As “coisas” da Maria Bonita

0


A Maria Bonita Filmes anuncia a criação da sua divisão de conteúdo, entretenimento e novas mídias, a Maria Bonita Coisas, direcionada para projetos especiais como programas de TV, seriados, documentários, longa metragem, entretenimento e desenvolvimento de novas mídias. A “Filmes” continua a atuar no mercado de cinema publicitário, exatamente como antes. Para a nova empreitada, a Maria Bonita Coisas anuncia a chegada de cinco diretores, três executivos e dois criativos. Para os sócios Robério Braga, Lô Politi e Dudu Venturi, a Maria Bonita Filmes já é reconhecida como uma das grandes produtoras de filmes publicitários do País e a “Coisas” que funcionará como uma empresa à parte, conectada à “Filmes”, representa um novo desafio.

 A nova Maria Bonita Coisas nasce com uma equipe de primeira linha. Jovens talentos e nomes já reconhecidos da área audiovisual chegam para unir qualidade e criatividade. Na nova equipe estão: MC Fernandes, ex-diretor de criação da TV Bandeirantes e idealizador do Nickelodeon no Brasil e com grande expertise em televisão e entretenimento, dentro e fora do país. Mc é também diretor de cena de uma série de comerciais premiados na TV ; Paulo Machline, que entre outros trabalhos fez o filme sobre o Pelé, “Uma História de Futebol”, vencedor de 27 prêmios internacionais e indicado ao Oscar de Melhor Curta Metragem em 2001; e Pedro Mariano, o Peu, especialista em conteúdo on-demand para TV e outras mídias e responsável pela criação e produção do programa Me Poupe, do GNT.

Também integram o time Daniel dos Santos, que assinou a direção de imagens do Acústico MTV, O Rappa, Ivete Sangalo, Nando Reis e direção geral dos dvds Uns Dias, dos Paralamas do Sucesso, e Milágrimas, Espetáculo de dança de Ivaldo Bertazo, entre outros; Lawrence Tan, o Law, especialista em animação 3D, que tem em seu currículo a criação das vinhetas da Rede Cultura e do personagem virtual Sebastian da C&A, além de ser diretor de animação da equipe da Maria Bonita Filmes;  Carlos Wagner Messerlina La-Bella, o Waguinho La-Bella, reconhecido produtor executivo na área de televisão e cinema, foi durante 17 anos sócio da tvi,  uma das pioneiras na criação de conteúdo para a televisão. Diana Barradas Cardoso, uma das fundadoras da Conspiração Filmes e recém-chegada de uma temporada de 10 anos nos Estados Unidos onde trabalhou em empresas como Disney e Fox; Mariana Brasil, com passagens pela O2 Filmes e Moviarte ; João Vicente Castro, que tem passagens pela Zohar Filmes (RJ) e mais recentemente pela W/Brasil, onde foi redator durante três anos; e por último Aza Pinho, pesquisadora e documentarista que dirigiu seu próprio filme documentário  “Aristocrata Clube” completam o caldeirão de talentos da “Coisas”.

Segundo Robério Braga, a meta é apresentar projetos mais dinâmicos e que integrem a plataforma 360 graus tão alardeada pela comunicação contemporânea. “Para isso, montamos um time que é muito consistente. Pessoas com as quais sempre quisemos trabalhar, mas que só na Coisas foi possível viabilizar.”

Para receber a nova divisão, que acaba de se filiar à ABPITV R11; Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão, a sede da Maria Bonita Filmes, na Vila Madalena em São Paulo, foi ampliada em 200 m2.

 

Aumentou também o parque tecnológico da produtora com a aquisição de novos equipamentos de captação e edição em HD para melhor atender aos projetos da Coisas que já começaram com força total. É o caso do filme dirigido por Paulo Machline, o Natimorto, do livro de Lorenço Mutarelli, que será rodado ainda em 2007 e será uma co-produção entre a Maria Bonita e a RT Features, de Rodrigo Teixeira; a formatação e desenvolvimento do piloto do projeto R20;100 FundosR21;, seriado de ficção dirigido por MC Fernandes e em negociação com os canais de televisão; a produção do Programa Me Poupe, exibido no Canal GNT; e a formatação para tv da seção R20;Páginas NegrasR21;, da Trip, para o site da revista. Estes e outros projetos já são realizações da nova divisão.

 

De acordo com Dudu Venturi, o nome Coisas significa que a produtora nasce para trabalhar com todas as coisas R11; de conteúdo e qualidade – juntas e integradas, com destaque para a união de novos talentos que se completam.

 

“Coisas reproduz o novo momento da propaganda e da comunicação em geral que é a procura cada vez maior por produções diferenciadas. Coisas não é qualquer coisa. Mas sim, a busca por conteúdos originais, inovadores e autênticos”, explica Lô Politi.

 

 

 

 

Share.

About Author

Comments are closed.