O JAPÃO EM FLOR NA PRIMAVERA

0

Flor símbolo do Japão, a sakura (flor de cerejeira) exerce fascínio e sobretudo respeito. Lenda ancentral da nossa cultura conta que a princesa Konohana Sakuya Hime teria caído das nuvens próximo ao Monte Fuji, símbolo geográfico do Japão (é imperdoável descrevê-lo como acidente geográfico, embora o seja) e teria se transformado nessa bela flor, que nasce da junção da corruptela do nome da princesa, SA, com a palavra KURA, que eram os depósitos onde se guardavam arroz, alimento considerado dádiva dos deuses por japoneses tradicionalistas e na cultura que as gueixas e suas aprendizes, maikos, conservam ao longo dos séculos.

Japonesas vestidas com o tradicional Kimono, roupa japonesa apreciam os pés de ameixeiras do parque Minami da cidade de Okazaki no estado de Aichi no Japão. foto : Marcelo Hide/Fotos Públicas

Japonesas vestidas com o tradicional Kimono, roupa japonesa apreciam os pés de ameixeiras do parque Minami da cidade de Okazaki no estado de Aichi no Japão.
foto : Marcelo Hide/Fotos Públicas

Casal de idosos fotografa junto a pés de ameixeiras no parque Minami da cidade de Okazaki no estado de Aichi no Japão. Foto : Marcelo Hide/Fotos Públicas.

Casal de idosos fotografa junto a pés de ameixeiras no parque Minami da cidade de Okazaki no estado de Aichi no Japão.
Foto : Marcelo Hide/Fotos Públicas.

Noiva Japonesa posa  entre as Glicinias do parque do castelo da cidade de Okazaki no estado de Aichi no Japão. Foto : Marcelo Hide/Fotos Públicas

Noiva Japonesa posa entre as Glicinias do parque do castelo da cidade de Okazaki no estado de Aichi no Japão.
Foto : Marcelo Hide/Fotos Públicas

Japonesa  vestida com o tradicional Kimono caminha entre as cerejeiras do parque de cerejeiras da cidade de Koda no estado de Aichi  no Japão. Foto : Marcelo Hide/ Fotos Públicas

Japonesa vestida com o tradicional Kimono caminha entre as cerejeiras do parque de cerejeiras da cidade de Koda no estado de Aichi no Japão.
Foto : Marcelo Hide/ Fotos Públicas

 

Cerejeiras iluminadas no castelo de Okazaki o estado de Aichi  no Japão. Fito : Marcelo Hide/Fotos Públicas

Cerejeiras iluminadas no castelo de Okazaki o estado de Aichi no Japão.
Fito : Marcelo Hide/Fotos Públicas

POR YUME IKEDA, DE TOKYO

Não há como precisar por meio dos séculos, quando começaram as festas em torno das cerejeiras em flor e da primavera, mas desde que o imperador Saga (786-842 d.C.), no século VII, instituiu o Hanami (apreciação das flores) no Palácio Imperial de Quioto, os japoneses aguardam, todos os anos com ansiedade o desabrochar das cerejeiras. Os meios de comunicação, especialmente os digitais, chegam a divulgar informações diárias de meteorologia e de floradas em qualquer lugar, para que possam ser apreciadas.

Em cada cidade japonesa, o prefeito é responsável pela cerejeira que fica numa praça e cuja a muda saiu do Palácio Imperial. Todos esses prefeitos integram,
durante o mandato, a Nihon Sakura No Kai, que é a associação das cerejeiras do Japão, responsável por organizar a festa onde as rainhas das cerejeiras
das diferentes cidades são apresentadas ao povo, numa tradição que se mantém viva. Como a flor dura poucos dias, ainda que durante a primavera, as festividades chegam a parar o país, atraindo turistas de toda parte.

Nos Estados Unidos, a comunidade japonesa realiza o Washington National Cherry Blossom para comemorar o florescimento de 3 mil mudas de cerejeiras
doadas, em 1912, para selar laços de amizade entre os dois países. A parada das flores, quando do desabrochar das cerejeiras, é ponto alto no calendário
de primavera norte-americana. Mas é no Japão que as cerejeiras em flor, atraem multidões. E é na obra magistral do russo Anton Chekov (1860-1904), o Jardim das Cerejeiras, que essas flores desabrocham nos palcos do mundo.

Aqui, as flores da primavera desabrocham nas belas imagens do fotógrafo Marcelo Hide, aprecie sem pressa e sem moderação. São cereijeiras, ameixeiras e glicínias em flor. Um colírio para os olhos, uma antevisão do paraíso.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP