Uma mistura que deu muito certo

0

24/08/08

Sônia Araripe

 

No Brasil que se orgulha da jabuticaba, de Macunaíma e de ser o único país capaz de pronunciar a palavra saudade, há misturas para todos os gostos. Como chuchu com camarão. Ou manga com leite. Quiçá outras tantas inusitadas. O mesmo conceito de miscigenação deu origem a um povo multifacetado, de uma infinidade de cores, raças e estilos. Na cultura não poderia ser diferente. É samba com reggae. Pop com clássico. Funk com axé. Mas como ninguém ainda tinha pensado o óbvio? Quer algo mais natural e simples do que juntar no palco Roberto Carlos com Caetano Veloso?

Foi assim, desta mistura genial que nasceu um show sensacional, parte do Itaú Brasil, projeto patrocinado pelo banco que este ano homenageia os 50 anos da bossa nova. Com todo direito à rima pobre. Neste caso, perdoem os poetas, rica. Riquíssima. Um Theatro Municipal lotado, com cerca de 3 mil pessoas, acomodadas no velho jeitinho brasileiro de coração-de-mãe, que sempre cabe mais um, aguardou ansiosamente, na última sexta-feira (22 de agosto) o início do show em homenagem a Tom Jobim.

Não foi preciso esperar tanto: apenas 10 minutos de atraso. As celebridades eram tantas que os funcionários tiveram que acomodar várias cadeiras avulsas no fosso da orquestra. Touxeram mais e mais cadeiras para a lateral da platéia enquanto os artistas e famosos não paravam de chegar. Camila Pitanga, Regina Casé, Luiza Brunet, Carolina Dickemann, Paula Lavigne, Lázaro Ramos, Marcos Frota e tantos outros que renderiam uma nota à parte. O parceiro do “rei” desde os tempos da Jovem Guarda, de toda uma vida, Erasmo Carlos, chegou um pouco atrasado e quase fica sem o seu lugar.

Quando já não cabia nem mais um mosquito no secular recinto, apagam-se as luzes. Nelson Motta apresenta a noite. E entram, finalmente, em cena, nada mais, nada menos do que Roberto Carlos e Caetano Veloso. Com fama de supersticioso, o cantor capixaba vestiu azul para dar sorte. Azul da cor do mar. Com tênis branco, claro. Caetano envergava um terno cinza reto, no melhor estilo fashion.

Abriram a noite com Garota de Ipanema. “Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça…” E que graça. Os dois, timidamente, que nunca haviam cantado juntos no palco, foram tateando, encontrando o tom certo para melhor apresentar o maestro que lapidava acordes e, de quebra, era um defensor inabalável da natureza. Tom Jobim, se vivo fosse, teria orgulho de ver os dois juntinhos, cantando, se encontrando. Um cedendo ao outro espaço para encantarem juntos a platéia enebriada.

A claque vibrou. Na seguida, mais uma música e aí foi a hora de Caetano ficar sozinho com a orquestra de Cordas, regida pelo maestro Jacques Morelenbaum e seus músicos. Fosse outro ambiente – o Maracanã de jogos memoráveis – e haveria torcida para um. Depois para o outro. Como se fosse um Fla X Flu. No Municipal, o clima é diferente, tudo muito comedido, mas o favoritismo de cada estrela era reverenciado. “Lindo”, gritou a jovem sentada no Balcão Nobre. Para ser repreeendida pela sua vizinha, senhora discreta, certamente, torcedora do outro time, RC, ou melhor do fã-clube de Roberto Carlos.

Um Caetano mais recatado, quase tímido, como se isso fosse possível. Até um tanto perdido: mãozinhas simulando uma onda, risos e a perna se dobra no velho jeito Caê de ser. Seus fãs deliram.

Apresentou os músicos. Reverenciou o filho de Tom, Daniel Jobim, com seu chapéu panamá, lembrando muito o pai mais jovem. Sai aplaudidíssimo. Trocam as orquestras, o maestro.

Chega a vez do outro time, de RC. E a platéia vem abaixo. “Beto, eu te amo”, sussurra baixinho, quase como se estivesse em transe, uma senhora de seus 70 anos. Roberto cantou Tom com um estilo todo seu, moderno, solto, empolgado. Chorou em “Eu sei que vou te amar” e encorajou seu eleitorado a acompanhá-lo em várias melodias.

É incrível, mas ninguém nunca tinha pensado neste chuchu com camarão: Roberto Carlos tem 50 anos de carreira e 60 discos gravados, enquanto Caetano Veloso acumula 43 anos de estrada e 40 álbuns.

Imagens projetadas num imenso telão lembram Tom jovem. Também o Tom mais maduro. Sua família, sua genialidade. Remetem ao tempo de um Rio que não volta mais: do mate ou limonada no copinho de papel, carregado em galões de metal nas areias da praia; o emissário em Ipanema; a Montenegro; as garotas e garotos lindos, indo e vindo; o cachorro-quente Geneal, o sorvete do Moraes e tantas outras delícias. Um Rio seguro e limpo, com Lígia, Teresa da praia e tantas outras para se namorar, de mãos dadas até o Leblon. Sem nem um assalto.

Quase uma hora e meia de show. Inesquecível. Bárbaro. Sensacional. Duas músicas extras, o público de pé pedindo mais e mais. Nem mesmo a chuva fina assustava na saída.

Quem perdeu ainda tem tempo. Os próximos shows, em São Paulo, no Anhembi, serão nos dias 25 e 26 de agosto. E a Globo irá passar um especial em breve.


Para ouvir um pouco do show clique no link abaixo:

http://209.85.215.104/search?q=cache:Oxw9-EHeefMJ:g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL734180-7085,00.html+show+roberto+carlos+e+caetano+veloso+em+s%C3%A3o+paulo&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=2&gl=br

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP