Grande renovação

0

Quando o The Connaught reabrir suas portas no dia 14 de dezembro, após uma grande renovação, os londrinos entenderão o verdadeiro sentido da palavra “espetacular”. Na primeira fase do projeto, milhões de libras foram gastos para que esse marco, construído em 1897, tivesse a aparência totalmente renovada. Uma segunda fase trará a abertura de uma nova ala na Adam’s Row, que abrigará mais apartamentos e suítes. Quem sempre o conheceu, provavelmente descobrirá que, essencialmente, sua aparência ainda é a mesma; os hóspedes antigos conhecem o Connaught por seus funcionários e inigualável atendimento – um legado que será preservado e protegido com a mesma diligência empregada para catalogar os tesouros artísticos do edifício e, subseqüentemente, devolvê-los à suas posições de origem.

Um “luxo cintilante”. Foi assim que Peter Mayle descreveu a atmosfera do Connaught na revista inglesa GQ, no final dos anos 90. Além de um serviço cortês, a elegância sóbria do hotel foi premiada no final do século 19, quando, ainda sob o nome de The Coburg, a revista The Gentlewoman classificou-o como “o mais belo hotel”, mesmo elogio usado hoje pelas personalidades da moda e do cinema que freqüentam Carlos Place quando estão em Londres.

Uma pergunta curiosa: se o maior bem de um hotel é sua autenticidade, como seus administradores lidam com uma renovação de porte tão vultuoso? Stephen Alden, CEO do Maybourne Hotel Group, reconhece que o elegante Connaught estava começando a mostrar sinais de cansaço. “O gosto das pessoas progrediu. Chegou a hora de uma renovação de peso. O projeto é moderno – o padrão minucioso e complicado dá lugar a texturas e materiais simples.” Além disso, a estrutura está mais do que pronta para uma nova mudança. O Connaught foi construído para acomodar a aristocracia dos tempos do rei Eduardo e sua corte, e não o CEO da era digital, para quem o luxo é secundário e viaja apenas com sua bagagem de mão.

A autenticidade do hotel não é avessa a mudanças. Em seus 108 anos de história, o Connaught foi modernizado com freqüência em razão a uma clientela mais jovem. No entanto, seus proprietários agora enfrentam um desafio mais ambicioso. As portas foram fechadas aos hóspedes e a estrutura em si foi renovada – encanamento, instalação elétrica, decoração em todos os apartamentos, suítes, banheiros, saguão, escadaria e bares. Além disso, o hotel foi expandido. Uma ala nova e contemporânea abriga mais quartos e suítes, um sofisticado spa (completo e com piscina) para promover a saúde, a beleza e o bem-estar e também um espaço para entretenimento privativo e salas de reunião.

Introduzir o Connaught no século 21 não é uma tarefa das mais simples. Mas a questão é: expandir-se em que direção? Nada é mais difícil do que conseguir um alvará de construção em Mayfair e o espaço na região é limitado. A administração não arredou pé, pois o hotel precisava se modernizar sem perder seu caráter autêntico, empregando detalhes como as antiguidades, animais mitológicos em pedra e a escadaria. Michael Blair, premiado arquiteto da empresa Blair Associates Architecture, foi incumbido de reformar este tesouro. Seu desafio era criar uma solução que não interferisse no ambiente dando continuidade à arquitetura original. É contemporâneo, mas ainda inspirado no tradicional.

Um aspecto totalmente novo é o telhado verde da nova ala – verde tanto na cor quanto em termos de conservação. Será um tapete vivo, composto por ervas nativas que absorvem a água da chuva controlando o escoamento, reduzem a perda de calor e liberam oxigênio no ambiente.

Stephen Alden descreve o tipo de hóspede que deve ser atraído pelo recém-reformado hotel como “alguém curioso, possivelmente fã de arte… alguém que se sinta à vontade em um ambiente contemporâneo, mas que não abre mão do romantismo associado a se hospedar em um dos hotéis mais imponentes do mundo.” Um pouco mais discreto do que os hotéis da mesma categoria, The Connaught atrai uma clientela estrelada, mas um tanto quanto reservada. Cecil Beaton, Cary Grant, David Niven e a princesa Grace estavam entre os que descobriram o hotel nos anos 50, quando se tornou famoso. Simon Hopkinson, chef e autor de livros de culinária, fez uma peregrinação para degustar a requintada cozinha pós-Escoffier, criada por Michel Bourdin, em 1977. Na ocasião, ficou cativado por um breve encontro com Lauren Bacall, que nunca se hospedava em outro hotel em Londres. Sua satisfação era tamanha que Anthony Lee às vezes tomava conta do cãozinho da atriz em seu escritório.

O calor humano e a familiaridade no atendimento continuarão como estão, mesmo com o aumento de 25% no número de quartos. Como ocorre em todos os hotéis Maybourne, os hóspedes serão tratados pelo nome. Modismos gastronômicos vão e vêm, padrões na decoração cedem espaço à textura, mas o toque humano permanece.

É por isso que a reforma do The Connaught será discreta: para muitos visitantes de Londres, é seu porto seguro. Quando os construtores partirem e os hóspedes habituais voltarem, Jean-Marc Guigonet, o porteiro impecável de cartola, não abrirá a porta para um mundo inteiramente novo – apenas a uma nova era.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP