Mudando o cenário

0

Foto: Ierê Ferreira

Em parceria com o Grupo Cultural AfroReggae, do Rio de Janeiro, o Itaú Cultural realiza, de 14 a 26 de setembro em São Paulo, a segunda edição do projeto Antídoto – Seminário Internacional de Ações Culturais em Zonas de Conflito. Líderes sociais, artistas e pensadores da Colômbia, Honduras, Reino Unido e Brasil participam de apresentações teatrais e musicais e seminários que têm como proposta discutir e evidenciar o papel de proteção comunitária que iniciativas culturais desempenham em cenários de conflitos, sejam eles étnicos, religiosos ou sociais. A programação é gratuita e será transmitida pelo site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br).

Para esta edição, foram convidadas pessoas que viveram experiências em ambientes de violência. Um dos destaques internacionais é o sociólogo colombiano Hugo Acero, ex-secretário de Segurança e Convivência da Prefeitura de Bogotá, que vem ao país contar as estratégias que foram adotadas para reduzir em 77% a taxa de homicídios na Colômbia entre 1999 e 2006. Ao lado dele, estarão nomes como o ex-presidiário e ex-dono do tráfico no Conjunto Amarelinho, em Acari (RJ), Washington Rimas, que hoje se dedica a projetos nas comunidades de Vigário Geral e Parada de Lucas; o antropólogo inglês Luke Dowdney, criador do projeto socioesportivo Luta Pela Paz, instalado desde 2000 no Complexo da Maré; e Gabriela Leite, ex-prostituta que criou a ONG Davida e a grife Daspu, entre outros.

“O Antídoto tem o objetivo de mostrar experiências vencedoras e apontar caminhos para enfrentar a violência e os efeitos da exclusão”, diz José Junior, coordenador executivo do AfroReggae, organização não-governamental que desenvolve projetos para tirar crianças e jovens do caminho do tráfico e do subemprego no Rio de Janeiro. “Gente como o pastor Marcos, que medeia conflitos em presídios desde 1990 e já ajudou a controlar mais de 10 rebeliões, e a pedagoga Dagmar Rivieri Garroux, a Tia Dag, que há 14 anos trabalha com crianças e jovens no Capão Redondo, em São Paulo, têm uma contribuição valiosa para pensar saídas para os conflitos que vivemos no dia-a-dia”, diz Junior.

A programação da segunda edição do Antídoto será permeada por atividades culturais que tratam do tema. No palco do Itaú Cultural haverá apresentações do grupo teatral Nós do Morro, criado há 21 anos para socializar jovens da comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro, e do músico colombiano Cesar Lopez, o idealizador da escopetarra: uma guitarra feita a partir da estrutura de um fuzil AK-47. O idealizador do instrumento, criado em 2003, tem como proposta transformar a violência das armas em música.

A banda AfroReggae, o rapper Rappin’ Hood e a cantora Paula Lima serão os anfitriões dos quatro dias de shows do evento. Além de Cesar Lopez, eles receberão no palco o sambista Arlindo Cruz, um dos principais compositores brasileiros do gênero, a Banda 190, da PM do Rio de Janeiro, e o Olodum. O grupo baiano participa, desde 1984, de campanhas para a formulação de políticas públicas para os afro-descentes e pela defesa dos direitos econômicos, sociais e culturais da população.

PROGRAMAÇÃO

Teatro
De 14 a 16 de setembro (sexta a domingo), às 19h30
Os Dois Cavalheiros de Verona, com Grupo Nós do Morro (Brasil)
Sala Itaú Cultural (200 lugares)

Shows
Dia 20 de setembro (quinta), às 19h30
Com AfroReggae, Rappin’ Hood e Paula Lima (Brasil)
Sala Itaú Cultural (200 lugares)

Dia 21 de setembro (sexta), às 19h30
AfroReggae, Rappin’ Hood e Paula Lima recebem Arlindo Cruz (Brasil) e Cesar Lopez (Colômbia)
Sala Itaú Cultural (200 lugares)

Dia 22 de setembro (sábado), às 19h30
AfroReggae, Rappin’ Hood e Paula Lima recebem Olodum e Banda 190 PM do Rio de Janeiro
Sala Itaú Cultural (200 lugares)

Antídoto – 2º Seminário Internacional de Ações Culturais em Zonas de Conflito
Dia 24 de setembro (segunda)
16h30
Abertura
Com Hector Ivan Mejia (Honduras), oficial ligado ao Ministério da Segurança de Honduras, e MV Bill (Brasil), músico e um dos fundadores da Central Única de Favelas (Cufa)
Mediação: Renata Bittencourt (Brasil), gerente do Núcleo de Educação Cultural do Itaú Cultural

19h30
As Contradições dos Conflitos e da Cultura

Com Hugo Acero, sociólogo e ex-secretário de Segurança e Convivência da Prefeitura de Bogotá (Colômbia) e Danilo Santos de Miranda, especialista em ação cultural e diretor do Departamento Regional do SESC – SP (Brasil)
Mediação: Renata Bittencourt (Brasil)

Dia 25 de setembro (terça)
16h30
Cotidiano: Relatos e Experiências

Com Bárbara Santos (Brasil), socióloga e coordenadora geral do Centro de Teatro do Oprimido – CTO, Washinton Rimas (Brasil), ex-dono de tráfico em Acari (RJ) e atual agente de projetos do AfroReggae nas comunidades de Vigário Geral e Parada de Lucas; e Luke Dowdney (Inglaterra), antropólogo inglês criador do projeto socioesportivo Luta Pela Paz, instalado desde 2000 no Complexo da Maré.
Mediação: Damian Platt (Inglaterra), ex-funcionário da Anistia Internacional em Londres, atualmente integra o departamento de Parcerias Institucionais do Grupo Cultural AfroReggae

19h30
O Preconceito da Cultura Leva ao Conflito?

Com Regina Casé (Brasil), apresentadora dos programas Minha Periferia e Central da Periferia, e Gabriela Leite (Brasil), criadora da organização não-governamental Davida e da grife Daspu.
Mediação: Edson Natale (Brasil), gerente do Núcleo de Música do Itaú Cultural

Dia 26 (quarta-feira)
16h30
A Juventude Não Conhece Muros

Com Valdênia Paulino (Brasil), ex-coordenadora do projeto Casa das Meninas e atual Conselheira Nacional de Direitos Humanos, Dagmar Garroux (Brasil), pedagoga que há 14 anos trabalha com crianças e jovens no Capão Redondo, em São Paulo, e Laura Ribeiro (Brasil), advogada mineira trabalhou com direitos humanos em países em conflito e hoje coordena a campanha de direito à educação na Universidade de Birzeit, em Ramallah (Cisjordânia).
Mediador: Marcelo Loureiro (Brasil), ex-empresário que integra o conselho do Instituto Rukha, atuante da Zona Sul de São Paulo

19h30
Religião, Cultura e Conflito

Com Brendan Meagher (Irlanda) e pastor Marcos (Brasil), presidente da Igreja Assembléia de Deus dos Últimos Dias, que desenvolve atividades de mediação de conflitos em presídios.
Mediação: José Júnior (Brasil), coordenador executivo do AfroReggae, organização não-governamental que desenvolve projetos para tirar crianças do caminho do tráfico e do subemprego no Rio de Janeiro


 

Share.

About Author

Comments are closed.