Conheça os júris do 40º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

0

Cineastas, produtores, atores, críticos e jornalistas formam os júris do 40º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A equipe é composta ao todo por 12 pessoas. Cinco jurados terão a tarefa de analisar os 18 curtas da Mostra Competitiva 16mm. Aos outros sete, caberá a premiação dos 18 filmes, entre longas e curtas, da Mostra Competitiva 35 mm.

Fazem parte do júri da Mostra Competitiva 16mm Helvécio Marins Jr., Marina Person, Paulo Severo, Pedro Lacerda e Suzana Amado. O júri da Mostra Competitiva 35mm é composto por Chico Dias, Dira Paes, Inácio Araújo, João Paulo Pinto da Cunha, Marçal Aquino, Mauro Ventura e Manfredo Caldas.


Seguem abaixo mais informações sobre cada um dos membros:

Júri – Mostra Competitiva 16mm

Helvécio Marins Jr.: Pós-graduado em cinema pela PUC-MG. Dirigiu os curtas-metragens 2 Homens (2001), Nascente (2005) e Trecho (2006), esse em parceria com Clarissa Campolina e vencedor do prêmio de melhor filme 35mm no 39º Festival de Brasília. Foi curador do Festival Internacional de Curtas de SP, mesma função que ocupa hoje no Festival Internacional de BH. Atualmente, desenvolve o roteiro de seu primeiro longa-metragem, Girimunho, contemplado pelo edital Filme em Minas, na categoria desenvolvimento de projetos.


Marina Person: Filha do cineasta Luiz Sérgio Person, nasceu em São Paulo, em 1969. Trabalhou como atriz em filmes como Bens confiscados (2004), de Carlos Reichenbach, O casamento de Romeu e Julieta (2005), de Bruno Barreto, e Mais uma vez amor (2005), de Rosane Svartman. Foi assistente de direção de Carlos Reichenbach em Alma corsária (1993). É diretora no documentário Person (2003). Seu trabalho mais conhecido é como apresentadora da MTV brasileira.

Paulo Severo: Diretor do documentário Raul Seixas também é documento (curta) e do ainda inédito Eu sou o Rio, sobre a banda de rock dos anos 80 Black Future. Com o curta A Rocinha e os seus, participou do Festival de Cinema de Havana, em 1992. Diretor de clipes de grandes nomes da música brasileira, como Fernanda Abreu e João Bosco, é o autor do registro em vídeo de todos os espetáculos da companhia de dança Déborah Colker.


Pedro Lacerda: Escreveu e dirigiu três filmes, dois de ficção e um documentário. Um de seus filmes, A Cucaracha, foi premiado no Chile e exibido em Munique, Alemanha e em Trieste, Itália. Foi também ator em diversos filmes, dentre eles, O Baiano Fantasma, de Denoy de Oliveira, ator principal do filme Avesso do Avesso, de Toni de Souza, e Fronteira das Almas, de Hermano Pena. Foi o diretor responsável pela finalização de Fuga sem Destino, último filme do cineasta Afonso Brazza.

Suzana Amado: Produtora de cinema e televisão. Formada em Comunicação Social pela PUC-RJ. Dirigiu durante seis anos o Núcleo de Programação infantil da TV Educativa do Rio de Janeiro. Foi superintendente adjunta de comercialização na Embrafilme, gerente de marketing da Columbia Pictures do Brasil e da ArtFilms do Rio de Janeiro. Atualmente, é produtora executiva e sócia da Antonioli & Amado Produções Artísticas Ltda. Dentre os títulos brasileiros que produziu estão Seja o que Deus quiser, de Murilo Salles, Hércules 56, de Silvio Da-Rin e Proibido Proibir, de Jorge Duran.

Júri – Mostra Competitiva 35mm

Chico Diaz – Ator. Participou de mais de 40 filmes, entre eles: Benjamim, As Alegres Comadres, Um Crime Nobre, O Magnata e Amarelo Manga, pelo qual recebeu o prêmio Candango de melhor ator no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro de 2002. Formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Na televisão, Chico Diaz atuou na novela Paraíso Tropical.

Dira Paes – Atriz. Já atuou em 26 longas-metragens, entre eles: Baixio das Bestas, Ó Paí Ó, A Grande Família, Dois Filhos de Francisco, entre outros. É também organizadora do Festival de Belém do Cinema Brasileiro e do Circuito FestCineBelém, que já estão em sua quinta edição. Dira já recebeu quatro Candangos por suas atuações em longas brasileiros.

Inácio Araújo – Crítico de cinema do jornal Folha de São Paulo e autor, entre outros, dos livros Hitchcock – O Mestre do Medo (ed. Brasiliense) e Cinema – O Mundo em Movimento (ed. Scipione). Com o romance Casa de Meninas (ed. Marco Zero) ganhou o prêmio revelação de autor da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte, em 1988. Também participou, como roteirista e montador, de vários filmes de longa metragem.

João Paulo Pinto da Cunha – Editor do caderno de Cultura e do suplemento Pensar, do jornal Estado Minas. Formado em filosofia, psicologia, pedagogia e comunicação social, ex-professor de ética e jornalismo no curso de Comunicação Social da PUC Minas. Foi apresentador do programa Os Filósofos, na TV Universitária de Minas Gerais.

Marçal Aquino – Jornalista, escritor e roteirista. Publicou, entre outros livros, os romances: Cabeça a prêmio e Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios. Seu trabalho no cinema inclui os roteiros de filmes Os Matadores, Ação Entre Amigos, O Invasor, Nina, O Cheiro do Ralo e Cão Sem Dono.

Mauro Ventura – Repórter especial de cultura e colunista do jornal O Globo. Trabalhou 14 anos no Jornal do Brasil, onde exerceu os cargos de editor da Revista Programa, editor do Caderno B, editor do Caderno de TV, editor do Caderno Viagem, repórter especial e colunista. Também trabalhou na revista Isto É e na agência de notícias UPI. Foi redator do programa De conversa em conversa, que foi ao ar no canal Brasil e na TVE. Dá aula de jornalismo cultural e crônica.

Manfredo Caldas – Nasceu na Paraíba. Em 1969, transferiu-se para o Rio de Janeiro e dedicou-se à montagem cinematográfica, publicidade e restauração de filmes para a Cinemateca do Museu de Arte Moderna. Sua obra como documentarista iniciou-se com Feira (1974) e Boi de Reis (1977). Entre 1979 e 198, realiza Cinema Paraibano – Vinte Anos. Realizou, também, os filmes Nau Catarineta e em 1988 o documentário de longa-metragem Uma Questão de Terra. Em Brasília desde 1995, realizou o documentário Negros de Cedro, em 1998. Com Vladimir Carvalho produziu o documentário Barra 68 – Sem Perder a Ternura e Kalunga – um Povo do Cerrado. No momento, encontra-se em pré-lançamento do filme Romance do Vaqueiro Voador.
 

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP