PwC: MÍDIAS DIGITAIS GANHAM FÔLEGO

0

Os investimentos em mídias digitais ganham cada vez mais força no Brasil, enquanto os recursos destinados aos veículos tradicionais desaceleram no país. É o que aponta a mais recente edição da pesquisa Global Entertainment and Media Outlook 2015-2019. O estudo, produzido pela PwC, aponta um projeção de crescimento médio de 16% na publicidade digital e de 17% no consumo digital.

 

Em linhas gerais, a pesquisa mostra que as mídias digitais ganham mais força a cada nova projeção e vêm puxando investimentos que antes eram direcionados para as mídias em formato tradicional. Os canais off-line apresentaram redução de 87% em 2014 para 81% em 2019, na participação do total dos gastos do anunciante com publicidade, enquanto que os investimentos nos meios digitais sobem de 13% para 19% no mesmo período.

 

O redirecionamento de recursos para as mídias on-line avança em paralelo ao crescimento dos investimentos em internet móvel, que devem superar os aportes em internet fixa ainda em 2015. Os números evidenciam a necessidade de que os investidores no setor de mídia, comunicação e entretenimento repensem suas estratégias. As empresas que conseguirem se adaptar mais rapidamente às novas tendências, especialmente na maximização do valor do conteúdo, ao oferecer experiências mais personalizadas de consumo, vão ganhar espaço na preferência dos consumidores.

 

“Empresas de mídia e entretenimento precisam adotar a experiência de consumo como fator crítico de sucesso. O que conta é a habilidade de combinar conteúdo com a experiência de uso. Para isso, é preciso inovar no desenvolvimento do produto, desenvolver canais variados e interligados de relacionamento com os consumidores e, por último, colocar o acesso móvel no foco dos negócios”, afirma a sócia na PwC Brasil e líder no setor de entretenimento e mídia, Estela Vieira. Em termos de experiência, a interatividade possível nas mídias on-line permite ampliar cada vez mais as vantagens em relação aos meios tradicionais.

 

“Com a proliferação de conteúdo e as opções de acesso, os consumidores buscam, cada vez mais, flexibilidade e liberdade, ou seja, escolha do que, quando, onde e como consumir. Ao fazer estas escolhas, vão migrar para as opções que combinam relevância e conveniência, ou seja, que oferecem conteúdo atrativo e que proporcione uma melhor experiência dentro das suas expectativas”, destaca a gerente sênior na PwC Brasil e especialista no setor de entretenimento e mídia, Gardênia Rogatto.

 

Metodologia

Em sua 16º edição, a pesquisa Global Entertainment and Media Outlook 2015-2019 avalia os gastos dos consumidores e investimentos com publicidade em 54 países. A análise foi realizada em 13 segmentos do entretenimento, que inclui TV aberta e fechada, revistas, jornais, internet, música, outdoor, cinema, games, entre outros. Caso tenha interesse em mais informações do levantamento ou em dados específicos de algum segmento que a pesquisa abrange, entre em contato conosco.

 

Share.

About Author

Comments are closed.