TECNOLOGIA NA CONVIVÊNCIA SOCIAL: MARAVILHA OU ARMADILHA?

0

Por Vivian Rio Stella *

A tecnologia e as redes sociais estão integradas de tal forma ao nosso cotidiano que regras como “não usem celular” ou “é proibido filmar ou fotografar” podem soar como afronta ou conservadorismo desnecessário. Mas proponho três situações para ajudar a pensar melhor sobre nossos hábitos atuais.

Imagine que você é um professor de ética de um curso de graduação. No primeiro dia do semestre curricular, um aluno pede para gravar o áudio de suas aulas para poder estudar em casa. Por precaução, e por princípios, você decide negar o pedido e explica o porquê. No entanto, em certa aula percebe que o aluno está com o gravador ligado durante a explicação.

Agora, considere que você é o líder de uma equipe e, em uma reunião, indica aos poucos presentes que haverá mudanças significativas na estratégia da área, mas ressalta que isso ainda não está confirmado. No dia seguinte, seu superior o chama para uma conversa séria e reproduz um áudio com um trecho da sua fala na reunião do dia anterior, na qual, por sinal, ele não estava presente. Intrigado, você fica sabendo que ele recebeu o áudio via WhatsApp.

Por último, coloque-se no lugar de um palestrante que se apresenta para uma plateia de mais de cem pessoas. Você prepara sua mensagem com bastante cuidado para que não haja mal-entendidos e usa diferentes tipos de argumentos para sustentar seu ponto de vista. Durante a palestra, você vê pessoas tirando fotos de seus slides, gravando trechos e escrevendo incessantemente no smartphone. Minutos depois de concluir sua apresentação, você acessa as redes sociais e já há inúmeros posts sobre o que foi falado, com diversas distorções de sentido e interpretação.

Tais cenários são exemplos reais de como a tecnologia e as redes sociais podem ser uma armadilha tanto para a convivência saudável e ética em sociedade quanto para a forma de ouvir e compreender as informações às quais temos contato rotineiramente.

No caso do professor e do líder, há uma falta de ética ao gravar a fala de alguém sem seu consentimento, com impactos mais ou menos diretos à imagem de quem comunica. No caso do palestrante, o foco da plateia mais parece compartilhar rapidamente o que está acontecendo naquele exato momento e publicar frases descontextualizadas, do que, primeiro, compreender a mensagem e, depois, gerar repercussão nas redes sociais.

A total inserção da tecnologia em nosso cotidiano nos impõe grandes desafios relacionados à ética e à convivência. O intuito não é que criar regras ou proibições para lidar com eles, mas propor reflexões para que sejamos mais conscientes e responsáveis por nossos atos e que possamos repensar as formas de convivência social num cotidiano hiperconectado.

Vale o alerta feito por Tom Chattfield, autor do livro “Como viver na era digital”. Para ele, estamos tão sedentos por estar conectados que vivemos presos ao presente e ao anseio de compartilhar “o que estamos fazendo”, sem ao menos ter tempo de filtrar o que foi dito por alguém ou avaliar o impacto de replicar uma informação, por escrito ou em áudio. Essa saturação do presente é intensamente acompanhada de estresse, ansiedade e perda de controle. Nosso esforço diário para lidar com isso é começar a reconhecer que, sem a habilidade de dizer sim ou não para o uso da tecnologia, corremos o risco de transformar maravilhas em armadilhas.

É tempo de repensar nossas práticas em um mundo tão integrado com a tecnologia. Você está disposto a isso, pelo seu próprio bem e de suas relações interpessoais?

* Vivian Rio Stella é Doutora em Linguística pela Unicamp, pós-doutora pela PUC-SP e sócia-diretora da VRS Cursos, Palestras e Coaching (www.vrscursos.com.br), especializada em comunicação, liderança e empreendedorismo.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP