TWITTER INFLUENCIA NA AUDIÊNCIA DE TV, DIZ KANTAR IBOPE MEDIA

0

A relação entre TV e mídias sociais está cada vez mais evidente. Em qualquer momento do dia, bastar acessar a internet por alguns instantes para saber o que está acontecendo durante alguma transmissão televisiva. Um fato inesperado, como o pequeno deslize de um apresentador, é matéria-prima suficiente para gerar milhares de comentários – além dos famigerados memes – que se propagam em questão de minutos por toda a rede.

Especialmente na era da conectividade, é difícil resistir à tentação de não olhar para onde todos estão olhando e é por isso que as emissoras, agências e anunciantes têm mostrado interesse em compreender o fenômeno do Social TV. Afinal, será que toda essa conversa pode impactar os ratings de audiência de uma atração?

Para responder a essa questão, o Twitter encomendou um estudo à Kantar IBOPE Media. O material mostra os primeiros indícios de uma relação causal entre o volume de Tweets sobre um programa televisivo e a sua audiência de televisão no mercado brasileiro.

O estudo, que considerou 295 episódios de programas de TV aberta e PayTV – previamente selecionados pelo Twitter – , apontou que 46% das exibições apresentaram alguma correlação positiva entre audiência e Tweets. Isso significa que, em quase metade dos casos, as alterações no volume de Tweets e no número de telespectadores, apresentaram curvas similares nas análises minuto a minuto.

Correlação vs Causalidade

Como correlação nem sempre quer dizer causalidade – ou seja, que o crescimento de um implica no crescimento do outro – os episódios foram submetidos a uma análise de “Séries Temporais”, desenvolvida por Clive Granger, geralmente utilizada no campo da economia para avaliar as relações de causa e efeito entre duas variáveis.

O resultado dessa análise apontou que, entre as exibições que apresentaram alguma correlação positiva, 23% delas apresentaram indícios de Tweets impactando a audiência, enquanto em 26% deles o aumento dos ratings de TV influenciou no volume de Tweets, mostrando que os dois universos se retroalimentam mutuamente.

2
Leitura: entre os episódios que apresentaram alguma correlação positiva entre Tweets e Ratings, o número de casos em que Tweets podem ter causado Ratings chega a 23%, enquanto o número de casos em que ratings podem ter causado Tweets chega a 26%

O estudo, primeiro no mercado latino-americano, buscando quantificar os efeitos do comportamento do SocialTV na audiência de televisão e vice-versa, ainda revela que, em um episódio específico de um determinado programa de TV, os Tweets em relação ao conteúdo televisivo podem ter contribuído em até 13% na sua audiência média daquele dia.

Leitura: A “Baseline – Audiência” representa Rat# (000) normal do programa ao longo da exibição. A “Contribuição – Twitter” se refere ao quanto os Tweets podem ter influcenciado no incremento da audiência e o “Volume de Tweets” é o número de Tweets a cada minuto.

Embora não se tenha evidenciado quais fatores que levam, objetivamente, um programa a aumentar os ratings a partir da quantidade de Tweets, o estudo reforça que a combinação entre conteúdo inédito, uma plataforma de tempo real e uma audiência em sincronia pode ser a fórmula perfeita para estabelecer o tão desejado engajamento com o consumidor.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.