Aquecimento global preocupa brasileiros

0

A imagem, de campaha do Greenpeace, é um alerta. As queimadas e desmatametos estão afetando a vida do planeta deixando um rastro de destruição e temor, conforme revela a pesquisa  encomendada pela agência novaS/B junto ao IBOPE apontando que 91% dos brasileiros já ouviram falar no aquecimento global e 86% estão “preocupados” ou “muito preocupados” com o assunto.

 Esta preocupação atinge mesmo os segmentos de menor escolaridade e de menor renda: 81% dos brasileiros que no máximo completaram a 4ª série e 80% dos brasileiros que ganham até um salário mínimo se revelaram “preocupados” ou “muito preocupados” com o problema. Ao todo foram realizadas 1.400 entrevistas telefônicas em todas as regiões do País, entre os dias 20 e 23 de março.

Segundo dados da pesquisa nova S/B IBOPE, os efeitos do aquecimento global preocupam mais de quatro em cada cinco brasileiros. Os entrevistados avaliam que irá piorar muito a produção agrícola (83%), as enchentes (81%), as doenças tropicais (85%), a extinção de animais (86%), o nível dos oceanos (82%) e as secas, por conta do aquecimento global (84%).

A preocupação com o aquecimento global e seus efeitos reflete-se em um sentimento de urgência no enfrentamento da questão. Para 68% dos brasileiros, “o aquecimento global é um problema imediato e que deve ser combatido já por todos”. Em alguns segmentos, este índice é ainda maior, chegando a 84% entre os brasileiros com nível superior e a 73% entre os jovens de 16 a 24 anos.

Para 53% dos brasileiros, os maiores responsáveis pelo aquecimento global são os países ricos, enquanto 10% apontam os países pobres e 33% dividem a culpa entre ricos e pobres.

No grupo de brasileiros com ensino superior, no entanto, o quadro muda consideravelmente. Para 48% deles a culpa é tanto dos países ricos quanto dos países pobres; para 46%, é mais dos países ricos e, para 5%, os países pobres são os principais culpados.

No enfrentamento do aquecimento global, os ambientalistas vêm apontando uma série de medidas que podem ser tomadas pelo cidadão. Uma das principais é a recomendação de deixar o automóvel em casa sempre que possível. Ainda que seja grande a preocupação dos brasileiros com o aquecimento global, isso ainda não se reflete em uma mudança imediata de comportamento.

Entre os brasileiros que usam o carro diariamente, 38% dizem que não deixariam de usá-lo todos os dias, enquanto 29% responderam que estão dispostos a deixar o carro em casa de vez em quando e 19% declaram ter disposição para a fazer isso com mais freqüência

 

Share.

About Author

Comments are closed.