Poupançudos viram cofrinhos

0

A Caixa Econômica Federal apresenta a partir desta semana nova etapa da campanha “Os Poupançudos” , um dos maiores sucessos de comunicação do banco dos últimos cinco anos para a área de poupança.

Os Poupançudos são personagens animados que foram criados pela agência Fischer América em outubro do ano passado para divulgar a poupança da Caixa, despertando a atenção das crianças e de seus pais para a importância de investir no futuro.

Inspirados nas animações do estúdio Pixar, os bonecos fizeram grande sucesso na primeira fase da campanha e agora voltam à mídia para ser oficialmente apresentados ao público. Eles são os divertidos Babu, Jijo, Neo, Barrico, Zóio, Balum, Ico e Badu.

Por meio de TV, cinema, rádio, revista, mobiliário urbano e material de ponto de venda, eles anunciam que viraram cofrinhos e que para levar qualquer um deles para casa, basta depositar R$ 50,00 na poupança da Caixa.

Com seis meses de vida, os Poupançudos já ajudaram o banco a alcançar resultados recordes. Apenas no período entre outubro de 2006 e janeiro deste ano foram mais de 1 milhão de novas contas de poupança abertas na Caixa. Somente em dezembro, a captação chegou a R$ 1,4 bilhão, o que representou 96% da meta anual do banco.

“A Caixa já é líder na categoria poupança há cinco anos consecutivos e os Poupançudos têm ajudado a ampliar ainda mais o Top of Mind da marca. Eles são uma ferramenta de relacionamento do banco com seu target e a caracterização de cada um dos bonecos agora multiplica as possibilidades de interação “, diz Flávio Casarotti, vice-presidente de criação da agência. “Eles têm nome e personalidade próprios. Pensamos em cada detalhe na construção dos personagens: a cor, o tom de voz, o biotipo, até o jeito de dançar”, completa o criativo.

No comercial que entra no ar a partir desta semana, em TV aberta e fechada, a turminha surge na calada da noite dançando sobre uma mesa de escritório em um agência da Caixa. “Oi pessoal, agora a gente virou cofrinho. Eu sou o Badu”, anuncia o primeiro. Os outros 7 integrantes do grupo aparecem na sequência e, um a um, se apresentam pelo nome em meio a uma barulhenta disputa por moedas. “Chegaram os cofrinhos Poupançudos. Deposite R$ 50,00 na poupança da Caixa e leve o seu”, diz a locução. A movimentação da turma chama a atenção do guarda, que aponta a luz da lanterna em direção a eles. Todos estão agora transformados em cofrinhos. Assim que o guarda se afasta, voltam à vida e guardam suas moedas. Encerra com a locução: “Cofrinhos Poupançudos da Caixa. Quem
poupa, ganha”.

Os Poupançudos foram concebidos e criados pelos diretores de arte Pedro Pletisch e Kleyton Mourão, em parceria com os redatores Ricardo Baptista e Pedro Guerra, sob direção de criação de Jáder Rossetto e Flávio Casarotti.

O ilustrador Julius Otah ajudou a finalizar a imagem dos bonecos, sendo responsável pela solução estética que permitiu “modelar” os personagens em 3D. A produção do comercial que agora estréia é assinada pela Vetor Zero.

Fischer apresenta: OS POUPANÇUDOS DA CAIXA
BADU
Meio cientista, metido a inteligente, ele é bom de papo e gosta de argumentar. Com tudo isso, se deu bem e virou líder dos Poupançudos.

BARRICO
Agitado, curioso, ele não pára nunca, está sempre ligado. Só é um pouco indeciso. Não é fácil ter um único ponto de vista quando se tem cinco olhos.

ICO
Ele é bondoso, delicado, romântico e até um pouco inocente. Seus olhos estão sempre girando 360º a procura de alguém para ajudar.

JIJO
Desengonçado, trapalhão, desligado, demora para entender as coisas e é sempre o último a rir das piadas. Pra disfarçar, ele já começa a rir antes que alguém conte uma.

NEO
É muito esperto, ágil, bom dançarino e brinca muito. Só fica mal-humorado quando o confundem com um dinossauro. Queria ser o líder e por isso repete tudo o que o Badu fala.

ZÓIO
O mais maluquinho e sem noção. Faz piada com qualquer coisa e nem sempre na melhor hora. Vive rindo – até mesmo sem motivo.

BABU
É o mais apressadinho. Fala tudo rápido e se empolga tanto que até engole umas letras das palavras. É por isso que ele é gordinho.

BALUM
Grandão, ele é meio sem ginga e tem um vozeirão grosso. É o mais tranqüilo, sensato e pé-no-chão da turma.

Share.

About Author

Comments are closed.