A MÍDIA GOLPISTA BRASILEIRA SEGUNDO GLENN GREENWALD

0

O norte-americano Glenn Greenwald, um dos três editores co-fundadores da Intercept, mídia digital de jornalismo independente, e um dos mais importante pensadores de comunicação do mundo, segundo a insuspeita revista Foreign Policy, publicou texto dirigido aos leitores norte-americanos em que explica os últimos acontecimentos no Brasil e as manifestações que reúnem desinformados, “midiotas” (aqueles que acreditam em tudo o que leem) e inocentes que seguem a opinião que as elites, sustentada por atos de juízes e procuradores que esgarçam o Estado Democrático de Direito e a Constituição, para atingirem seus propósitos de um golpe na democracia.

O artigo em sua íntegra e em inglês pode ser lido aqui. Dele destacamos o primeiro parágrafo traduzido pelo brilhante jornalista e professor de Jornalismo Nilson Lage. Ele dá bem a medida do que é a grande imprensa no Brasil, que sempre defendeu as elites em seus vis interesses. Por fim, cabe lembrar que Glenn Greenwald é um dos escritores de maior sucesso na lista do importante The New York Times e vencedor de inúmeros prêmios de reportagem em todo o mundo, inclusive no Brasil onde foi o primeiro não-brasileiro a conquistar o Prêmio Esso.

 

“Lembrem o papel-chave da Fox News na promoção e constante encorajamento dos protestos do Tea Party. Agora, imaginem como esses protestos seriam se não apenas a Fox, mas também a ABC, a NBC, a revista Time, o New York Times e o Huffington Post também apoiassem e incitassem as ações do Tea Party. É o que vem acontecendo no Brasil: os principais veículos são de domínio e propriedade de um pequeno número de famílias de plutocratas, praticamente todas veementemente opostas por condição de classe ao PT; eles de unificaram para inflar esses protestos.”

Gleen Greenwald

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.