DIÁRIO DO GOLPE: COSME E DAMIÃO SEGUNDO JOÃO BAPTISTA ABREU

0

Por João Baptista Abreu*

Hoje é dia de Cosme e Damião. Retiro o tratamento de santo para dar a impressão de certa intimidade. Mas, afinal, quem foram estes gêmeos da tradição cristã?. Nasceram na Arábia lá pelos idos do ano 260 d.C., de família rica, e migraram para a Síria, onde se formaram em Medicina. Davam consultas e não cobravam nada dos clientes. A prática começou a gerar inveja e desconfiança e o imperador romano Diocleciano mandou prendê-los. Condenados à morte, foram torturados e acabaram sendo decapitados.

Antigamente, no Rio de Janeiro e em boa parte do Brasil, as crianças se fartavam de doce e balas, peregrinando de porta em porta. Quase todos os adultos entravam na brincadeira. Com o tempo, a tradição foi-se restringindo ao subúrbio. Hoje, com tanta advertência de obesidade infantil,até os santos tiraram o corpo fora. E com tanto carro circulando em alta velocidade pelas ruas da cidade, até mesmo as secundárias, correr atrás de doces ficou ainda mais arriscado.

Daqui a pouco algum gaiato vai criar “disque-balas” e oferecer um delivery de guloseimas em domicílio. E, claro, vai prometer uma comissão de 10% para os santos, aliás 20% porque são dois. Se o empresário for do PMDB ou do PSDB, tudo bem. Trata-se de um empreendedor. Se pertencer ao PT, será preso e levado a Curitiba com estardalhaço sob indícios de corrupção.

Os procuradores, cheios de convicção, vão alegar que não se trata de coincidência os santos comemorarem seu dia às vésperas da eleição. Prisão temporária pra eles. Afinal, vieram da Síria e podem fazer parte do programa subversivo Mais Médicos. Nunca se sabe. Caixa dois: um pra Cosme, outro pra Damião.

*João Baptista Abreu é jornalista profissional, professor do Instituto de Arte e Comunicação Social (IACS) da Universidade Federal Fluminense. 

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.