VW ANUNCIA NOVOS GOL E VOYAGE

0

O Novo Gol e o Novo Voyage serão equipados com a família de motores mais moderna do mercado brasileiro. O motor 1.0l de três cilindros Total Flex, da família EA211, é muito mais eficiente em termos de performance e economia de combustível. Premiado pela imprensa especializada brasileira, o motor 1.0l de três cilindros Total Flex está entre os mais eficientes do segmento, proporcionando uma melhoria de eficiência energética de até 11%, em relação ao modelo anterior. Por isso, o Novo Gol e o Novo Voyage mantêm a excelente Nota A (Selo Verde) no Programa Brasileiro de Etiquetagem do INMETRO.

Produzido em São Carlos, no interior de São Paulo, o motor EA211 tem 999 cm³ de cilindrada, capaz de rodar com gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção. Sua potência máxima é de 75 cv (55 kW) a 6.250 rpm, quando abastecido com gasolina, e de 82 cv (60 kW) à mesma rotação, com etanol. O torque máximo é de, respectivamente, 9,7 kgfm (gasolina) e 10,4 kgfm (etanol), distribuídos na faixa de rotação de 3.000 rpm a 3.800 rpm. Já a partir de 2.000 rpm mais de 85% do torque máximo está disponível. Essa ampla faixa de distribuição do torque, que merece destaque por tratar-se de um motor sem sobrealimentação, melhora o desempenho em baixos regimes e dá fôlego para retomadas de velocidade. Além disso, combina perfeitamente com o câmbio de relações mais longas utilizado em modelos com o foco em economia de combustível.

A versão Highline do Novo Gol e Novo Voyage vem equipada com o consagrado motor 1.6 Total Flex, de até 104 cv (etanol) – versão Comfortline tem opções de motorizações 1.0 e 1.6. O motor 1.6 Total Flex é consagrado pelo sua robustez e eficiência energética. Esse motor recebeu ações de redução de atrito, em especial nos retentores das válvulas, do eixo comando e da flange do virabrequim. Essa redução de atrito proporciona menor consumo de combustível. Quando está abastecido com etanol (E100), a potência do motor 1.6l é de 104 cv (76 kW) a 5.250 rpm e o torque é de 15,6 kgfm (153 Nm) a 2.500 rpm. Quando está abastecido com gasolina (E22), a potência é de 101 cv (74 kW) a 5.250 rpm e o torque é de 15,4 kgfm (151 Nm) a 2.500 rpm.

Família de motores EA211 – Premiada pela imprensa brasileira

O motor EA211 foi desenvolvido segundo critérios de maior eficiência energética e menor consumo de combustível. Por isso optou-se pela configuração de três cilindros. Para assegurar seu desempenho, foi realizado intenso trabalho na redução de atrito dos componentes do motor e na aplicação de recursos tecnológicos exclusivos nessa faixa de cilindrada no mercado brasileiro.

O EA211 1.0l possui bloco e cabeçote feitos de alumínio, o que colabora para reduzir o peso do conjunto. Comparado a um motor de mesma cilindrada, mas com quatro cilindros, o novo EA211 é 24 kg mais leve.

A construção com três cilindros significa não apenas menor número de componentes – como biela, pistão e mancais –, como também menor perda de calor, o que aumenta sua eficiência térmica quando comparado a um motor de quatro cilindros.

Os cilindros têm maior diâmetro (são 74,5 mm, com 76,4 mm de curso), o que permite melhor enchimento da câmara de combustão. Combinada a essa característica está a vela de ignição colocada em posição central, entre as válvulas de admissão e escape, o que garante melhor frente de chama, maior velocidade e eficiência na queima da mistura ar-combustível e consequente maior eficiência térmica.

As bielas foram melhoradas e possuem desenho inovador. Cerca de 20% mais leves do que as convencionais, têm menor seção transversal e são guiadas no virabrequim.

A otimização da construção do motor está presente também na árvore de manivelas (virabrequim), que tem menor quantidade de contrapesos e o diâmetro de seus mancais principais reduzido. A massa total (peso) do componente foi reduzida, proporcionando menores inércia e atrito e aumentando a eficiência do conjunto.

Cabeçote

Com quatro válvulas por cilindro, sendo duas para admissão e duas para escape, o cabeçote tem comando de admissão variável – a variação é contínua, o que reduz consumo de combustível e emissões e melhora sensivelmente a resposta do motor em baixos regimes de rotação. A taxa de compressão é de 11,5:1. As válvulas são acionadas por balancins roletados (RSH, sigla para o termo alemão Rollenschlepphebel), recurso que minimiza o atrito entre os componentes e aprimora sua eficiência.

O cabeçote do EA211 1.0l possui coletor de escape integrado, formando uma peça única, com refrigeração líquida. Isso permite ao motor atingir sua temperatura ideal de funcionamento mais rapidamente, melhorando sua eficiência térmica.

O líquido de arrefecimento leva menos tempo para ser aquecido durante a fase fria do motor, porque recebe o calor dos gases de escape. Por outro lado, em alto regime de utilização, ocorre um controle da temperatura dos gases de escape na entrada do conversor catalítico (catalisador), permitindo que se opere mais tempo com a mistura ar-combustível estequiométrica (ideal).

O conversor catalítico (catalisador), instalado logo na saída do coletor de escape, atinge rapidamente sua temperatura adequada de operação. A chamada fase fria do motor dura menos e são reduzidas as emissões nesse estágio de funcionamento.

A construção da tampa do cabeçote é inovadora, em um processo que integra os eixos de comando (admissão e escape) e os cames de acionamento das válvulas permanentemente sem a necessidade de solda. Esse design permite a redução do diâmetro dos mancais dos eixos e, consequentemente, de atrito.

As polias de acionamento dos eixos de comando de válvulas têm desenho trioval, o que permite estabilização da força na correia dentada e de sua flutuação angular. Esse recurso, além de minimizar atrito e vibração, aumenta a durabilidade do sistema.

O coletor de admissão é feito de material polimérico de alta resistência e baixa rugosidade, garantindo fluxo de ar com baixa restrição. Como em todos os modelos Volkswagen, o conjunto de corpo de borboleta e acelerador é eletrônico.

O motor EA211 1.0l utiliza sistema de ignição com uma bobina por cilindro, o que elimina os cabos de velas e as perdas elétricas, colaborando para maior eficácia na combustão.

Duplo circuito de arrefecimento

Outra solução inovadora adotada no motor EA211 1.0l é o duplo circuito de arrefecimento, que permite temperaturas diferentes para o bloco e para o cabeçote – o sistema utiliza duas válvulas termostáticas. Com esse recurso, é possível utilizar maior temperatura de funcionamento para o bloco, tornando o óleo mais fluido e garantindo menor atrito entre os componentes.

A temperatura de arrefecimento do cabeçote, por sua vez, é menor, o que minimiza a possibilidade de detonação, melhorando o desempenho do veículo e diminuindo o consumo de combustível.

Partida a frio

O EA211 1.0l foi o primeiro motor do País nessa faixa de cilindrada a receber sistema de partida a frio que dispensa a utilização do tanque auxiliar para gasolina. Evolução do sistema introduzido no Brasil de forma pioneira pela Volkswagen no Polo E-Flex, em 2009, o sistema aplicado no motor que equipa o Novo Gol e Novo Voyage utiliza galeria de injeção feita de material polimérico, que aprimora a eficiência do conjunto.

O sistema de partida a frio é gerenciado pela Unidade Eletrônica de Controle (ECU) do motor. O combustível é aquecido em câmaras ao lado das válvulas injetoras e opera com temperatura ambiente abaixo de 17,5°C.

A partida do motor é assistida, o que significa que não é necessário manter a chave acionada para que ela se processe – basta um leve toque na chave para a ECU comandar todo o processo de partida. Como pré-requisito, a partida só é possível se o motorista acionar completamente o pedal de embreagem. O instrumento combinado alerta o motorista para efetuar esse procedimento.

Transmissão alongada

Como parte do pacote de melhoria da eficiência energética do Novo Gol e Novo Voyage, a transmissão MQ200 teve as relações alongadas em até 10% em comparação à utilizada no Gol 1.0l anterior. A medida foi possibilitada graças à maior disposição de torque em baixos regimes de giro. Isso faz com que o motor trabalhe em rotações mais baixas às mesmas velocidades, resultando em menor consumo de combustível e maior conforto em velocidades de cruzeiro.

Quando abastecido com gasolina, o Novo Gol tem redução de consumo energético de até 12%, em relação ao modelo anterior, comercializado até então com motor 1.0 quatro cilindros Total Flex.

Pneus de baixa resistência ao rolamento

Como item de série, as versões do Novo Gol e Novo Voyage vêm equipadas com pneus “verdes”, de baixa resistência ao rolamento, com aumento na aplicação de sílica em sua composição. Na versão de entrada Trendline, os pneus “verdes” são na medida 175/70 R14. Para a versão intermediária Comfortline, os modelos podem receber pneus “verdes” na medida 185/65 R14. Já os pneus “verdes” de maior largura e diâmetro, 195/55 R15, equipam de série a versão topo de linha Highline. Essa versão também pode ser equipada, como opcional, com pneus mais esportivos, na medida 195/50 R16, com novas rodas diamantadas.

Desempenho

O Novo Gol e Novo Voyage equipados com o motor 1.0l de três cilindros Total Flex combinam um desempenho surpreendente às características de economia de combustível e eficiência energética para um modelo dessa faixa de cilindrada. Quando abastecido com gasolina, o Novo Gol acelera de 0 a 100 km/h em 12,6 segundos e atinge velocidade máxima de 168 km/h. Com etanol, são 12,3 segundos para a aceleração de 0 a 100 km/h e 170 km/h de velocidade máxima.

Já o Novo Voyage cumpre as mesmas provas de aceleração em 12,9 segundos (gasolina) e 12,7 segundos (etanol). A velocidade máxima do sedã é de 173 km/h (gasolina) e 175 km/h (etanol).

Conforto acústico

O Novo Gol e Novo Voyage equipados com o motor 1.0l de três cilindros Total Flex também receberam melhorias no conforto acústico. Os modelos agora adotam sistema de escapamento redimensionado e novas mantas de isolação da cabine. Além disso, o motor da família EA211 é ancorado por um sistema de coxinização pendular – o peso do conjunto propulsor é suportado pelo novo coxim hidráulico do motor e pelo coxim da transmissão (seco). O sistema também conta com um restritor de torque, que controla a movimentação longitudinal (em relação ao veículo) do motor. A vantagem desse sistema pendular de coxinização é oferecer alto desempenho acústico, proporcionado mais conforto ao dirigir.

Motor 1.6l Total Flex

O motor 1.6l Total Flex, da família EA111, está disponível para as versões intermediária (Comfortline) e topo de linha (Highline) do Novo Gol e do Novo Voyage. Com 1.598 cm³ de cilindrada, quatro cilindros em linha e duas válvulas por cilindros, o consagrado motor proporciona excelentes números de desempenho. Com câmbio manual de cinco marchas (MQ200), de engates precisos e eficientes, o Novo Gol é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos. Com etanol, os 100 km/h são atingidos em 9,8 segundos; com gasolina, em apenas 10,1 segundos. A velocidade máxima também merece destaque, com 188 km/h (etanol) e 186 km/h (gasolina).

O Novo Voyage apresenta o mesmo vigor do Gol nas acelerações, com números praticamente iguais: 9,9 segundos (etanol) e 10,1 segundos (gasolina). A velocidade máxima do sedã é de 192 km/h (etanol) e 190 km/h (gasolina).

Transmissão I-Motion

O motor 1.6l ainda pode ser aplicado à transmissão automatizada ASG (iniciais de Automated Sequential Gearbox). O Novo Gol e o Novo Voyage I-Motion oferecem o melhor de dois mundos: o conforto de um câmbio automático e a eficiência mecânica de um câmbio manual. Além disso, o preço do câmbio I-Motion é extremamente atraente, se comparado à transmissão automática convencional (com conversor de torque).

Recursos eletrônicos de última geração

O Novo Gol e Novo Voyage contam com a nova arquitetura eletrônica da marca Volkswagen, que possibilitou a instalação de recursos e equipamentos de segurança. Os modelos trazem de série airbags frontais e freios ABS (Antilock Brake System, ou Sistema Antitravamento dos freios) com EBD (Electronic Braking Distribution, ou Distribuição Eletrônica de Frenagem). Conta também com o sistema ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência) como equipamento de série.

O ESS funciona como um alerta para evitar colisões traseiras. Toda vez que o motorista aciona o pedal de freio de forma acentuada, em que atua o ABS, o sistema aciona as luzes traseiras de freio de forma intermitente, sinalizando aos motoristas que vêm atrás que o Novo Gol e Novo Voyage estão tendo uma desaceleração acentuada.

O Novo Gol e Novo Voyage também trazem o Comfort Blinker, importante recurso de conforto e segurança. Esse dispositivo, presente também em modelos como Golf, Jetta e Passat, possibilita que o motorista, com um leve toque na alavanca de seta, indique a direção que pretende ir com o veículo, sem necessariamente acionar a alavanca de seta completamente. Com esse leve toque, o sistema aciona a luz de seta três vezes seguidas e indica a intenção de troca de faixa.

Controlador de velocidade de cruzeiro e ECO Comfort

Em seu novo quadro de instrumentos com iluminação branca, os modelos trazem de série, além do computador de bordo, a indicação de consumo instantâneo de combustível. O item auxilia o motorista a conduzir de forma mais econômica. Outro dispositivo de auxilio ao motorista para uma condução voltada à economia é o indicador digital de troca de marchas. O motorista recebe a informação da marcha ideal a ser engatada por meio de um indicador numérico e por setas orientando o motorista a reduzir ou aumentar a marcha.

O painel traz também o indicador digital de velocidade, que ajuda a controlar com mais precisão a velocidade instantânea, importante para evitar multas por excesso de velocidade. O painel também conta com o velocímetro analógico. Neste quesito, o Novo Gol e Novo Voyage podem ser equipados, como item opcional, com controlador de velocidade de cruzeiro (“piloto automático”), para maior conforto em velocidades constantes.

O Novo Gol e Novo Voyage contam ainda com o I-System, no instrumento combinado do painel, com informações do rádio – como a sintonia (AM/FM) e o nome da música que está tocando –, o status do telefone (se está ou não conectado com o Bluetooth) e os dados do computador de bordo (que informa distância percorrida, tempo de viagem, velocidade digital, consumos instantâneo e médio de combustível e autonomia).

Adicionalmente, os modelos vêm equipados com o sistema ECO Comfort. Esse dispositivo está presente em todas as versões (com I-System) e orienta o motorista a dirigir de forma mais econômica, por meio de mensagens no painel (instrumento combinado), que podem ser selecionadas para aparecer tanto com o veículo parado como em movimento.

Ar-condicionado ligado – Se o ar-condicionado estiver ligado e o vidro for abaixado mais de 20%, aparecerá a seguinte mensagem no instrumento combinado: “Ar-condicionado ligado; fechar janelas”. Essa medida reduz o consumo de combustível, pois aumenta a eficiência do sistema de ar-condicionado, ao manter o interior refrigerado, demandando menos energia do motor para acionamento do compressor do ar-condicionado.

Aceleração em vão – Com o veículo parado, o ECO Comfort também pode emitir alertas visuais com as mensagens: “Não acionar o pedal do acelerador na partida do motor” e “Não acionar o pedal do acelerador com o veículo parado”. Essas duas medidas evitam que a rotação do motor seja elevada sem necessidade, economizando combustível antes mesmo de o veículo entrar em movimento.

“Evite ter o motor em funcionamento com o veículo parado.” Essa mensagem também pode aparecer no painel, em condições com temperatura ambiente de até 50°C e com o motor em funcionamento por mais de 10 segundos. A finalidade é evitar o desperdício de combustível em marcha lenta.

Resistência aerodinâmica – Com o veículo em movimento, outras importantes recomendações do ECO Comfort ajudam a economizar combustível. Por exemplo: se o motorista estiver dirigindo acima de 90 km/h e com as janelas abertas mais de 20%, surgirá a mensagem “Resistência do ar: verifique se as janelas estão fechadas”. Os vidros completamente fechados otimizam a penetração aerodinâmica em altas velocidades, reduzindo a resistência do ar ao movimento.

Frenagem – O ECO Comfort também recomenda, por meio de mensagem no painel, que o motorista não pressione os pedais de freio e embreagem ao mesmo tempo por mais de 6 segundos, no momento de desaceleração. Por isso a dica: “Na frenagem, desengatar apenas abaixo de 1.300 rpm”. Essa recomendação reduz o consumo porque, no momento em que o motorista para de acelerar, com a marcha engatada, o acelerador eletrônico envia um sinal para Unidade Eletrônica de Controle cortar completamente a injeção de combustível do motor. Só que, para o motor continuar em funcionamento, é preciso que a embreagem seja desacoplada em uma rotação próxima da marcha lenta. Portanto, a indicação para pressionar a embreagem abaixo de 1.300 rpm considera uma margem até a rotação real de marcha lenta.

Por outro lado, se o motorista mantiver os pedais de freio e embreagem pressionados ao mesmo tempo, o motor passa a funcionar em marcha lenta, mas com algum consumo de combustível, a fim de manter o propulsor em funcionamento.

‘Tilt down’

Quando equipados com ajustes elétricos dos espelhos retrovisores, o Novo Gol e o Novo Voyage ganham a função “tilt down”, presente em modelos como Golf e Passat. Esse recurso regula automaticamente o espelho retrovisor do lado do passageiro, apontando para o meio-fio toda vez que a marcha à ré é engatada. Ao desengatar a marcha à ré, o espelho retorna exatamente à posição que estava ajustado previamente.

O “tilt down” ainda permite que o motorista ajuste o quanto deseja que o espelho seja rebaixado ao ser acionado, melhorando o campo de visão do meio-fio.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP