Oi. Veja o lucro da Telemar

0

A Tele Norte Leste Participações – holding do grupo Telemar, que passa a usar a marca Oi – encerrou 2006 com lucro líquido consolidado de R$ 1,3 bilhão, 18% superior ao de 2005 e o maior já registrado pela companhia. A receita bruta subiu 2,3%, para R$ 24,2 bilhões, e a receita líquida avançou 0,7%, para R$ 16,9 bilhões.

A base de clientes aumentou 10%, influenciada principalmente pelos serviços de telefonia móvel e de acesso à internet em banda larga (Oi Velox). No fim do ano passado, a companhia atingiu 28,6 milhões de clientes, dos quais 14,4 milhões em telefonia fixa, 13,1 milhões em telefonia móvel e 1,1 milhão em banda larga.

A base de telefonia móvel incorporou 2,7 milhões de novos clientes e terminou 2006 com expansão de 26%, superando mais uma vez o crescimento médio do mercado (16%). Em dezembro, a Oi liderava o serviço de telefonia móvel em sua área de atuação (Região 1), com participação de 27,4%.

– O resultado recorde e o crescimento da base de clientes refletem o amadurecimento dos nossos investimentos e o sucesso da nossa estratégia em banda larga, mobilidade e convergência – destacou o diretor de Finanças e Relações com Investidores da companhia, José Luis Salazar

O número de clientes do Oi Velox, serviço de acesso à internet em banda larga, aumentou 40%, refletindo o sucesso das ofertas convergentes da empresa e o aquecimento das vendas de computadores no país.

Ebitda – O Ebitda (lucro antes de despesas financeiras, impostos, depreciações e amortizações) consolidado atingiu R$ 6,1 bilhões, com declínio de 10% em relação a 2005. A queda foi influenciada, entre outros fatores, pelos reajustes negativos nas tarifas de uso da rede local (TU-RL) e do plano básico de telefonia fixa; pelo início da provisão para o pagamento da taxa de renovação da concessão de telefonia fixa; pelo aumento de provisões fiscais e regulatórias, e pelos maiores gastos com a manutenção da planta. A margem Ebitda foi de 36,2%.

Investimentos – Em 2006, os investimentos totalizaram R$ 2,3 bilhões, o equivalente a 13,7% da receita líquida consolidada. Desse montante, 71% foram destinados à telefonia fixa e o restante, à telefonia móvel. A maior parte dos recursos foi alocada na melhoria das redes e da infra-estrutura geral das empresas – principalmente no aumento da capacidade de transmissão da rede móvel e na expansão da plataforma de banda larga. Para 2007, os investimentos programados são de R$ 2,4 bilhões, dos quais 80% serão destinados à telefonia fixa e 20%, à móvel.  

Endividamento – Ao fim de 2006, a dívida bruta da companhia totalizava R$ 9,6 bilhões, 2,9% inferior à de dezembro de 2005. A dívida líquida caiu 19,7% e encerrou o ano em R$ 4,9 bilhões, ajudando a reduzir as despesas financeiras em 20%. No fim do ano passado, a dívida líquida era equivalente a 80% do Ebitda da empresa. O saldo de caixa e aplicações financeiras alcançou R$ 4,7 bilhões.

Oi móvel (TNL-PCS) – A receita operacional bruta da empresa aumentou 29%, para R$ 4,8 bilhões, e a receita líquida cresceu 24%, para R$ 3,6 bilhões. A receita com serviços móveis (excluindo a venda de handsets) teve alta de 47%, atingindo R$ 3,9 bilhões.

O faturamento com serviços de valor adicionado – como SMS, envio de fotos e downloads de vídeos – avançou 52%, alcançando R$ 277 milhões. A receita com chamadas originadas totalizou R$ 1,4 bilhão, com expansão de 45% sobre o ano anterior.       

   

Na operadora de telefonia móvel, o lucro líquido atingiu R$ 138,1 milhões. O Ebitda recuou 4,6%, para R$ 439 milhões.

Oi Internet – Lançado em fevereiro de 2005, o provedor Oi Internet terminou 2006 com mais de 2,5 milhões de clientes Deste total, 2,2 milhões utilizavam o acesso discado e cerca de 360 mil já haviam aderido ao serviço de banda larga. O provedor está presente em mais de 2,2 mil localidades.

Cenário – A perspectiva de um cenário econômico mais favorável – com crescimento mais acentuado, inflação estável e juro real inferior ao de 2006 – reforça a expectativa de resultados ainda melhores em 2007.  Os investimentos planejados para este ano são de R$ 2,4 bilhões, sendo 80% para a telefonia fixa – incluindo a expansão de novos negócios – e 20% para a móvel.

 A Oi espera elevar para cerca de 15 milhões de clientes sua base de telefonia móvel, o que representará aumento de 15% em relação ao fim de 2006 (13,1 milhões). O número de assinantes do Oi Velox deverá saltar de 1,1 milhão para aproximadamente 1,4 milhão (+24%). Para a telefonia fixa, a expectativa é de manter o número de linhas em serviço, objetivo que já tem sido alcançado com a adesão aos planos alternativos em minutos da empresa.

  

Novidades Oi

 

Marca Única – A Oi anunciou no último dia 28 de fevereiro a adoção de uma marca única para os serviços de telefonia fixa, móvel, internet e entretenimento, em substituição ao nome “Telemar”. O objetivo é traduzir a convergência de serviços para o consumidor, com mais simplicidade e eficiência. Essa inovação fortalece o posicionamento da companhia, a única provedora completa de soluções integradas de telecomunicações do Brasil.

O Telefone Telemar passa a se chamar Oi Fixo, oferecendo aos clientes diversas opções de planos em minutos, com benefícios como: internet ilimitada, minutos grátis aos fins de semana, minutos não usados válidos para o mês seguinte e conta detalhada;

O Velox agora é Oi Velox e traz oferta para dar mobilidade ao acesso em qualquer lugar da casa: o modem wi-fi com valor promocional;

O 31, serviço de longa distância nacional e internacional, ganha nova identidade visual, mais próxima à marca Oi;

Lançamento do Oi Mix, família de serviços convergentes, como o Oi Conta Total, que reúne na mesma oferta telefonia móvel, fixa, longa distância e internet. O Oi Conta Total oferece ainda, em parceria com a Sky+DirecTV, inclusão de TV por assinatura – a partir de 22 de março, inicialmente para as cidades do Rio de Janeiro e Niterói

Lançamento do Oi Flex, fixo e móvel num único aparelho, oferecendo mais comodidade e economia para os clientes;

O Programa de Relacionamento da empresa passa a se chamar Oi Mais, um só programa para todos os serviços de telecom oferecidos.


Planos de minutos – Lançados em maio de 2006, os Planos de Minutos encerraram 2006 com cerca de 1,7 milhão de clientes. Com características até então restritas à telefonia móvel, como a tarifação de chamadas por minutos, a possibilidade de transferir o tempo não utilizado para o mês seguinte e a opção de detalhamento da conta, os planos têm quatro opções de franquia (230, 350, 500 e 1000) e três modalidades (Fale, Fale & Navegue Noite, e Fale & Navegue Sem Limites).

Novos serviços – Aprofundando a estratégia de convergência, a empresa lançou mais dois serviços inovadores: o Oi Paggo, um serviço pioneiro no Brasil, que permite ao cliente pagar suas compras com o Oi, em uma rede de mais de 700 lojistas credenciados, e o Oi Flex, que reúne em um único aparelho as vantagens da telefonia fixa e móvel, possibilitando que o usuário efetue e receba ligações como telefone fixo, quando estiver em casa, ou como móvel, quando estiver se deslocando fora de casa.


Parceria – A Oi, a Brasil Telecom e a Sky+DirecTV anunciaram em 12 de fevereiro um acordo comercial para ação conjunta de vendas e descontos de seus serviços entre a empresa de TV por assinatura e cada uma das empresas de telecomunicações em suas respectivas regiões. Por meio desta parceria, os consumidores poderão ter descontos expressivos na aquisição de serviços conjuntos de TV paga digital (operado pela Sky+DirecTV) e de telecomunicações (banda larga/internet, telefonia fixa, móvel e longa distância).

   


 

Share.

About Author

Comments are closed.