Second Life tupiniquim

0

A KAIZEN Games e o iG acabam de anunciar o lançamento do Second Life Brasil (www.secondlifebrasil.com.br), resultado de um modelo inédito no mundo: o Brasil é o pioneiro na implantação do Second Life Global Provider, programa desenvolvido pela criadora do Second Life, Linden Lab, em parceria com a empresa nacional KAIZEN Games. Isto é, os brasileiros são os primeiros a ter sua própria porta de entrada para o metaverso, o maior fenômeno da internet dos últimos tempos.

“O Second Life está modificando a maneira como as pessoas se relacionam na rede e estamos muito orgulhosos de oferecer esse universo virtual em português, com suporte local e outras vantagens, como o pagamento com cartão de crédito nacional e boleto bancário”, afirma Emiliano de Castro, diretor de marketing do Second Life Brasil.

Second Life não é um jogo. Não há missões, fases ou objetivos pré-definidos. Second Life é um metaverso: um mundo virtual tridimensional que oferece a qualquer um que tenha acesso à internet a possibilidade de ter uma segunda vida. As pessoas que se cadastram no Second Life são mais do que internautas ou usuários. São residentes de um universo online onde é  possível voar ou se teletransportar, trabalhar, fazer novos amigos, estudar, criar produtos e obras de arte, passear, namorar, fazer compras, vender, dançar, anunciar…

Agora, tudo isso está disponível em uma versão adaptada para o Brasil. O programa de visualização (“client”) que o usuário deve instalar no seu computador para acessar o Second Life está em português e o suporte é garantido pela equipe da KAIZEN Games. Além disso, as transações comerciais podem ser feitas em real.

Dinheiro circulando no Second Life não falta, embora a assinatura básica seja gratuita. Os residentes só precisam abrir a carteira se quiserem negociar no ciberespaço. Para comprar um terreno para construir sua casa ou um resort, por exemplo, é necessário ter uma assinatura premium, que dá direito também a uma renda mensal. Já os produtos e serviços comercializados no metaverso podem ser adquiridos por qualquer residente com assinatura básica.

Essa possibilidade de negociação é um dos fatores responsáveis pelo sucesso mundial do Second Life. Somente no último dia 19 de abril, os residentes movimentaram mais de US$ 1,3 milhão dentro do metaverso. As transações são feitas em uma moeda própria, o Linden dólar (L$), que obedece a um câmbio diário. Antes, os brasileiros só podiam comprar Linden dólares se tivessem cartões de crédito internacional. Agora, com o Second Life Brasil, isso pode ser feito em real, com cartão de crédito nacional ou boleto bancário.

Para permitir a compra de Linden dólares em reais, foi criada uma moeda intermediária, o KAIZEN Cash (KC$). Cada real vale, hoje, KC$ 1.000. O KAIZEN Cash é comercializado na forma de cupons, cujos valores variam de R$ 6,50 a R$ 170. O residente pode usar seu crédito em KAIZEN Cash para comprar Linden dólares e fazer qualquer transação no metaverso.

Share.

About Author

Comments are closed.