POBRE DIAMANTINA. TERRA DE ARCEBISPOS SEM FÉ NO EVANGELHO

0

Por Carlos Franco

Pobre Diamantina. A luz merencória da lua se afasta de suas ruas onde serestas sempre deram o compasso e o passo dos dias e das noites para ceder lugar, mais uma vez às trevas, aos arcebispos sem fé no Evangelho de Cristo. Se no passado não tão remoto, a triste, soturna e nefasta figura de Geraldo de Proença Sigaud (1909/999) ocupou o posto de 1961 a 1980, agora, a partir deste mês, é Darci José Nicioli que assume o posto de arcebispo de sua prelazia.

Em comum, ambos os religiosos demonstram em homílias total desapego ao Evangelho de Cristo. Pregam o ódio em vez do amor. Pregam a intolerância em vez da compreensão. Pregam a escuridão em vez da luz, ainda que da tênue lua que embala suas serestas. Pregam a guera em vez da paz. Pregam o fausto e se vestem do fausto abandonando o simples e o humilde, para estes viram as costas em defesa de suas corrompidas e nefastas elites. Pobre Diamantina. Seus arcebispos sem fé no Evangelho de Cristo se distanciaram daquilo que é a essência do cristianismo e que se resume, como o queria o pregador, numa única sentença: “Ame a teu próximo como a ti mesmo e não faça aos outros o que não quer que façam contigo.”

O brilhante pregador Padre Antonio Vieira (1608-1697) que nos deixou de legado textos de grandiosidade e fé como do sermão de “Santo Antônio aos Peixes”, onde figura o trecho aqui destacado, é um belo exemplo de dignidade humana e da importância do pregador que crê, que tem fé no Evangelho de Cristo. E Vieira nunca se limitou à retórica. Defendeu incansavelmente os direitos dos povos indígenas combatendo a sua exploração e escravização e por eles era chamado de “Paiaçu” (Grande Padre/Pai, em tupi). Também defendeu os judeus, a abolição da distinção entre cristãos-novos (judeus convertidos, perseguidos à época pela Inquisição) e cristãos-velhos (os católicos tradicionais), e a abolição da escravatura. Criticou ainda severamente os sacerdotes da sua época e a própria Inquisição e propagou o verbo, o Evangelho de Cristo, sem se apegar aos valores das retrogadas elite sempre dispostas a preservar a propriedade e o capital e a desprezar o trabalho dos que, de fato, labutam para a construção de um país e esperam dele fazer parte.

Aos arcebispos de ontem e de hoje de Diamantina, falta justamente a essência do pregar, a essência do Evangelho de Cristo nas suas palavras. São homens sem fé no Evangelho, que apenas comungam o ódio em defesa das elites. Pobre Diamantina. E julgam portanto, podem ser julgados; pois nesse ponto também ferem a simplicidade do legado de Francisco (1182-1226), o religioso de Assis, do qual o Papa Francisco buscou homenagear no Vaticano usando seu nome e que, com simplicidade busca conciliar a Igreja de Pedro, usando as sandálias do pescador e pregando o amor e o respeito, sem distinção, sem julgamentos, pois conhece o primado de Francisco de que “não julgais para não seres julgado”. E também a sua oração de fé na vida, no homem e na natureza.   

Bela herança e alerta nos deixou Vieira, mas para isso arcebispos como os de Diamantina de ontem e de hoje  precisariam aprender a ler o evangelho, não bastam cursos e diplomas de teologia; é preciso fé.

Vós, diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores, sois o sal da terra: e chama-lhes sal da terra, porque quer que façam na terra o que faz o sal. O efeito do sal é impedir a corrupção; mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será, ou qual pode ser a causa desta corrupção? Ou é porque o sal não salga, ou porque a terra se não deixa salgar. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores não pregam a verdadeira doutrina; ou porque a terra se não deixa salgar e os ouvintes, sendo verdadeira a doutrina que lhes dão, a não querem receber. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores dizem uma cousa e fazem outra; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes querem antes imitar o que eles fazem, que fazer o que dizem. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores se pregam a si e não a Cristo.

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.

000-017   000-080   000-089   000-104   000-105   000-106   070-461   100-101   100-105  , 100-105  , 101   101-400   102-400   1V0-601   1Y0-201   1Z0-051   1Z0-060   1Z0-061   1Z0-144   1z0-434   1Z0-803   1Z0-804   1z0-808   200-101   200-120   200-125  , 200-125  , 200-310   200-355   210-060   210-065   210-260   220-801   220-802   220-901   220-902   2V0-620   2V0-621   2V0-621D   300-070   300-075   300-101   300-115   300-135   3002   300-206   300-208   300-209   300-320   350-001   350-018   350-029   350-030   350-050   350-060   350-080   352-001   400-051   400-101   400-201   500-260   640-692   640-911   640-916   642-732   642-999   700-501   70-177   70-178   70-243   70-246   70-270   70-346   70-347   70-410   70-411   70-412   70-413   70-417   70-461   70-462   70-463   70-480   70-483   70-486   70-487   70-488   70-532   70-533   70-534   70-980   74-678   810-403   9A0-385   9L0-012   9L0-066   ADM-201   AWS-SYSOPS   C_TFIN52_66   c2010-652   c2010-657   CAP   CAS-002   CCA-500   CISM   CISSP   CRISC   EX200   EX300   HP0-S42   ICBB   ICGB   ITILFND   JK0-022   JN0-102   JN0-360   LX0-103   LX0-104   M70-101   MB2-704   MB2-707   MB5-705   MB6-703   N10-006   NS0-157   NSE4   OG0-091   OG0-093   PEGACPBA71V1   PMP   PR000041   SSCP   SY0-401   VCP550   HP0-S42   70-483   101   000-080   1z0-434   CCA-500   CAP   1Z0-804   220-802   70-483   SY0-401   70-980   300-101   c2010-652   ICGB   1Z0-144   101   70-533   000-017   1Z0-060   640-916   9L0-012   MB2-704   9L0-066   2V0-621D   1Z0-144   1Y0-201   74-678   EX200   70-483   700-501   210-260   200-310   100-105  , JK0-022   350-080   300-070   CISSP   810-403   CAS-002   300-206   200-101   OG0-093   000-104   MB6-703   CISSP   1Z0-144   070-461   1Z0-060   SSCP