Os resultados da Vivo

0

AVivo Participações S.A. obteve lucro líquido de R$ 885,6 milhões no quarto trimestre de 2006. O lucro consolidado e acumulado no ano foi de R$ 16,3 milhões. Os resultados foram em maior parte, conseqüência da Reestruturação Societária e adicionalmente de um conjunto de ações em busca da satisfação dos clientes, da eficiência e redução de custos.

A conclusão do processo de reestruturação societária, cujo término ocorreu em outubro do ano passado, foi outro fator determinante para o desempenho da Vivo, uma vez que a estratégia resultou em uma nova e competitiva estrutura societária, culminando em uma única operadora e uma holding para todos os mercados onde a Vivo atua. A ação conferiu à companhia modernização administrativa, maior transparência e maior eficiência nos controles de custos.

A receita líquida de serviços aumentou 7,3% no quarto trimestre e refletiu positivamente no aumento de 4% na receita líquida total no período se comparado ao terceiro trimestre de 2006.   O montante alcançado pela companhia no último trimestre do ano foi R$ 2,94 bilhões. Houve queda de 14,3% na dívida líquida da companhia no último trimestre do ano, que foi de R$ 3,55 bilhões, se compararmos ao mesmo período de 2005, o recuo foi de 14,5%.

A Vivo também registrou aumento de 19,8% no EBITDA (resultado antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) no último trimestre de 2006, comparando-se o indicador com o registrado no terceiro trimestre. No acumulado do ano, a margem foi de 23,7% e o montante registrado pela Vivo foi de R$ 2,59 bilhões.  

O presidente da Vivo, Roberto Lima, salienta a importância do envolvimento de todos os colaboradores da empresa para atingir as metas propostas. “Os números atestam a eficácia das ações realizadas nos últimos 18 meses e nos levam a acreditar que estamos trilhando um caminho vencedor. Temos consciência de que há muito ainda a ser feito, mas estamos na rota certa”, afirma Roberto Lima. Para ele, a Vivo tornou-se “uma companhia totalmente alinhada em termos de eficiência e compromisso com os clientes, na qual os processos administrativos são simplificados visando à melhor gestão de recursos”.


Qualidade nos Serviços

Ao longo de 2006, a Vivo fez avanços significativos, que possibilitaram à empresa a manutenção de sua posição de líder de mercado. Mais de 95% de sua base de clientes já está inserida em uma plataforma de sistemas unificada, que garante mais agilidade ao desenvolvimento e oferta de produtos e serviços para toda sua base de usuários. Ao mesmo tempo, a Vivo realizou intenso trabalho de autenticação de sua rede e terminais, reduzindo as perdas associadas a fraudes e clonagens a níveis não-materiais; tendendo a zero.

Mais de 99% das chamadas direcionadas ao call center da companhia foram completadas. Esse é um dos indicadores mais difíceis entre os estabelecidos pelas metas de qualidade da Anatel.

A Vivo adotou em 2006 uma política comercial e de marketing mais agressiva, com o lançamento de novas ofertas, visando a aumentar o tráfego e o volume de recargas, com aumento nas receitas. Foram apresentados ao mercado novos planos Vivo Escolha que combinam economia e liberdade na escolha de serviços. 

A empresa expandiu seus canais de venda e de recargas. Obteve um maior número de ativações em lojas próprias que representam aproximadamente 30% do total. Também investiu na padronização de aproximadamente 53% de pontos de vendas próprios e, ainda, em 450 de suas revendas. A loja virtual da companhia registrou aumento de 200% no total das vendas do ano passado.

Receita de Dados
No quarto trimestre de 2006, houve um incremento de 27% na receita de WAP (acesso a internet) na comparação ano a ano, com potencial de crescimento em função do aumento de aparelhos habilitados para dados. Este incremento decorre do desenvolvimento de produtos e maior adoção destes serviços, aliado a maior e melhor comunicação e informação aos usuários, que resultaram na adoção do acesso e utilização das ferramentas e, também, um incremento no portfólio de aparelhos.

A participação do serviço de banda larga móvel VIVO e placas de conexão PCMCIA como por smartphones ou telefones celulares representou 34% do total das receitas de dados, contra 17% no mesmo período do ano anterior. O número de usuários do Vivo WAP superou a marca de 2,5 milhões. Outros números relevantes no quesito serviços de valor adicionado são: mais de 3 milhões de downloads de ringtones por mês pelo Vivo Downloads e mais 1 milhão de usuários do serviço de matchmaking Vivo Cupido no 4T06, disponível nas plataformas SMS e Vivo Downloads.

Rede GSM/EDGE
Outro fator a ser destacado no ano de 2006 foi a decisão da Vivo em investir na construção de uma rede GSM/EDGE. Para Roberto Lima, foi uma “decisão importante e corajosa e graças ao empenho de nossas equipes de colaboradores e dos nossos fornecedores foi possível implantar a rede GSM/EDGE em prazos recordes em comparação às demais em operação, que levaram anos para serem construídas”.

“Com a força da marca Vivo, assim como de suas equipes e seus parceiros de negócios, a partir de agora, com o incremento da prestação de serviços também na tecnologia GSM/EDGE a companhia continuará exercendo o seu papel de liderança e contribuição ao desenvolvimento do mercado brasileiro de telefonia móvel e do próprio País”, finaliza Roberto Lima.

Sobre a Vivo
Controlada pelos grupos Portugal Telecom e Telefónica, é a maior prestadora de serviços de telecomunicações móveis do Hemisfério Sul.  A empresa é líder no mercado e fornece soluções corporativas por meio da unidade de negócios Vivo Empresas.

 
A operadora tem como diferenciais competitivos: a qualidade de sinal de cobertura, serviços de transmissão de voz e dados, acesso à Internet móvel em 3ª Geração com velocidade de até 2.4 Mbps, transmissão de vídeo e outros formatos de comunicação on-line.

 

 

Share.

About Author

Comments are closed.