DEMÊNCIA: PRECISAMOS FALAR SOBRE ISSO

0

A Alzheimer’s Disease International (ADI) recebeu a notícia que a Comissão de Neurologia da Lancet (Lancet Neurology Commission) estará dedicando todo o 15o. volume da Revista Lancet Neurology, do próximo mês de abril, para uma descrição detalhada, recomendações, cuidados e pesquisa sobre o mal de Alzheimer e outras demências. O relatório ‘Vencer o mal de Alzheimer e outras demências: uma prioridade para a ciência e a sociedade europeia (‘Defeating Alzheimer’s disease and other dementias: a priority for European science and society)’ foi conduzido pelo Professor Bengt Winblad, do Centro de Pesquisas sobre o Mal de Alzheimer do Instituto Karolinska na Suécia e editado por pesquisadores líderes da Suécia, França, Reino Unido, Austrália, Dinamarca, Canadá, Suíça, Itália, Luxemburgo, Estados Unidos, Alemanha e Holanda.

O relatório de 74 páginas será apresentado aos Comissários do Parlamento Europeu em Bruxelas hoje, 15 de março. 

O relatório apoia dados e recomendações do Relatório Mundial sobre Alzheimer de 2015 (World Alzheimer Report 2015) da ADI, ‘O impacto global da demência: Uma análise da prevalência, incidência, custos e tendências (The Global Impact of Dementia: An analysis of prevalence, incidence, cost and trends)‘, solicitando um compromisso político e econômico de longo prazo para melhorar os cuidados e pesquisas sobre a demência, enquanto enfatiza a importância de um esforço conjunto para obtenção de progresso. Isso deverá incluir parcerias multinacionais, formadas por organizações governamentais públicas, centros acadêmicos, indústria farmacêutica e outras, bem como estabelecendo uma infraestrutura melhorada para cuidados não farmacêuticos para a demência.

Globalmente, um novo caso de demência surge a cada três segundos. O número de indivíduos com demência deverá quase dobrar em 20 anos, com 58% dos afetados vivendo em países de receita baixa e média.

Até 2050, a demência afetará 131 milhões de indivíduos em todo o mundo. Ela será uma doença de um trilhão de dólares até 2018.

As recomendações no relatório acompanham o processo obtido desde a Cúpula Sobre a Demência do G8 em 2013, eventos tradicionais do G7 e a primeira Conferência Ministerial sobre a Ação Global Contra a Demência da Organização Mundial da Saúde em março de 2015, no estabelecimento dos Planos Nacionais Contra a Demência em todo o mundo. A ADI apoia o relatório em relação ao apelo a todos os governos para estabelecerem um Plano Nacional Contra a Demência, incluindo:

  • Maior vontade política para desenvolver políticas nacionais para fortalecer os cuidados e a infraestrutura contra a demência em todos os países
  • A formação de parcerias efetivas para tratar da demência em todos os níveis, incluindo aprofundar os progressos das Comunidades Preparadas para Pessoas com Demência
  • Foco nos direitos e voz dos indivíduos com demência em todos os níveis, incluindo defesa desses direitos através da Convenção de Direitos das Pessoas Deficientes da ONU (CDPD).

Marc Wortmann, Diretor Executivo da Alzheimer’s Disease International, definiu o relatório como “Um passo importante que confirma que sabemos o que fazer, apenas precisamos de vontade política para que isso aconteça. Existe atualmente um ímpeto por políticas da Organização Mundial de Saúde, da União Europeia e da Ação Global Contra a Demência e nós também solicitamos que os países do G20 façam da luta contra a demência sua prioridade”.

O Professor Winblad, ex-presidente do Conselho e atual membro ativo do Painel Consultivo Médico e Científico da ADI, declarou:

“Para vencer o Mal de Alzheimer e outras demências, são necessárias ações em conjunto, não somente dentro das pesquisas, mas também dentro da arena política em todos os níveis. Minha esperança é que nosso trabalho estimule colaboração nacional e internacional”.

O relatório da Comissão de Neurologia da Lancet estará disponível on-line após 15 de março de 2016, no endereço: http://www.thelancet.com/journals/laneur/issue/current

Compartilhar.

Sobre o autor

Comentários desativados.