MCDIA FELIZ RENDEU R$ 22,114 MILHÕES

0

O McDia Feliz, a maior campanha em prol da cura do câncer infantil e juvenil do país, atingiu em 2015 uma arrecadação de R$ 22,114 milhões, que serão destinados a projetos de atendimento a adolescentes e crianças com câncer de norte a sul do país.

No dia 29 de agosto, o McDia Feliz registrou a venda de 1.659.689 milhão de Big Mac nos mais de 870 restaurantes McDonald’s em todo o país. Também faz parte dessa soma a venda de tíquetes antecipados de Big Mac pelas instituições participantes, que este ano somou a quantia de 1.087.890 milhão de tíquetes. A arrecadação da campanha inclui ainda a venda de produtos promocionais com a marca McDia Feliz, organizada pelas instituições participantes e os eventos de mobilização como o #EsquentaMcDia e a venda do molho especial do Big Mac, além das doações financeiras de empresas.

Todos os recursos arrecadados pelo McDia Feliz serão destinados a 73 projetos, de 58 instituições de todo o Brasil, que possibilitarão mais de 60 mil atendimentos a crianças e adolescentes em tratamento oncológico e seus familiares. A lista dos projetos selecionados para receber os recursos da campanha está disponível no site do Instituto Ronald McDonald.

“Mais uma vez agradeço, em nome de todos os beneficiados, o empenho fundamental de funcionários, franqueados e fornecedores do McDonald’s, além da mobilização de instituições e voluntários que contribuíram para que mais uma vez o McDia Feliz gerasse recursos para a realização de projetos que possibilitarão saúde e qualidade de vida para milhares de adolescentes e crianças com câncer e seus familiares”, afirma Francisco Neves, superintendente do Instituto Ronald McDonald.

Ao longo dos últimos 26 anos, os recursos obtidos com o McDia Feliz – cerca de R$ 206 milhões – já viabilizaram a implantação de unidades de internação, ambulatórios, salas de quimioterapia, casas de apoio e unidades de transplante de medula óssea, entre outros projetos. Há 30 anos, as chances de uma criança com câncer ser curada eram de 15%, hoje este índice pode chegar a 85%, desde que os pacientes sejam diagnosticados precocemente e tratados adequadamente.

 

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.