RAQUEL ROLNIK ABRE O VOTO E O CORAÇÃO POR HADDAD PREFEITO

0

Raquel Rolnik não é apenas uma arquiteta e urbanista, é a principal voz em defesa das cidades para os cidadãos, então a sua opinião é algo que se reveste de grande importância e o coração com o qual abre o seu voto pulsa firme. Pulsa forte.

 

Por Raquel Rolnik*

As vésperas das eleições municipais em São Paulo, e diante da atual conjuntura e resultado das pesquisas de intenção de voto, é preciso pensar estrategicamente, e, por isso, eu voto útil em Fernando Haddad para o cargo de prefeito no primeiro turno.

Explico as razões:

As eleições ocorrem no contexto nacional de um golpe jurídico-midiático gravíssimo, cuja consequência, entre outras, é a implantação mais plena de um projeto neoliberal de país e, portanto, de cidade. Mais plena porque, várias políticas neoliberais na pauta habitacional e urbana, como todos sabem e como já apontei várias vezes, foram propostas durante os anos do PT à frente do governo federal.

Mas, o que se apresenta por meio dos anúncios e medidas já tomadas por Michel Temer é a realização de reformas que desconstituem e enterram a já combalida e frágil agenda da reforma urbana, do direto à moradia e à cidade.

Sabemos também que parte dos problemas que vivemos hoje tem a ver com o modelo de relação entre o Estado e os interesses empresariais e da hegemonia do modelo da política como negócio, com as quais o PT não rompeu e que acabaram, justamente, vitimando o próprio partido.

Trabalhei com Luiza Erundina quando ela foi prefeita de São Paulo e posso afirmar, com absoluta certeza, que se existe uma candidatura comprometida com a pauta dos direitos em geral, do direito à cidade e com a ruptura com o ‘modo brasileira de governar’, com o qual o PT não rompeu, é a dela. Ao contrário dos que apregoam, incluindo o próprio PT, que sem maioria na Câmara não é possível fazer nada, a gestão Luiza foi de muitas realizações. Mais de 10 mil moradias foram construídas, por exemplo, a partir de uma intensa mobilização social, em tempos de ajuste fiscal, sem recursos.

Entretanto, em que pese às coalizões feitas por Fernando Haddad para se eleger prefeito em 2012, é possível dizer que várias políticas implantadas em seu governo operaram no sentido de transformar a cidade um lugar melhor com mais acesso a todos. Entre elas, a política de mobilidade, que priorizou o transporte público, através das faixas exclusivas, valorizou os modos ativos como o caminhar e as bicicletas; incentivou ao uso dos espaços públicos, com a abertura de ruas e apoiou ações culturais autônomas da juventude. Também se destacou a política de direitos humanos, especialmente a atenção dada aos imigrantes; o compromisso com a transparência através da abertura inédita dos dados da gestão, e a política decidida de combate à corrupção, com a criação da Controladoria Geral do Município, entre muitas outras realizações e políticas inovadoras.

Mas não é por isso que irei votar nele. Estou defendendo voto útil em Haddad porque a perspectiva de ter um segundo turno com dois dentre João Dória, Celso Russomanno, e Marta é trágica para a cidade. As três candidaturas estão absolutamente imersas na coalizão que promoveu o golpe e que hoje usurpa o governo do país. Com Dória, haverá o domínio total da cidade dos negócios acima de qualquer outra. Com Russomanno, se fortalecem as pautas conservadoras, minando a resistência progressista que vem ocorrendo na cidade e no país. Marta, atualmente é a representante oficial do PMDB, partido que é a síntese doas mazelas políticas do país e que protagonizou o golpe no governo federal.

A eleição na capital paulista tem enorme importância para a cidade, mas também para o país. Por isso, ter uma candidatura disputando o segundo turno que faça parte do campo de resistência ao golpe, de afirmação de direitos e compromisso com o imaginário da justiça social e distribuição de renda é muito importante nesse momento.

Diante dessa conjuntura, a candidatura desse campo mais viável de atingir um percentual suficiente para ir para o segundo turno, de acordo com as últimas pesquisas de intenção de voto, é a de Fernando Haddad. Por isso recomendo voto útil nele neste domingo.

 

*Raquel Rolnik é mestre e doutora em urbanismo, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.