MÉDICOS SEM FRONTEIRAS REFORMULA SITE PARA FACILITAR DOAÇÕES

0

Desenvolvida pela Itelios, plataforma gera contribuições pela internet, facilita captação de recursos e melhora experiência do usuário.

Para responder prontamente a emergências e levar cuidados de saúde a pessoas afetadas por graves crises humanitárias, a Médicos Sem Fronteiras (MSF) depende de doações privadas – cerca de 90% de sua receita é oriunda dessa fonte. A organização internacional remodelou sua página web no Brasil com a ajuda da Itelios (www.itelios.com.br) – consultoria de tecnologia especializada em e-commerce e conteúdo – para garantir que o processo de doação pela internet fosse mais eficiente, além de melhorar a oferta de informações à população.
Com a nova plataforma, após campanhas da MSF na TV, o porcentual dos que preferem doar pelo site subiu de 65% para 75%, quando comparado aos que optam por utilizar o call center. Isso permite à organização otimizar a quantia arrecadada, pois o custo de manutenção da página web é inferior ao de manter uma equipe de atendentes para processar as doações via telefone. Além disso, as contribuições feitas por meio de celulares e tablets subiram de 25% para 30%.
A reformulação começou em meados de 2014, a partir de uma demanda internacional. “A ideia era unificar todos os sites da MSF em um mesmo sistema de gestão de conteúdo, no caso o Drupal. Procuramos uma empresa brasileira especializada na plataforma e avançamos com o projeto. Foi duplamente positivo: além de ser uma necessidade internacional, o site anterior já estava obsoleto”, conta Jéssica Urdangarin, coordenadora de comunicação digital da organização.
O trabalho com a Itelios simplificou o preenchimento de formulários para doação, facilitou o processo como um todo, permitiu gerar relatórios mais eficientes, trouxe responsividade ao mobile, assim como melhorou a interface utilizada pela equipe para criar e distribuir conteúdo informativo. “Somos um caso bem específico, já que, por um lado, nossa estrutura é semelhante a um e-commerce, em que os usuários efetuam transações online, mas, por outro, não há um produto sendo adquirido, o doador tem um ato de solidariedade e não espera de nós nada em troca, apenas a boa gestão dos recursos. Por isso o processo precisa ser fácil e sem erros”, afirma Jéssica.
Outra preocupação da Itelios foi garantir que o site da MSF nunca saísse do ar. “Se deixamos de receber doações, os esforços para salvar vidas são diretamente afetados”, explica Jéssica. Para tanto, a página foi programada para ser capaz de se auto-escalonar: frente a um tráfego repentinamente grande, automaticamente mais espaço no servidor é utilizado. Segundo Rafael Ruppel, diretor da Itelios no Brasil, isso garante a autonomia para que o endereço funcione normalmente mesmo num caso onde, por exemplo, um desastre ambiental faça com que uma multidão decida doar ao mesmo tempo.
“Somos enablers”, explica Ruppel. “Entendemos os desejos e necessidades do cliente com relação à web e criamos a tecnologia necessária para torná-los realidade. Conseguimos trabalhar com esse nível de especificidade porque temos um background de empresa grande, mas agilidade de equipe pequena”, diz ele. “Isso nos permitiu expandir a operação no Brasil em 50% só neste ano.”
Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.