PEARL JAM SOCORRE VÍTIMAS DA LAMA DA SAMARCO EM MARIANA

0

O Instituto Bioatlântica (IBIO) recebeu, ontem, 17, os recursos doados pela banda Pearl Jam, no valor de U$ 33,333.00 (aproximadamente R$ 120 mil). Esse valor será utilizado no desenvolvimento de um projeto de capacitação em agricultura sustentável, que visa recuperar e aprimorar o potencial de produtores rurais de municípios da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, principalmente da Bacia do Piranga, afetados diretamente pelo rompimento da barragem do Fundão, da empresa Samarco, em 5 de novembro de 2015, empresa que é controlada pela Vale e a BHP Billiton.

As cidades mineiras de Mariana, Barra Longa, Ponte Nova, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado integram o projeto para os quais os recursos da banda serão repassados. Esse projeto prevê a criação de duas unidades de referências tecnológicas em estabelecimentos rurais da região para disseminar técnicas, tecnologias e práticas agrícolas de alto rendimento que promovam a melhoria do meio ambiente. Espera-se beneficiar mais de 3.500 pessoas direta e indiretamente.

“Vamos trabalhar com pequenos produtores rurais da região diretamente atingida, pois são cidadãos que perderam muito por causa do desastre. O IBIO é especialista em recuperar as condições ambientais e produtivas de estabelecimentos rurais, em nossa estratégia de aumentar a disponibilidade de água na bacia do Rio Doce. Por isso, o projeto foi elaborado para apoiar esses trabalhadores do campo, com insumos e suporte técnico, para aumentar sua capacidade de produção e sustento próprio”, declara o diretor-presidente do IBIO, Eduardo Figueiredo.

Entre as ações previstas nesse projeto, estão:

– Registro de 100 estabelecimentos no Cadastro Ambiental Rural (CAR); – Realização de um Curso de Manejo Racional de Pastagem para 25 pessoas;

– Realização de um Curso de Esgotamento Sanitário Rural para 25 pessoas; – Implantação de duas Unidades de Referência Tecnológica de Leite, de três hectares cada;

– Instalação de duas fossas de evapotranspiração;

– Implantação de dois sistemas agroflorestais em áreas de preservação permanente (APP), de um hectare cada;

– Proteção de seis nascentes com cercamento;

– Adequação de 4 km de estradas vicinais;

– Instalação de dez caixas de infiltração de água no solo; – Realização de dez visitas de assessoria técnica.

“A contribuição do Pearl Jam deve trazer benefícios que extrapolam o valor doado, pois várias instituições parceiras do IBIO, como o Comitê da Bacia Hidrográfica do Piranga (CBH Piranga), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), Fundação Ruralminas, prefeituras municipais e doadores recentes, como a Highlight Sounds, já se apresentaram como voluntários para participar com recursos técnicos e financeiros, complementar o projeto e ampliar o alcance dos resultados”, pontua Thomás Ferreira especialista em Agricultura Sustentável do IBIO.”

Somados à contrapartida do IBIO, o projeto passa a contar com mais R$ 102 mil. Ferreira enfatiza, ainda, que, apesar de se tratar de um recurso pequeno, a visibilidade da iniciativa e o atual contexto em que a região está inserida, devido à tragédia, têm atraído o interesse dessas entidades representativas da sociedade civil e da agricultura familiar em se mobilizarem e se engajarem na causa. “Nosso intuito é reforçar e motivar ainda mais esse envolvimento, ao longo do projeto. Como o objetivo é fortalecer o potencial desses pequenos produtores rurais impactados, por meio da aplicação e compartilhamento de tecnologias, conhecimentos e boas práticas adequadas a esse segmento produtivo, estamos agendando encontros com as lideranças sociais locais, no período em que o projeto será apresentado à câmara técnica do CBH-Piranga”, completa Ferreira.

O processo de seleção e avaliação do IBIO

O processo de seleção e avaliação de qual instituição seria a gestora dos recursos doados e da implantação e execução do projeto começou em dezembro, quando o IBIO foi notificado do interesse da Fundação Vitalogy, associada à banda Pearl Jam, de destinar parte do cachê dos shows no Brasil para organizações ambientais que atuam na Bacia Hidrográfica do Rio Doce. “A Conservação Internacional, nossa parceira, nos indicou à Fundação Vitalogy, logo após o show da banda no Brasil. Após o primeiro contato com a Fundação, o IBIO demonstrou sua capacidade de receber, aplicar e prestar contas de investimentos em projetos ambientais e apresentou um plano de ação para a aplicação desses recursos. No dia 9 de fevereiro, fomos aprovados”, explica Eduardo Figueiredo.

A experiência bem-sucedida da instituição na Bacia Hidrográfica do Rio Doce, por meio programas como PDA Doce, o Ribeirão do Boi e o Centro de Desenvolvimento de Água e Floresta, influenciou na definição da Vitalogy para receber e aplicar a doação. O IBIO precisou comprovar sua capacidade e expertise no desenvolvimento de diagnósticos científicos e na atuação técnica de elaboração, implantação e gestão de projetos ambientais e recursos arrecadados da iniciativa privada.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.