OS MICRO-MOMENTOS MÓVEIS

0
Por Regina de Camargo Cavalcanti McDine*

Os Micro-momentos móveis e o caminho otimizado em direção ao cliente

Os dispositivos móveis têm nos redefinido: como pesquisar, aprender e comprar. Através destes dispositivos pequenos, que são facilmente conectados com o mundo, as nossas marcas favoritas e os mais estranhos e variados fatos – todos os que quisermos pesquisar no Google – nos acompanham para onde quer que decidamos ir.

Curiosamente o Google batizou estes casos de conexão total como “micro-momentos.” De acordo com o Google, “90% dos usuários de smartphones usam seu telefone a todo momento seja para buscar respostas a questões de longo prazo ou para a solução de processos envolvendo tarefas do dia a dia onde quer que eles estejam’. Os “micro-momentos” são aqueles segundos ou minutos em que o indivíduo se volta para o seu dispositivo para encontrar  respostas.
Para os profissionais de marketing, esses micro-momentos, e em particular o número crescente em que eles acontecem, tornam-se uma oportunidade de atingir seus clientes em um momento de real necessidade.
Assim, os micro-momentos são vistos como uma parte crítica da experiência de usuário e uma oportunidade para que as marcas deixem a boa impressão de satisfazer àquelas inquietas expectativas de um cliente em potencial.
Entretanto, há cuidados a tomar. Mesmo que o seu site esteja repleto de respostas ao que seus visitantes estão procurando, se a informação não for apresentada de uma forma que seja ideal para o usuário móvel, você provavelmente está perdendo oportunidades.
Por que Otimizar os Micro-momentos móveis?
Otimizar os micro-momentos móveis é essencial hoje em dia, já que o uso do dispositivo móvel continua a crescer, assim como a conexão 24/7 que os usuários já têm em seus dispositivos. Assim, as marcas precisam estar acessíveis sem qualquer tipo de restrição para atender às necessidades de seus usuários. A especialista norte-americana Talia Wolf, perita internacional em otimização de taxa de conversão (CRO), tem se dedicado a estudar como uma experiência móvel otimizada é percebida pelos clientes.
Ela reconhece as diferenças entre o visitante móvel contra o do desktop, observando que, “enquanto o visitante do desktop está sentado confortavelmente em sua mesa e tem todo o tempo do mundo para ler e converter, o visitante móvel está geralmente em movimento, realizando multi- tarefas, e muitas vezes utilizando um par de dispositivos ao mesmo tempo. Em síntese, os visitantes móveis estão mesmo à procura de informações diferentes das que um usuário de desktop busca. Eles precisam, efetivamente, de informações em tempo real.”
Apesar disso, com frequência, as páginas de destino não são projetadas especificamente para o usuário móvel. A prática mais comum, de fato, é projetar um website para ser responsivo. O design responsivo é feito tipicamente com o usuário de desktop em mente, mas está configurado para ajustar o layout da página para caber também no dispositivo que o usuário móvel está vendo.
Embora esta técnica torne o conteúdo disponível a todos os utilizadores, independentemente do dispositivo, ela nem sempre leva em conta a apresentação do conteúdo ou o estado de espírito do usuário. Desnecessário dizer que, em um micro-momento móvel, quando um usuário está apressado, distraído, na página de uma campanha, e encontra uma tela cheia de informações, convites para diferentes ações, e pouco tempo para resolver tudo, a apresentação do conteúdo e o estado de espírito tornam-se fatores-chave para a conversão.
Como Otimizar a Experiência Para os Usuários Móveis
As empresas podem verificar a teoria na prática, incorporando esses três princípios em seu próprio website para melhor atender as necessidades do usuário móvel.
Mensagem: Comece simplificando a sua mensagem para o visitante móvel, optando por concentrá-la apenas sobre os principais benefícios do produto, ao invés de ter uma longa lista de todos os recursos do produto.
Complemente as mensagens, incluindo um gatilho visual. Uma boa maneira de fazer isso é inserir uma imagem de um colaborador/ cliente ou parceiro claramente feliz que usa explicitamente o seu produto. Isso iria adicionar um elemento humano e ter mais destaque em comparação com a demonstração apenas das ferramentas.
Título: Certifique-se que seu apelo seja forte visualmente (aumentando o tamanho da fonte) e emocionalmente (através da inserção de elementos de interação social no alto da página, em vez de exibir apenas na parte inferior da mesma).
Apelo à ação (CTA – Call-to-action): Também é importante atualizar sua página de destino para ter apenas um CTA, e certificar-se de que o CTA seja acionável em um dispositivo móvel. Esta etapa é necessária para criar um novo CTA, atualizando o recurso de acordo com o dispositivo móvel, para que seus visitantes móveis não percam tempo e possam retornar e concluir sua jornada exatamente a partir do ponto onde pararam, caso retornem para sua área de trabalho. O uso de uma poderosa plataforma de gerenciamento de conteúdo, como o Progress® Sitefinity ™, ajudará a personalizar suas páginas de destino responsivas e, assim, criar uma experiência de cliente perfeita em todos os dispositivos.
Os micro-momentos móveis são passos críticos no caminho do cliente. Isto porque, sendo eles pequenos e definitivos passos, que ajudam a construir a consciência de um visitante em relação a uma marca. Ou são, simplesmente formas de rápido avanço, que resultam na compra do produto. De modo que os profissionais de marketing precisam estar preparados para atender às expectativas de seus usuários e isto inclui ter o conteúdo certo no momento certo e exibi-lo de uma forma que seja ideal para o dispositivo que está sendo usado.
*Regina de Camargo Cavalcanti McDine é Gerente Sênior de Marketing da Progress para a região CALA
Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP