MUDANÇAS

0

O LANCE!, maior grupo multimídia especializado em esportes no Brasil, reforçou mais uma vez hoje o seu compromisso de estar ao lado das boas causas do esporte e, em especial, a defesa do futebol brasileiro. Por meio de um editorial assinado pelo presidente do grupo, Walter de Mattos Junior — e publicado em seu diário e portal, o texto sugere mudanças no futebol nacional para torná-lo realmente uma potencia esportiva. São nove itens propostos para um debate público em um momento em que há uma substituição no comando da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

No editorial, o Grupo LANCE! diz que não se pode furtar ao desafio de, além de noticiar os fatos, propor caminhos e apontar novas práticas que julga indispensáveis ao desenvolvimento e à modernização de toda a estrutura do futebol, valorizando ainda mais o seu papel como patrimônio cultural do povo brasileiro. As propostas focam o fortalecimento dos clubes, mudanças no modelo de governança e gestão da CBF, a garantia de investimentos e ampliação das receitas do futebol a fim de assegurar competitividade aos campeonatos e peso internacional aos times.

Entre as sugestões estão:

– A criação de um Conselho de Administração na CBF e a mudança no sistema eleitoral da instituição visando a democratização e a maior participação dos clubes no processo de decisão;

– A criação de um Fundo de Fomento ao Futebol (FFF) e a publicação de um balanço financeiro/econômico trimestralmente. Seria tarefa deste FFF contribuir com a contrapartida que alguns clubes possam necessitar para viabilizar a construção de Centros de Treinamento, a estruturação das divisões de base e a construção ou reforma de seus estádios de modo a atender às novas exigências legais e às demandas de conforto e segurança. Parte dos recursos do fundo seria empregada, ainda, no pagamento integral de despesas de passagens, hospedagem e arbitragem das Terceira e Quarta Divisões do Campeonato Brasileiro

– O uso do futebol como ferramenta de inclusão, especialmente voltada para crianças e adolescentes e de acordo com políticas nacionais de incentivo à prática esportiva e a publicação regular de um balanço social;

– Mudança no calendário para adaptá-lo ao dos grandes eventos de clubes e seleções e ao modelo praticado na maior parte do mundo. Com isso, os clubes ganharão espaço para excursionarem e ampliarem sua projeção internacional, aumentando assim suas receitas;

– Fomentar a formação de uma Liga Nacional de Clubes nos moldes dos países europeus;

– Tornar a CBF a maior articuladora e cobradora da implementação das novas políticas de segurança para o torcedor, cujo objetivo é o de levar o público de volta aos estádios, tornando o futebol um espetáculo familiar;

– Trabalhar para criar a profissão de árbitro no país, capacitando esses profissionais, além de garantira plena independência da comissão de arbitragem da entidade, submetendo o seu dirigente à aprovação do Conselho de Administração;

– Tornar a Justiça Desportiva um braço do Judiciário Federal, remunerada em orçamento, e autônoma em relação às Federações e Confederações;

– Ter o compromisso prioritário de combater a pirataria dos produtos oficiais dos clubes.
 

Por fim, o LANCE! afirma que quer contribuir para um debate, fornecendo subsídios a todos que desejam ver o futebol brasileiro se tornando, por quê não, o mais importante do mundo.

 

 

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.