da USP foi, pela primeira vez, a melhor colocada; e em 2004, a equipe Car-Kará, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, estreou as boas colocações brasileiras na Competição, quando garantiu o terceiro lugar na categoria.

No Brasil, o Projeto AeroDesign é uma iniciativa da SAE BRASIL (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade) e teve início em 1999, e este ano deverá realizar-se pela nona vez consecutiva no próximo mês de outubro. A Competição tem sido alvo de grande interesse no meio universitário, envolvendo um número crescente de estudantes em nível de graduação e pós-graduação em Engenharia, Física e Ciências Aeronáuticas, atraídos pelo desafio de projetar e construir aeronaves, em escala reduzida, em conformidade com o Regulamento da Competição, capazes de superar sucessivas baterias de testes demonstrando capacidade de vôo controlado, para cargas úteis crescentes, até as condições limite do projeto. A avaliação e classificação das melhores equipes são feitas por meio da Competição de Projeto e Competição de Vôo.

Para Vilmar Fistarol, presidente da SAE BRASIL, a Competição SAE BRASIL AeroDesign demonstra o potencial dos futuros engenheiros aeronáuticos brasileiros, que já conquistaram diversos títulos na competição internacional, realizada nos Estados Unidos. “Nesta Competição, mostramos para o mundo a capacidade de nossos futuros engenheiros para desenvolver projetos inovadores no setor aeronáutico”, afirma Fistarol.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP