Record nacional

0

De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil ultrapassou a marca de 120 milhões de habilitações na telefonia móvel no ano passado, indicando um crescimento de 21,08% em relação a 2006. Os 21.061.482 novos acessos fazem de 2007 o ano de maior sucesso da telefonia móvel no Brasil, desde a instalação do serviço em 1990. O mês de dezembro também foi o melhor da história, com 4.666.276 habilitações (crescimento de 4,01%), e contribuiu fortemente para o resultado, superando o dezembro de 2004, quando se registraram 4.416.843 novos celulares.

Por tradição, Natal, Dia dos Pais e Dia das Mães são as principais datas responsáveis pelo aumento das habilitações. Do total de acessos, 97.576.507 (80,66%) são pré-pagos e 23.403.596 (19,34%), pós-pagos.

Os celulares aumentaram de 4,6 milhões, em 1997, para quase 121 milhões de acessos no ano passado.

Para o presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, esse resultado atesta o êxito do modelo adotado pela Agência. “Além disso, devido aos compromissos de abrangência estabelecidos pela Anatel na licitação de freqüências para a terceira geração, os 1,8 mil municípios brasileiros que ainda não têm telefonia móvel passarão a contar com o serviço, o que permitirá o atendimento de cerca de 17 milhões de pessoas”, disse Sardenberg.

A consolidação dos números mensais da telefonia móvel estará disponível no portal da Agência (www.anatel.gov.br), na visão Sala de Imprensa, canal “Anatel em dados”, item “Telefonia móvel”.

Teledensidade – A tendência de crescimento da teledensidade do serviço móvel no País se mantém. A teledensidade é o indicador utilizado para demonstrar o número de telefones em serviço em cada grupo de 100 habitantes. Ou seja, quantos telefones por cem habitantes há em uma determinada região, como uma porcentagem.

Em 2006, a densidade era de 53,24. Em 2007, o Brasil alcançou um índice de 63,59, o que representa um crescimento de 19,43% no ano. Em relação a novembro, a densidade cresceu 3,90% (o índice era de 61,20). A teledensidade é o indicador utilizado internacionalmente para demonstrar o número de telefones em serviço em cada grupo de 100 habitantes.

O Distrito Federal (DF) continua liderando a teledensidade móvel brasileira, com um índice de 117,70 – ou seja, 1,17 telefone para cada habitante. Comparado com o mês anterior, o índice apresentou um crescimento de 2,51% (era 114,82). No ano, a teledensidade do DF acumulou um crescimento de 5,27%. O Rio de Janeiro, segundo colocado no ranking, cresceu 3,76% (subiu de 76,83 para 79,72). Em terceiro no indicador, o Mato Grosso do Sul tem índice de 77,49 e apresentou um crescimento de 4,17%. Maranhão (índice de 27,20) e Roraima (índice de 47,87) lideraram o crescimento da teledensidade em dezembro com taxas de 6,77% e 6,47% respectivamente. Em terceiro, o Acre (índice de 52,84), que apresentou crescimento de 6,21%. No ano, Roraima, Sergipe (índice de 59,43) e Maranhão lideraram o ranking com taxas de crescimento de 34,66%, 30,44% e 30,04%, respectivamente.

Esse bom desempenho dos estados do Nordeste nos últimos 12 meses é refletido no crescimento da densidade da região. No ano, a teledensidade cresceu 25,45%, alcançando o índice de 49,35. O Norte permanece com a menor densidade entre as regiões brasileiras, agora com índice de 46,65 e crescimento de 23,94% no período.

A Região Sudeste mantém a segunda posição no indicador (índice de 71,06 e crescimento de 19,71), e a Região Sul, a terceira (índice de 70,19 e crescimento de 13,31% no período). O Centro-Oeste, que lidera o ranking do indicador por regiões com densidade de 79,66, acumulou crescimento de 13,22% no período, o mais baixo entre as regiões brasileiras.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP